Pastor acusado de desviar US$ 1 milhão recebe segunda chance de fiéis e continuará no cargo

36

Um pastor acusado de desviar aproximadamente US$ 1 milhão dos dízimos e ofertas recolhidos por sua igreja recebeu uma segunda chance dos membros de sua denominação, e continuará à frente da congregação.

O caso do reverendo Williard Jones, dirigente da Greater Cornerstone Baptist Church, em Oklahoma, foi noticiado pela imprensa norte-americana após as autoridades o investigarem por fraude eletrônica e apresentação de uma declaração falsa de imposto.

Os desvios foram feitos a partir de um projeto social apoiado pela igreja, e segundo o Christian Post, os valores teriam sido destinados à manutenção de seu estilo de vida luxuoso. Somente de salários, Jones recebe mais de US$ 400 mil anualmente.

Jones não se declarou culpado das acusações e neste momento ainda não teve sua prisão decretada pela Justiça. Numa assembleia com os membros, a igreja decidiu manter o pastor no cargo e dar a ele uma segunda chance.


Agora, o pastor pretende tirar um período sabático de quatro meses, antes de voltar a dirigir a denominação e pregar nos cultos.

Caso seja condenado, o pastor pode pegar até 20 anos de cadeia por cada acusação de fraude, além de um período adicional de três anos para as declarações falsas do Imposto de Renda.

O agente do FBI que comandou as investigações, James Finch, afirmou que a maior punição para os crimes cometidos pelo pastor em vida, virá após a morte: “Eu realmente acredito que a dor espiritual causada pelo reverendo Jones irá resultar em uma pena muito mais severa da justiça espiritual de um juiz que não seja desta terra”, disse ele.


36 COMENTÁRIOS

  1. os valores teriam sido destinados à manutenção de seu estilo de vida luxuoso. Somente de salários, Jones recebe mais de R$ 80 mil mensal.

    Se fosse na igreja católica o Levi Varela iria dizerr: -“Pior cego é que se recusa a abrir os olho”

    • Cadeia, também, nos que promovem injúria contra os homossexuais, taxando-os de abominações só porque não seguem seus princípios religiosos do tempo do arco da velha.

      .

        • Quando o PL 122 for aprovado, você já não terá toda essa liberdade de chamar as pessoas de abominação. Mas eu continuarei podendo chama-lo de paranoico, louco e esquizofrênico.
          .

          • J.C

            Era tudo o que eu queria ouvir!

            Realmente, é isso que os baitolas querem. Privilégios, regalias, mordomias as custas de dinheiro público! É exatamente isso que pessoas de caráter duvidoso como você, Jean ameba Wyllys e o resto dos baitolas querem.

            Só que vão continuar querendo, pois a sociedade jamais se deixará controlar por VAGABUNDOS como você e lixos do tipo do Jean ameba Wyllys.

            Lixos como vocês, não falam em nome dos homossexuais, que na sua grande maioria, são pessoas trabalhadoras e honestas.

            Agora me processa por homofobia, seu trouxa!

    • [US$ 400 (dólares anuais) x R$ 2,48(cotação) ] / 12 (meses) =

      Salário mensal do pastor R$ 82.660,00.
      Salário médio trabalhador americano R$ 6.680,47 por mês em 2012.
      Salário médio trabalhador brasileiro R$ 1.768,20 por mês em 2012.

      • E pensar que, há menos de 200 anos, essa mesma religião pregava que os negros não tinham alma. Como diz o Waldomiro Santiago: Éééééééééééé…

        .

    • MARCO ANTONIO
      PENSE BEM
      Cada senador custa mais de R$ 33 milhões por ano aos cofres públicos

      congressonacionalLevantamento da ONG Transparência Brasil sobre os orçamentos da União, dos estados e municípios revela que o Senado é a Casa legislativa que tem o orçamento mais confortável por legislador: seus R$ 2,7 bilhões anuais correspondem a R$ 33,4 milhões para cada um dos 81 senadores.

