Cristãos recebem imigrantes dizendo que “Jesus sabia o que era ser um refugiado”

Cristãos da Inglaterra dizem que a igreja tem o dever de acolher os refugiados sírios, citando a Bíblia como fundamento e a história de Jesus Cristo como exemplo: "O povo de Deus era um povo deslocado"

0

Cristãos da Inglaterra estão convictos de que “…existe um forte mandamento bíblico para as igrejas acolherem os refugiados”. Por igrejas, eles se referem à própria casa onde moram. Justificando que “Jesus Cristo sabia o que era ser um refugiado”, Samuel Yung, porta-voz de uma comunidade de igrejas cristãs comprometidas com a missão de acolher os imigrantes sírios, explica a relação entre os imigrantes atuais com a vida de Cristo:

“Jesus e sua a família fugiram para uma terra estrangeira, no Egito, e sobreviveram a uma matança em massa de bebês ordenados pelo ditador Herodes. Mas eles viviam como refugiados. Eles perderam suas casas, conexões com a família e amigos. E eles dependiam da hospitalidade de estranhos em uma terra estrangeira.”, disse Yung.

Yung não acredita apenas numa correlação histórica de acontecimentos, mas em um fundamento bíblico que segundo ele é um mandamento de Deus, ordenando para que os cristãos acolham os imigrantes. Assim, diz ele:

“Teologicamente, existe um forte mandamento bíblico para as igrejas acolherem os refugiados: De Abraão a Moisés até Rute: o povo de Deus era um povo deslocado, um peregrino, que vivia em lugares estrangeiros. Deus ordenou que fossem gentis e hospitaleiros com os alienígenas em sua terra. Deuteronômio 10:19 diz: ‘Amarás os estrangeiros, porque vós mesmos sois estrangeiros no Egito'”.


É isso o que ele conta na matéria publicada pelo Christian Today, revelando um programa do governo chamado “patrocínio comunitário”, onde moradores disponibilizam suas casas para acolher os refugiados sírios. Até agora, quatro famílias já encontraram abrigo em casas de cristãos ingleses e a intenção do governo é que até 2020, cerca de 20 mil refugiados sejam acolhidos.

“A esposa do dono de um restaurante local é da Síria e ela preparou uma refeição para quando a família chegou. Além disso, uma instituição de caridade local de língua inglesa está nos apoiando com aulas. Os membros de nossa congregação e seus amigos estiveram envolvidos em tudo, desde a doação de móveis até a limpeza das casas”, disse Nick Coke, coordenador de refugiados do “Exército da Salvação”, uma instituição cristã evangélica reconhecida mundialmente.

Nick também acredita que acolher os refugiados faz parte do amor cristão, classificando a iniciativa como “uma das experiências mais poderosas” da sua vida como oficial do Exército de Salvação.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA