Famílias evangélicas tem serviço de água e energia elétrica cortado por se recusarem a contribuir com festas católicas

19

Os evangélicos da região de San Cristobal de las Casas, no estado mexicano de Chiapas, estão sendo perseguidos pela maioria católica por não aceitarem contribuir financeiramente com os custos de festivais católicos.

De acordo com o representante das 25 famílias evangélicas da cidade, suas casas tiveram o fornecimento de energia elétrica e água cortado pelas autoridades municipais.

A cidade fica próxima à fronteira do México com a Guatemala, e a comunidade católica estaria influenciando as autoridades a chantagearem os evangélicos com a interrupção dos serviços públicos.

De acordo com o jornal La Jornada, o representante dos evangélicos Luis Antonio Herrera, afirmou que a falta de água e luz começou no dia 11 de fevereiro. Aaron López Espinosa, um dos moradores afetados, solicitou às autoridades que o serviço fosse restabelecido e teve o pedido negado, além de ser convocado para comparecer a uma reunião onde o assunto seria discutido.


O relato colhido pela imprensa mexicana diz ainda que foi estipulada uma multa aos evangélicos caso eles não comparecessem à reunião, e no dia marcado, guardas foram às casas dos representantes e os impediram de sair, para que a multa fosse aplicada.

As famílias, que são membros da Igreja Evangélica Monte Tabor, também teriam sofrido interrupção dos benefícios de programas sociais do governo. Numa das tentativas de fazer o serviço de água e energia ser retomado, Espinosa estava acompanhado de fiscais da Justiça, e terminou detido pelos guardas juntamente com os fiscais por mais de 24 horas.

Atualmente, os evangélicos planejam ir à Comissão Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) e cobrar providências dos políticos contra a perseguição religiosa.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

19 COMENTÁRIOS

  1. que preconceito é esse agora? Tudo bem que é outro pais mas sera q esses catolicos esqueceram que diante de Deus somos um so? E que o 2 maior mandamento da biblia é amar uns aos outros como a ti mesmo? Mas é como Jesus disse: vcs sofreram perseguissoes por causa de mim.

    • ensinamento de seu mestre papa, curia bispos padres as ordens vem de cima, medo de perder o poder assim como acontece no brasil, o que era maior país católico, tudo ordem de cima

  2. Pastor Renato Vargens critica crescente número de evangélicos que optam pelo calote em dívidas: “Que avivamento é esse?”
    Publicado por Tiago Chagas em 7 de agosto de 2013
    Tags: avivamento, calote, censo 2010, crescimento dos evangélicos, dívidas, Lei de Gérson,