      Na Câmara dos Deputados, a razão é de R$ 6,6 milhões para cada um dos 513 deputados federais, segundo a ONG. Dentre as assembléias legislativas, o maior orçamento por legislador é o da Câmara Legislativa do Distrito Federal: equivale a R$ 9,8 milhões para cada um dos 24 deputados distritais. O DF não tem Câmara de Vereadores.

      O mais exíguo é o de Tocantins: pouco mais de R$ 2 milhões para cada um dos 24 deputados.

      Nas câmaras municipais, a mais rica é a do Rio: seu orçamento equivale a R$ 5,9 milhões para cada um dos 50 vereadores. No outro extremo, em Rio Branco (AC), a provisão para 2007 equivale a R$ 715,3 mil para cada um dos 14 vereadores.

      Custo por habitante
      A Câmara dos Deputados custa R$ 18,14 por ano para cada brasileiro, enquanto o Senado sai por R$ 14,48. Entre os estados, a assembléia legislativa mais cara por habitante é a de Roraima (R$ 145,19), e a mais barata, a de São Paulo (R$ 10,63).

      Entre as capitais de estados, a câmara de vereadores mais cara por habitante é a de Palmas (TO), que custa anualmente R$ 83,10 para cada morador da cidade. A mais barata é a de Belém (PA), com R$ 21,09 por ano.

      A fatia do Orçamento da União destinada ao Congresso Nacional (R$ 6,1 bilhões) chega perto de equivaler à soma do Orçamento destinado ao legislativo em todos os estados e capitais do país (R$ 6,4 bilhões).

      O montante orçamentário por parlamentar do Congresso (deputados federais e senadores) é mais do que o dobro do que custam os deputados estaduais, que por sua vez custam acima do dobro dos vereadores das capitais.

      O estudo revela que as três esferas do legislativo custam em média R$ 117,42 por habitante nas capitais brasileiras e que o trabalho legislativo é mais caro para habitantes de capitais menos habitadas – geralmente, as mais pobres.

      Enquanto em Boa Vista (RR) cada habitante paga R$ 224,82 anuais pelos serviços associados ao trabalho de seus representantes eleitos nas três esferas, em São Paulo o custo é de R$ 68,51 por habitante.

      Em Boa Vista, o gasto total com o legislativo (federal, estadual e municipal) representa 4,7% do PIB per capita. No outro extremo, em Vitória (ES), o gasto total de cada habitante com o legislativo representa 0,4%.

      Em cinco estados – Alagoas, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Sergipe e Tocantins – e doze capitais os dados orçamentários não estavam disponíveis na internet. Em três casos, nem o orçamento estadual e nem o da capital estavam na internet: Rio, Tocantins e Sergipe.

      Quanto custa um senador e um deputado
      Veja quanto os senadores e deputados podem gastar e quanto recebem.

      Senadores

      Subsídio mensal
      R$ 16.512,09. Além dos 12 salários por ano e do 13º, cada senador recebe o mesmo valor no início e no final de cada sessão legislativa, ou seja, 14º e 15º salários.

      Funcionários
      Ao contrário da Câmara, onde existe a verba de gabinete (R$ 60 mil a partir deste mês) para o deputado contratar seus assessores, é o Senado que contrata diretamente o pessoal do gabinete dos senadores. Cada gabinete tem direito à contratação de 11 profissionais, sendo seis assessores parlamentares e cinco secretários parlamentares.

      Um assessor parlamentar ganha R$ 8 mil brutos e um secretário, 85% desse valor. Com isso, o total de gastos com funcionários pode chegar a R$ 54 mil. Os cargos podem ser desmembrados, desde que não seja ultrapassado o valor originalmente designado para os 11 funcionários.

      Verba Indenizatória
      R$ 15 mil. Recursos para uso em gastos nos estados, com aluguel, gasolina, alimentação. O parlamentar tem que apresentar nota fiscal com os gastos e, se não usar toda a verba num determinado mês, acumula para o seguinte. Passado um semestre, ele não tem mais direito de usar o acumulado.

