Cristão é assassinado por multidão na Nigéria sob acusação de “blasfemar contra Maomé”

1

Um cristão foi linchado na Nigéria por extremistas muçulmanos que o acusaram de blasfemar contra Maomé, figura religiosa do islamismo visto como profeta por seus seguidores.

Methodus Chimaije Emmanuel foi atacado por uma multidão na cidade de Pandogari, no último dia 29 de maio. O exército nigeriano confirmou a morte em uma nota à imprensa.

“Por volta das 18h no domingo, 29 de maio de 2016, o senhor Methodus Chimaije Emmanuel, um comerciante de 24 anos, morador de Pandogari, Rafi LGA, foi atacado e morto por uma multidão na cidade, sob alegação de ter postado uma declaração de blasfêmia contra o profeta Maomé nas mídias sociais”, dizia a nota, segundo informações do Christian Today.

O tumulto que terminou no assassinato do comerciante se generalizou, e outras três pessoas foram mortas, além de uma igreja ter sido incendiada e dezenas de lojas terem sido saqueadas.


Para tentar conter a revolta, o exército impôs um toque de recolher do pôr do sol ao amanhecer na cidade, que fica à beira de uma das principais estradas de ligação entre as regiões norte e sul do país.

O major NC Agwu, diretor-assistente de relações públicas do Exército, afirmou que algumas pessoas foram presas após a violência generalizada. Os suspeitos pelo assassinato do cristão foram entregues à polícia.

“Tropas da 31ª Brigada de Artilharia da 1ª Divisão do Exército nigeriano rapidamente fizeram uma intervenção e restauraram a lei e a ordem, enquanto um toque de recolher foi imposto na cidade”, pontuou o major.

A Nigéria é um país africano com ligeira maioria cristã, e atualmente atravessa uma situação delicada, beirando a guerra civil, com conflitos promovidos pelo grupo extremista muçulmano Boko Haram e facções religiosas menores.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA