Ativistas ateus acusam igrejas que financiam escolas de fraude e movem processo na Justiça

5

Uma iniciativa de cunho social de duas igrejas evangélicas vem sendo taxadas de fraude contra o governo por ativistas ateus porque resolveram pagar o aluguel de instituições de ensino que passam por dificuldade financeira.

O Ministério Um Amor e a Capela do Calvário de Oahu, no Havaí, se tornaram alvo de um processo movido por dois ativistas. Eles acusaram as igrejas de tentar “fraudar o governo”, numa espécie de lavagem de dinheiro.

No entanto, a ação judicial movida por Mitchell Kahle e Holly Huber não aponta evidência de atos ilegais por parte das igrejas. Na teoria da dupla, o dinheiro que as igrejas usam para pagar os aluguéis das escolas seria devolvido de forma irregular pelos administradores das escolas, e assim, conseguiriam enganar o sistema tributário.

Em maio, o Tribunal de Justiça do Havaí rejeitou os principais pontos da ação, e deu 45 dias para que os autores reapresentassem a ação. Em outubro, devido a uma questão legal envolvendo a legislação federal, a Justiça permitiu que a ação seguisse em frente.


“A única coisa que essas igrejas têm feito é servir as escolas e trazer um grande benefício para as comunidades vizinhas. Elas não merecem que o processo seja prolongado por mais tempo por causa de duas pessoas que estão buscando ganhos financeiros, atacando estas congregações.  A posição preliminar da primeira instância de destruir este processo estava correta. Vamos agora pedir ao tribunal para descartar definitivamente essa denúncia sem fundamento”, afirmou Erik Stanley, consultor de uma entidade de apoio jurídico.

“As igrejas servem os mais necessitados em suas comunidades, e merecem mais do que falsas acusações decorrentes de uma hostilidade. Estamos confiantes de que o Tribunal vai chegar a uma conclusão, de modo que estas igrejas possam continuar com seu importante trabalho sem qualquer assédio”, acrescentou o advogado James Hochberg.

De acordo com informações do Charisma News, a dupla de ativistas ateus se mudou para o estado do Michigan, e lá, apresentaram uma queixa idêntica contra um Memorial Cristão do estado.


5 COMENTÁRIOS

  1. “A única coisa que essas igrejas têm feito é servir as escolas e trazer um grande benefício para as comunidades vizinhas. Elas não merecem que o processo seja prolongado por mais tempo por causa de duas pessoas que estão buscando GANHOS FINANCEIROS, atacando estas congregações”

    Moral da história: “vão trabalhar, vagabundos ateus”

  2. essas aberrações gays não se cansam de ser ridiculas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk é só dar uma surra bem dada que eles param com essa besteira de querer processar . e ateu é mais ridiculo ainda porque combate uma coisa que eles mesmos afirmam não existir.

  3. Tudo bem, desde que estas igrejas não sigam o exemplo da maioria das igrejas protestantes brasileiras. Pois aqui só quem se beneficia dos dízimos e ofertas é o pastor e seus familiares. A estrutura montada e demoniáca. Uma igreja , além de pastor, precisa de diáconos, presbiteros e evangelistas, para ministrar o culto, a palavra, a cura, as unções. Mas estes títulos são apenas títulos mesmo, uma vez que os já elencados obreiros precisam trabalhar secularmente para sustentar suas famílias. Em algumas congregações a fossa é mais profunda, onde alguns pastores para justificar o desvio, a corrupção e o nepotismo, ordenam suas mulhers e filhos ao cargo de pastor, preterindo o obreiro fiel.Algumas gastam com confecções caríssimas de revistas ilustradas propagandeando enganosamente um suposto crescimento ministerial e/ou uma obra social. Não são todas. Há outras que pagam muito bem seus obreiros para estarem ali e prestarem assintência ao combalido moral e economicamente. Estas mantém suas portas abertas ao menos 18 horas por dia, cumprindo assim o desejo do Eterno para a humanidade. Curiosamente estas são as que mais recebem pedradas e realizam “de fato” obras sociais junto aos mendigos e dependentes químicos. As demais não passam de engodo satânico apologético liberal tucanista. Dia desses recebi visita de pastor da Assembléia criticando a inserção das disciplinas de sociologia e filosofia no currículo escolar. Lembrei-o que Deus em sua palavra incita o homen a adquirir o conhecimento, e que o Altíssimo poderia condena-lo por fomentar em suas entranhas o desejo maligno por querer manter as pessoas na ignorância. Mas confesso aos irmão que irão ler este post que meu desejo foi de manda-lo para o inferno. Me perdoem.

DEIXE UMA RESPOSTA