“Bless Friday”: cristãos ignoram descontos da Black Friday para realizar ações sociais

3

A última sexta-feira, 28 de novembro, foi marcada pela promoção Black Friday na maioria das lojas e sites de comércio eletrônico mundo afora. No entanto, grupos cristãos aproveitaram o simbolismo da data para promover ações sociais.

Usando um trocadilho, a data de ação social foi chamada de “Bless Friday” (Sexta-feira de Bênçãos, em tradução livre), e diversas igrejas dos Estados Unidos aderiram à ideia.

Entre as atividades promovidas no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças estavam a distribuição de refeições para pessoas carentes e moradores de rua, além de agasalhos, já que o inverno está chegando à região.

Eva Kaminski, diretora adjunta de Comunicação da Memorial Drive Presbyterian, em Houston, no Texas, a iniciativa funciona como “um incentivo para que [os fiéis] mudem seu foco – que antes era voltado para as compras – e passem a servir”.


“A Bless Friday é algo que nossa congregação e nossos funcionários abraçaram. A beleza está na construção da alma, que ocorre quando nos concentramos uns nos outros, ao invés de cada um olhar apenas para si próprio, e assim, servimos em nome de Cristo”, pontuou a diretora, de acordo com informações do Christian Post.

A ideia de opor a data consumista com gestos de amor ao próximo começou em 2010, quando igrejas da cidade se juntaram e criaram o projeto Bless Friday. Segundo Chuck Fox, idealizador da iniciativa, o número de igrejas e instituições cristãs tem crescido ano a ano. “Este ano nós adicionamos a West University Baptist Church e a Crosspoint Church, em Houston e, pela primeira vez, somos capazes de anunciar que uma igreja católica, a do Santíssimo Sacramento, em Seattle, participou também”, comemorou.

Uma das igrejas participantes, St. John The Divine (SJD), concentrou suas ações em um albergue chamado The Beacon. “É um local, no centro de Houston, que atende às necessidades imediatas dos desabrigados. Voluntários da SJD serviram centenas de almoços quentes para população carente e sem-teto de Houston”, relatou Andrea Meier, porta-voz da denominação, acrescentando que “oferecer alternativas em dias como o Black Friday é uma expressão muito importante para ganhar vidas para Deus”.


3 COMENTÁRIOS

  1. É OS EVANJEGUES SEMPRE PENSANDO NO PRÓXIMO E FAZENDO A VONTADE DE DEUS, ENQUANTO ISTO GAYS E ATEUS ESTÃO PENSANDO EM MANEIRAS DE FERRAR COM A CIVILIZAÇÃO E A FAMÍLIA

  2. José Carvalho você nem sabe o que está escrevendo. É tão homo fóbico que consegui colocar o assunto em uma notícia que não tem nada a ver com o que escreveu. Você acha que não há gays nas igrejas evangélicas? E para seu governo há igrejas protestantes nos EUA que apoiam a população LGBT. E nesta reportagem citam a Igreja Presbiteriana como evangélica, mas nossa EUA ela não se considera assim, mas como protestante histórica! Os protestantes americanos e europeus são muito liberais, bem diferente do que os brasileiros, pois mesmos igrejas do Brasil que tem algum contato com estas igrejas liberais dos EUA e Europa são conservadora, mas o dinheiro dos irmãos estrangeiros não tem ideologia!

    • “há igrejas protestantes nos EUA que apoiam a população LGBT”

      Parabéns…

      melhor seria se fossem da igreja de Jesus Cristo!!

      Igreja de Jesus não apoia essas abominações, mas aceitam essas pessoas!!

DEIXE UMA RESPOSTA