Ex-deputado, condenado por tráfico de menores, acusa a Igreja Universal de forjar o crime para acusá-lo

44

O ex-deputado estadual Fausto Henrique Oliveira, que foi preso sob acusação de formação de quadrilha e tráfico de menores, acusa a Igreja Universal de ter forjado o crime para que ele fosse preso. O pastor Fausto, como é conhecido, afirma que a igreja armou contra ele por ele ter deixado a instituição.

Oliveira deu essa declaração nessa terça-feira (20) na Câmara Municipal de João Pessoa (PA), onde também afirmou que pretende voltar para a política, apesar de ter dito em 2012 que não iria mais se candidatar pelo estado da Paraíba.

O ex-deputado foi preso em Teresina, Piauí, em 2011. De acordo com o PB Agora, o Oliveira foi preso junto com uma mulher identificada como Michele, após terem roubado uma criança de apenas 30 dias de vida.

Porém, o ex-pastor da Universal afirma que sua prisão foi um abuso da Justiça, e que o suposto crime foi uma armação da igreja, como “vingança” por ele ter abandonado a instituição religiosa.


– Aquela igreja é muita ostentação e falsidade, toda mídia em torno da minha prisão foi porque eu tinha saído da igreja Universal. Quero que a população me julgue nas urnas, porque eu vou voltar. A Justiça não tinha provas contra mim, foi uma armação da Igreja – afirmou Oliveira, que ainda acredita que a população pode recolocá-lo nas cadeiras da Assembleia Legislativa.

Por Dan Martins, para o Gospel+


44 COMENTÁRIOS

  1. Essa acusação desse ex-pastor da iurd contra a universal é grave. Que a iurd odeia os ex-iurd’s isso é publico e notório, pois os ex- membros, pastores, obreiros etc, sabem das distorções que há lá dentro da iurd, e divulgam mesmo… mas essa agora de incriminar um ex-pastor, essa aí eu não tinha ouvido falar.

    Tomara a Deus que seja mentira desse ex-pastor, pois na iurd, na membresia e obreiros existem pessoas sérias, com compromisso com Deus e não podem ser manchadas com mais este escandalo.

    Também… cristianismo misturado com a política desse mundo, em profundo desacordo com a palavra de Deus, só pode resultar nesses escandalos…

    Pastor tem que pastorear a igreja que Deus lhe confiou e não se meter em negócios dessa vida!

    Como esquecer do caso do ex-bispo rodrigues… um clássico exemplo do erro ” política dos homens – evangelho de Cristo ” juntos…

    política e evangelho são como água e óleo… mas os lideres misturam as coisas…

    • MEU AMIGO APOSTO COMO VC É MAS UM Q GOSTA DE FALAR MAL DE ISTITUIÇÃO…
      E TUDO Q ESSE SENHOR FALOU É APENAS UMA FORMA E ESTRÁTEGIA DE TENTA ENTRA NA POLÍTICA USANDO A UNIVERSAL PRA SE PROMOVER …

      É TÃO SIMPLES BASTA VER A ARROGANÇA COMO ELE SE EXPRESSA…….

      • Esta PESSOA, não apenas gosta de criticar diariamente as instituições mas, sente prazer em deslanchar seu ÓDIO gratuitamente contra a IURD.
        Só lamento, esta PESSOA não faz a mínima ideia ao quem está perseguindo!
        Que DEUS abençoe a todos.

        • Jó gomes

          quem é o “homem de Deus” que disse certa vez:

          “quem quiser dar amém… quem não quiser que se dane… ou dá ou desce, entendeu como é que é?”

          E aí, jó gomes… tá dificil de descobrir, quem é esse líder, muito “preocupado” com as almas?

          • Pega leve STARDUST, tu sabes muito bem que não vou fazer parte deste teu medíocre fuxico religioso de 5ª.
            Afinal de contas que forma de Cultuar a DEUS mais intrigante você professa!!!
            Pára de tanto ÓDIO contra tudo e contra todos.
            Tenho dito.

          • jó gomes

            vestiu a carapuça?

            a palavra do seu lider falou contigo? kkkkkkkkkkkkkkkkkk

            fuja… vc é iurdiano… é da sua natureza…

      • JOEL CARVALHO – DF disse: 26 de junho de 2013 ás 9:57 pm

        Artigo: Fundador e pastores da Igreja Maranata são presos durante investigação de desvio de dízimos

        Não sei do que se trata a discussão em seus pormenores(peguei o bonde andando), mas queria fazer uma intervenção, que é possível a respeito de uma fala de um dos debatedores, e que eu posso provar que ele está errado:

        “PROVAS de que o povo da IURD, ou os obreiros não são abençoados ???”

