Cruz Vermelha e Banco de Alimentos são acusados de excluir evangélicos em distribuição de alimentos destinados a obras sociais

1

Várias organizações e igrejas evangélicas na Espanha, responsáveis por realizar a distribuição de alimentos em algumas obras sociais, beneficiando centenas de famílias carentes, estão acusando a Cruz Vermelha e o Banco de Alimentos de tratamento discriminatório em favor de outras organizações.

De acordo com o Protestante Digital, nos últimos meses tais igrejas e instituições realizaram reclamações junto ao serviço jurídico da Federação Evangélica (FEREDE), afirmando estarem enfrentando problemas para receber as doações oriundas dessas instituições. A razão desse problema, segundo a FEREDE, seriam as rigorosas exigências que foram enviadas pelo Fundo Espanhol de Garantia Agrícola (FEGA-Ministério da Agricultura) para uma “reorganização eficaz” do “Plano 2012 de ajuda aos necessitados”.

Porém, as instituições evangélicas têm afirmando que essa reorganização estaria fazendo um trabalho discriminatório contra elas, por as expluir do circuito assistencial em benefício de outras organizações.

Com base nessas informações, a FEREDE está levantando o número de entidades afetadas pelas exigências impostas por tais exigências, a fim de tentar estabelecer uma linha direta de comunicação com o Fundo Espanhol de Garantia Agrícola para evitar que as instituições evangélicas sejam excluídas do Plano e percam os recursos que seriam destinados para seus trabalhos de serviço social.


Por Dan Martins, para o Gospel+


1 COMENTÁRIO

  1. Onde estão os que defendem a posição de humanistas e tal? Pessoas carentes que por estarem em uma instituição mantida pelas igrejas e precisam também de ajuda estão sendo penalizadas, caso esse caso seja confirmado. E ai, e agora, onde está a defesa do ser humano?

DEIXE UMA RESPOSTA