    O Brasil é um país dito emergente, com certa estabilidade econômica nas últimas décadas e, embora pequeno, com algum crescimento derenda e expectativa de vida dos trabalhadores. Além disso, outra grande mudança social foi escancarada pelo Censo 2010: o crescimento dos evangélicos, que na primeira década do novo século, chegou a taxa de mais de 60%.
    Com tantos holofotes da mídia sobre o povo evangélico, questões comportamentais passam a ser olhadas com mais atenção, e a questão financeira é uma delas. O pastor Renato Vargens, líder da Igreja Cristã da Aliança, publicou em seu blog um artigo sobreos “calotes” praticados por fiéis evangélicos.
    “Não estou generalizando. Bem sei que existem casos diferenciados de irmãos que se endividaram em virtude do desemprego, enfermidade ou até mesmo da morte de um ente querido, entretanto, para nossa tristeza existe um número considerável de cristãos que ao contrário do que deviam agem desonestamente não honrando suas dívidas, nem tampouco pagando suas contas”, introduz o pastor, demonstrando preocupação.
    De acordo com o texto de Vargens, é princípio bíblico cumprir os compromissos assumidos: “O Apostolo Paulo ao escrever a epístola aos Romanos ensina que os cristãos não podem dever nada a ninguém. ‘A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.’ (Romanos 13:08). No entanto, ao contrário disso um número incontável de evangélicos brasileiros encontram-se absolutamente endividados. Infelizmente sei de casos de pessoas que em nome da ‘bênção’ e da prosperidade gastam mais do que ganham. Para piorar a situação, existem aqueles que pegam dinheiro emprestado e não pagam os seus credores, isso sem falar é claro, naqueles que fazem crediários, empréstimos dando calote no comércio”, lamenta.
    O pastor repercute ainda a má reputação que os líderes eclesiásticos evangélicos adquiriram recentemente perante a sociedade: “Há pouco, um amigo compartilhou que tentou comprar um carro financiado, mas o vendedor quando soube que o proponente da compra era um pastor desistiu do negócio por entender que pastores não pagam suas dividas. Triste isso não é verdade? Lamentavelmente sou obrigado a concordar que muitos evangélicos tem agido desonestamente não cumprindo com as suas obrigações”, constata Renato Vargens.
    “O que me assusta é que parte da igreja ainda advoga a causa de que estamos vivendo umgenuíno avivamento. Ora, pare, pense e responda: Que avivamento é esse onde os crentes não pagam suas dívidas? Que avivamento é esse que evangélicos pegam empréstimos bancários e dão calotes nos bancos? […] Ao contrário do ‘Avivamento tupiniquim’ os avivamentos que aconteceram no decorrer da história proporcionaram mudança comportamental nos crentes”, pontua o pastor, com uma crítica indireta à ênfase que é dada por igrejas pentecostais e neopentecostais à teologia da prosperidade: “Por que ouviram um falso evangelho que está fundamentado tanto na confissão positiva, como na teologia da prosperidade cujo deus é o secularismo”.
    Lei de Gérson
    Há uma máxima popular brasileira que diz que as pessoas que buscam vantagem em tudo, seguem a Lei de Gérson. Em seu artigo, Vargens resume a origem do ditado: “Em nosso país, é muito comum, ouvirmos dos lábios daqueles que nos relacionamos o que é que se pode ganhar com aquele tipo de atitude ou comportamento. Lembro que na década de 70 existia uma propaganda vinculada em rede de TV sobre uma marca de cigarro, na qual o ex-jogador da seleção brasileira Gérson era o protagonista. A propaganda dizia que comprar o cigarro em questão era vantajoso por ser melhor e mais barato que as outras marcas. E ao no final do comercial Gérson zombeteiramente dizia: ‘Você também gosta de levar vantagem em tudo, certo?’”, explica o pastor.
    Segundo Vargens, o termo se propagou devido à identificação do povo com a proposta do comercial: “Com o passar dos anos a propaganda captou um elemento de identificação que estava no imaginário popular. O jargão usado na época se transformou então naquilo que hoje denominamos de lei de Gerson, a qual passou a funcionar como mais um elemento na definição da identidade nacional e o símbolo mais explícito da nossa ética ou falta dela”.
    Compartilhar
    Na conclusão de sua crítica à prática da inadimplência por parte de evangélicos como um todo, Vargens diz: “Como cristãos somos desafiados a não vivermos segundo as regras deste sistema. De maneira alguma podemos permitir que valores antiéticos e amorais conduzam nossas vidas. Na perspectiva bíblica jamais nos será permitido negociarmos o inegociável, nem tampouco, instrumentalizarmos as pessoas com vistas ao nosso sucesso pessoal. Os pressupostos do reino nos motivam a vivermos uma vida justa, reta e equânime, onde nem sempre ganhamos. Pense nisso!”.
    Por Tiago Chagas, para o Gospel+

    • Uai qual é a culpa dos evangélicos?? pq não quer participar dos dogmas católicos??

      Liberdade de culto amigo, se eu não concordo com tais praticas isso é meu direito e é direito desses evangelicos mexicanos. Safados são esses religiosos, não estou falando dos católicos que são contra isso, eu estou falando os que são a favor desta inquisição.

  3. Que o papa crie uma comissão para averiguar essa perversidade, pois se for realmente verdade, ele deve admoestar seus fieis a parar, sé for mentira da imprensa, então que reponha a verdade, afinal os verdadeiros católicos não aceitam isso, pelo menos acho que não.

  4. O papa Francisco em vídeo recente pediu pela união dos cristãos, mas na prática a igreja católica ainda faz pressão sobre seus “irmãos”? Será que a união que se deseja é que os evangélicos sigam os dogmas católicos ( como a festa aos santos ) para que esta união se concretize? Impossível, pois os cristãos de fato não veneram, adoram ou se prostram perante estátuas feitas por mãos de homens, mas somente servem ao único Deus verdadeiro.

  5. Irmâos nâo é de hoje que oe irmaos evangelicos do México sofrem perseguicâo, e o papa que diz pregar a paz nada faz, ser;a porque? será que ele nao tem conhecimento do que esta acontecedo la? Claro que sabe, mas porque a indiferenca? Inquisicao fria? …..Mas isso tudo é a bíblia se cumprindo.

  6. Parem de falar bobagem. A perseguição no Chiapas não é de hoje. Essa cidade mexicana já fez muito pior contra os evangélicos. Pesquisem e descobrirão a verdade. Se possível vão lá para sentir na pele que a perseguição católica é uma realidade.

DEIXE UMA RESPOSTA