Estudo aponta que, com isenções fiscais a igrejas, governo deixa de arrecadar R$ 150 bilhões em impostos

1

Um estudo feito pelo professor Ryan Cragun, da Universidade de Tampa, apontou que com as isenções fiscais cedidas às igrejas, nos Estados Unidos, o governo deixa de arrecadar anualmente US$ 71 bilhões (R$ 145,5 bilhões).

O estudo foi publicado na revista Free Inquiry, da Humanismo Secular e, segundo o jornalista Paulo Lopes, chegou a essa cifra a partir de uma análise da legislação tributária dos municípios, Estados e federação que beneficiam com imunidade o dízimo, doações, propriedades, empresas, ganhos de capital e dedução no custo de habitação dos sacerdotes.

Esse tipo de estudo já e feito por diversos estudiosos desde a década de 50, porém o editor da Free Inquiry, Tom Flynn, afirma que os resultados desse último estudo oferecem uma base para que sejam iniciadas discussões a respeito da questão.

Para Flynn o aumento do número de pessoas que não segue nenhuma tradição religiosa é um motivador para que essa imunidade fiscal seja questionada, pois para os representantes não religiosos da sociedade o custo dos subsídios às igrejas representa “uma injustiça”.

De acordo com o site Secular Humanism, ao contrário da opinião do editor, Mark Rienzi, do Fundo Becket para Liberdade Religiosa, afirma que independentemente do valor das isenções, o que importa na realidade é o fato de que os americanos decidiram democraticamente que as instituições religiosas são boas para a sociedade. “A nossa história está repleta de exemplos dos benefícios da nossa diversidade religiosa”, afirmou Rienzi.

Fonte: Gospel+

1 COMENTÁRIO

  1. O motivo é claro de não tirar, essa lei de senções fiscais das igrejas pelo fato que igreja catolica teria de entrar na malha fina tb na arrecadação, por isso continua sem pagar impostos.

DEIXE UMA RESPOSTA