      Auxílio-moradia
      R$ 3.800. Têm direito os senadores que não moram em apartamentos funcionais. O parlamentar tem que comprovar o gasto, apresentando notas de hotéis ou de imóveis que tenha alugado em Brasília.

      Cota postal
      A cota postal varia segundo o número de eleitores do estado. O senador do estado menos populoso (AP), em termos de número de eleitores, tem direito a uma cota de R$ 4 mil/mês. Um senador do estado mais populoso (SP) tem direito a usar até R$ 60 mil/mês. O pagamento da postagem é feito diretamente pelo Senado aos Correios, mediante comprovação da postagem, não havendo repasse de recursos.

      Cota telefônica
      Cada senador tem direito a R$ 500 mensais.

      Passagens aéreas
      Verba variável, dependendo do estado pelo qual o senador foi eleito. O valor mínimo é de R$ 4,3 mil (para os eleitos pelo Distrito Federal) e máximo de R$ 16 mil, para os do Acre.

      Combustível
      Todo senador tem direito a 25 litros de combustível por dia.

      Gráfica
      Cada senador tem direito a uma cota de serviços gráficos, na Gráfica do Senado, para material estritamente relativo à atividade parlamentar, de R$ 8.500 por ano.

      Jornais e revistas
      Nos dias úteis, cada senador recebe cinco publicações, entre jornais e revistas.

      Deputados

      Subsídio mensal
      R$ 16.500. Além dos 12 salários por ano e do 13º, cada deputado recebe o mesmo valor no início e no final de cada sessão legislativa, ou seja, 14º e 15º salários.

      Verba de gabinete
      R$ 60 mil, a partir de abril de 2008. Verba destinada ao pagamento dos funcionários de gabinete. Cada deputado tem direito a empregar de 5 a 25 pessoas em seu gabinete, mas com salários que não ultrapassem o somatório da verba e que não sejam inferiores ao mínimo.

      Verba indenizatória
      R$ 15 mil. Recursos para uso em gastos nos estados, com aluguel, gasolina, alimentação. O parlamentar tem que apresentar nota fiscal com os gastos e, se não usar toda a verba num determinado mês, acumula para o seguinte.

      Auxílio-moradia
      R$ 3 mil. Têm direito os deputados que não moram em apartamentos funcionais. O parlamentar tem que comprovar o gasto, apresentando notas de hotéis ou de imóveis que tenha alugado em Brasília.

      Cota postal e telefônica
      R$ 4.2687,55 para deputados, e R$ 5.513,09 para líderes e vice-líderes da Câmara, presidentes e vice-presidentes de comissões permanentes da Casa. A cota é mensal, mas, se não utilizada naquele mês, acumula para o seguinte.

      Passagens aéreas
      Verba variável, dependendo do estado pelo qual o deputado foi eleito. O valor mínimo é de R$ 4,3 mil (para os deputados eleitos pelo Distrito Federal) e máximo de R$ 16 mil, para os do Acre.

      Gráfica
      Cota de R$ 6 mil.

      Jornais e revistas
      Nos dias úteis, cada deputado recebe cinco publicações, entre jornais e revistas.

    • MARCO ANTONIO
      POSTEI PARA TI QUANTO CUSTA UM SENADOR E UM DEPUTADO, JULGUE VC. MESMO, ALI PARA O GOVERNO SOMOS OBRIGADOS A PAGAR, JÁ VEM NA NOTA, NÃO TEM ESCAPE, OS IMPOSTOS MAIS CAROS DO MUNDO, E NÃO TEMOS NADA EM TROCA, E AINDA ROUBAM E ROUBAM A VONTADE.
      NA IGREJA DA QUEM QUER CONTRIBUI QUEM QUER, E A IGREJA DE UMA MANEIRA GERAL RETORNA COM SERVIÇOS , IMPAGAVEIS.

    • mary
      Cada senador custa mais de R$ 33 milhões por ano aos cofres públicos

      congressonacionalLevantamento da ONG Transparência Brasil sobre os orçamentos da União, dos estados e municípios revela que o Senado é a Casa legislativa que tem o orçamento mais confortável por legislador: seus R$ 2,7 bilhões anuais correspondem a R$ 33,4 milhões para cada um dos 81 senadores.

      Na Câmara dos Deputados, a razão é de R$ 6,6 milhões para cada um dos 513 deputados federais, segundo a ONG. Dentre as assembléias legislativas, o maior orçamento por legislador é o da Câmara Legislativa do Distrito Federal: equivale a R$ 9,8 milhões para cada um dos 24 deputados distritais. O DF não tem Câmara de Vereadores.

      O mais exíguo é o de Tocantins: pouco mais de R$ 2 milhões para cada um dos 24 deputados.

      Nas câmaras municipais, a mais rica é a do Rio: seu orçamento equivale a R$ 5,9 milhões para cada um dos 50 vereadores. No outro extremo, em Rio Branco (AC), a provisão para 2007 equivale a R$ 715,3 mil para cada um dos 14 vereadores.

      Custo por habitante
      A Câmara dos Deputados custa R$ 18,14 por ano para cada brasileiro, enquanto o Senado sai por R$ 14,48. Entre os estados, a assembléia legislativa mais cara por habitante é a de Roraima (R$ 145,19), e a mais barata, a de São Paulo (R$ 10,63).

      Entre as capitais de estados, a câmara de vereadores mais cara por habitante é a de Palmas (TO), que custa anualmente R$ 83,10 para cada morador da cidade. A mais barata é a de Belém (PA), com R$ 21,09 por ano.

      A fatia do Orçamento da União destinada ao Congresso Nacional (R$ 6,1 bilhões) chega perto de equivaler à soma do Orçamento destinado ao legislativo em todos os estados e capitais do país (R$ 6,4 bilhões).

      O montante orçamentário por parlamentar do Congresso (deputados federais e senadores) é mais do que o dobro do que custam os deputados estaduais, que por sua vez custam acima do dobro dos vereadores das capitais.

      O estudo revela que as três esferas do legislativo custam em média R$ 117,42 por habitante nas capitais brasileiras e que o trabalho legislativo é mais caro para habitantes de capitais menos habitadas – geralmente, as mais pobres.

      Enquanto em Boa Vista (RR) cada habitante paga R$ 224,82 anuais pelos serviços associados ao trabalho de seus representantes eleitos nas três esferas, em São Paulo o custo é de R$ 68,51 por habitante.

      Em Boa Vista, o gasto total com o legislativo (federal, estadual e municipal) representa 4,7% do PIB per capita. No outro extremo, em Vitória (ES), o gasto total de cada habitante com o legislativo representa 0,4%.

      Em cinco estados – Alagoas, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Sergipe e Tocantins – e doze capitais os dados orçamentários não estavam disponíveis na internet. Em três casos, nem o orçamento estadual e nem o da capital estavam na internet: Rio, Tocantins e Sergipe.

      Quanto custa um senador e um deputado
      Veja quanto os senadores e deputados podem gastar e quanto recebem.

      Senadores

      Subsídio mensal
      R$ 16.512,09. Além dos 12 salários por ano e do 13º, cada senador recebe o mesmo valor no início e no final de cada sessão legislativa, ou seja, 14º e 15º salários.

      Funcionários
      Ao contrário da Câmara, onde existe a verba de gabinete (R$ 60 mil a partir deste mês) para o deputado contratar seus assessores, é o Senado que contrata diretamente o pessoal do gabinete dos senadores. Cada gabinete tem direito à contratação de 11 profissionais, sendo seis assessores parlamentares e cinco secretários parlamentares.

      Um assessor parlamentar ganha R$ 8 mil brutos e um secretário, 85% desse valor. Com isso, o total de gastos com funcionários pode chegar a R$ 54 mil. Os cargos podem ser desmembrados, desde que não seja ultrapassado o valor originalmente designado para os 11 funcionários.

      Verba Indenizatória
      R$ 15 mil. Recursos para uso em gastos nos estados, com aluguel, gasolina, alimentação. O parlamentar tem que apresentar nota fiscal com os gastos e, se não usar toda a verba num determinado mês, acumula para o seguinte. Passado um semestre, ele não tem mais direito de usar o acumulado.

      Auxílio-moradia
      R$ 3.800. Têm direito os senadores que não moram em apartamentos funcionais. O parlamentar tem que comprovar o gasto, apresentando notas de hotéis ou de imóveis que tenha alugado em Brasília.

      Cota postal
      A cota postal varia segundo o número de eleitores do estado. O senador do estado menos populoso (AP), em termos de número de eleitores, tem direito a uma cota de R$ 4 mil/mês. Um senador do estado mais populoso (SP) tem direito a usar até R$ 60 mil/mês. O pagamento da postagem é feito diretamente pelo Senado aos Correios, mediante comprovação da postagem, não havendo repasse de recursos.

      Cota telefônica
      Cada senador tem direito a R$ 500 mensais.

      Passagens aéreas
      Verba variável, dependendo do estado pelo qual o senador foi eleito. O valor mínimo é de R$ 4,3 mil (para os eleitos pelo Distrito Federal) e máximo de R$ 16 mil, para os do Acre.

      Combustível
      Todo senador tem direito a 25 litros de combustível por dia.

      Gráfica
      Cada senador tem direito a uma cota de serviços gráficos, na Gráfica do Senado, para material estritamente relativo à atividade parlamentar, de R$ 8.500 por ano.

      Jornais e revistas
      Nos dias úteis, cada senador recebe cinco publicações, entre jornais e revistas.

      Deputados

      Subsídio mensal
      R$ 16.500. Além dos 12 salários por ano e do 13º, cada deputado recebe o mesmo valor no início e no final de cada sessão legislativa, ou seja, 14º e 15º salários.

      Verba de gabinete
      R$ 60 mil, a partir de abril de 2008. Verba destinada ao pagamento dos funcionários de gabinete. Cada deputado tem direito a empregar de 5 a 25 pessoas em seu gabinete, mas com salários que não ultrapassem o somatório da verba e que não sejam inferiores ao mínimo.

      Verba indenizatória
      R$ 15 mil. Recursos para uso em gastos nos estados, com aluguel, gasolina, alimentação. O parlamentar tem que apresentar nota fiscal com os gastos e, se não usar toda a verba num determinado mês, acumula para o seguinte.

      Auxílio-moradia
      R$ 3 mil. Têm direito os deputados que não moram em apartamentos funcionais. O parlamentar tem que comprovar o gasto, apresentando notas de hotéis ou de imóveis que tenha alugado em Brasília.

      Cota postal e telefônica
      R$ 4.2687,55 para deputados, e R$ 5.513,09 para líderes e vice-líderes da Câmara, presidentes e vice-presidentes de comissões permanentes da Casa. A cota é mensal, mas, se não utilizada naquele mês, acumula para o seguinte.

      Passagens aéreas
      Verba variável, dependendo do estado pelo qual o deputado foi eleito. O valor mínimo é de R$ 4,3 mil (para os deputados eleitos pelo Distrito Federal) e máximo de R$ 16 mil, para os do Acre.

      Gráfica
      Cota de R$ 6 mil.

      Jornais e revistas
      Nos dias úteis, cada deputado recebe cinco publicações, entre jornais e revistas.

  2. “Eu realmente acredito que a dor espiritual causada pelo reverendo Jones irá resultar em uma pena muito mais severa da justiça espiritual de um juiz que não seja desta terra”, disse ele.”

    2.

    • Quanta mágoa no seu coração cristão.”Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão? Até sete vezes?” Jesus respondeu: “Eu digo a você: não até sete, mas até setenta vezes sete”. Eu acho que você está na religião errada. De cristão você não tem nada. Não passa de um revoltado com a vida. Isso não é de deus, não.
      .

      • J.C

        Se você fosse menos idiota, veria que no começo do meu comentário eu disse: “Quer dar outra chance? Ok!”

        Ele apenas deveria devolver o dinheiro, e pagar a respectiva pena.

        Sei que pra você, interpretação de texto é algo do outro mundo, mas devagarzinho você chega lá!

      • Jose Claudio, se um ladrao me assalta e alem disso, nao chega a confessar o acto e nem a demonstrar arrependimento, nada me impede de perdoa-lo, mas isso nao quer dizer que eu tenha que leva-lo a minha casa e faze-lo dormir na minha cama, isso eh abracar uma serpente. Perdoar aqui seria nao guardar magoa ou ressentimento e nao aceitar com que ele continue dirrigindo o povo de Deus.

  3. um senador custa aos cofres públicos por ano 33 milhões
    um deputado 7 milhões
    e la somos obrigados a pagar impostos, e sim somos roubados todos os dias, não prestam nenhum serviço a nação.
    já os pastores prestam e estes devem trabalhar e trabalhar muito, pois unçao não vem de graça.

  4. Na maioria das denominações aqui no Brasil, nada é prestado contas a membros, o estatuto da denominação nem divulgam mais a público, que foi produzido para a constituição da associação e para o conhecimento daquele que quer se agregar consciente.A igreja tem dono, geralmente um único dono, e desviar dinheiro deste terá que ser muito malandro, pois o controle de cada “ponto de arrecadação de dinheiro” é monitorado por uma metodologia comercial bem apurada, estes são policialescos e sobre eles nem Ministério Público, Receita Federal, Polícia Federal conseguem provar seus enriquecimentos ilícitos, pois estes conhecem a Lei e pagam profissionais especializados para a burlarem com maestria, de tal forma que estes recebam o “atestado de idoneidade”. A Forbes é do diabo! Mais quác! https://www.youtube.com/watch?v=qlQJ22SfmZA&feature=player_detailpage

  5. Depois que Jesus entrou na casa e na vida de Zaqueu, logo Zaqueu percebeu que a sua riqueza era fruto de roubo. Por causa disso, Zaqueu deu a metade de sua riqueza aos pobres e prometeu restituir a quem defraudou o mesmo valor multiplicado por quatro.

    O primeiro indício de arrependimento de um homem que verdadeiramente falhou é o reconhecimento de sua culpa. Sem esse reconhecimento é impossível haver o arrependimento. Se esse pastor realmente tomou para si todo esse valor, e Deus sabe, ele deverá seguir o exemplo de Zaqueu.

    Isso se aplica a cada um de nós, segundo as nossas próprias culpas.

  6. Elder Lima, deve ser um conflito muito grande não concordar com a postura dos homossexuais, ao mesmo tempo que discorda de muitos dos seus irmãos evangélicos. É por isso que você é revoltado, ainda mais com as surras que levou dos seus pais. Vai ver não é flor que se cheire. Você é um paranoico, louco, esquizofrênico e revoltado. Você tem plano de saúde? Se tiver, cobre consultar com psiquiatras? O meu cobre, mas eu não preciso. Consulte-se com um urgente.
    .

    • Os que estão no meio evangélico enganando as pessoas sob o nome de “pastores”, eu critico do mesmo modo que critico os terroristas LGBT.

      Quanto a paranoia, loucura, esquizofrenia e revolta, são “adjetivos” bem comuns daqueles que não sabem bem se são homens ou mulheres, como notoriamente parece ser o seu caso.

  7. Isso é que é cão guloso!

    O povo lobotomizado adora seguir cão guloso.

    Vós, todos os animais do campo, todos os animais dos bosques, vinde comer.
    Todos os seus atalaias são cegos, nada sabem; todos são cães mudos, não podem ladrar; andam adormecidos, estão deitados, e gostam do sono.
    E ESTES CÃES SÃO GULOSOS, não se podem fartar; E ELES SÃO PASTORES que nada compreendem; todos eles se tornam para o seu caminho, cada um para a sua GANÂNCIA, cada um por sua parte. Isaías 56:9-11

DEIXE UMA RESPOSTA