        TENHO um cunhado e uma concunhada, que são obreiros da IURD, e lá entregaram uma PADARIA e um FORD Pampa nessas CAMPANHAS MALUCAS e ANTI-BÍBLICAS da IURD. Perderam todos os bens para a IURD. Hoje, moram em uma casa que outra cunhada comprou e doou para eles morarem. Alimentam-se precariamente, exceto quando os parentes doam alimentos melhores para eles, pois se dermos dinheiro eles dão na IURD. É uma verdadeira patologia.

        OBS.: MEU nome é esse mesmo, e posso provar tudo o que disse! DESAFIO a qualquer um!

          • edy mancebo
            Não siga conselhos da stardust Jussara,que não é Deus que a aconselha,tem um ditado que diz assim :cobra que acompanha sapo morre afogada cuidado.
            Ele pegou do dízimo para comer carne agora tai quase morta.

          • edy mancebo

            Eu sempre uso dinheiro que os pastores que distorcem a palavra dizem que é o dízimo (mas nós sabemos que dízimo sempre foi alimento nunca dinheiro) e uso para comprar algo util, geralmente alimento.

            Gosto de carne suína, e gosto de comprá-la e consumi-la no sábado.

            Para os fariseus, isso é blasfemia… Como pode pegar o dinheiro do dízimo, comprar carne de porco e comer ela num sábado???

            Mas nós que cremos no sacrifício de Cristo não temos esse problema…

            E faço isso há tempos… É um hábito meu…

            Não fiquei dodói por conta disso e outra… Não estou quase morrendo… Eu nem precisei de internação…

            É que vc sabe né? Os fariseus querem a morte de quem fala a vdd bíblica ainda mais dos que falam a vdd sobre dízimos!

          • Jussara stardust
            Explica então qual a sua doença.
            —————————-_
            Edy mancebo
            Você concorda em tocar no dízimo?
            Você concorda que isto é uma atitude de um verdadeiro cristão?

          • edy

            Vc não teria mais nenhum daqueles “estudos” copiados da internet, igual aquele que vc postou meses atrás?

            Lembra que eu desmascarei aquele estudinho meia-boca em favor de dízimos biblicamente ponto a ponto e vc sumiu na época?

            Imagina a sua cara no chão na época edy? Nem copiando texto dos outros vc conseguiu provar essa heresia de dízimos…

            Edy… Continue tentando provar que dízimo ainda está em vigor, pois quanto mais eu biblicamente desmascaro suas teorias mais pessoas aprendem a vdd…

            Essa semana mais uma pessoa relatou que meus comentários ajudaram ela a ver que dízimo é conversa fiada.

          • edy

            “(Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade)” (Efésios 5:9)

            Vc tem bondade edy? lembra do que fez com o edson souza?

            Vc tem justiça edy? tem ISENÇÃO pra falar da iurd? vc não tem acesso aos “bispos” universais? claramente mostra que tem cargo dentro da organização iurdiana.

            Vc tem verdade edy? que disse que me mandaria email com o seu trabalho e nunca mais tocou no assunto, enganou o edson souza, e disse que não era da iurd…

            Esses são seus frutos edy? de iurdiano? de dizimista?

            Deus me livre desse “cristianismo” da iurd, onde vc pode mentir, enganar, ter vida dupla, desde que dê o dízimo e faça fogueira santa…

  2. Tbm deveria ser considerado crime de tráfico de menores o aliciamento de jovens abaixo da idade legal a abandonarem familia e estudos para serem transferidos para outras cidades, estados e ate’ mesmo paises, como certas SEITAS fazem.

  3. Isto não é cristianismo, é uma Babel que afasta as pessoas de Deus e faz o trabalho do diabo! E ele fica feliz…gente, tem de prestar contas a Deus por isso!

  4. ATENÇÃO: DEVIDO A REPERCUSSÃO DO ESTUDO QUE DESMASCARA A FARSA DOS DÍZIMOS TER CAUSADO POLÊMICA E ATAQUES FEROZES DOS QUE SE RECUSAM A ACEITAR A VERDADE BÍBLICA SOBRE ESSA DOUTRINA MERCANTILISTA, VAMOS FAZER UM DESAFIO AOS “PRÓ-DÍZIMOS”…

    A falsa doutrina dos dízimos nos dias de hoje, ensina basicamente isso: Que todo cristão tem o mandamento bíblico de separar 10% de sua renda ( salários e ganhos diversos ) e entregar numa denominação evangélica aos cuidados de um suposto homem de Deus (notadamente, um pastor ou similar). A não entrega desse valor, chamado por eles de dízimo, pode acarretar, segundo essa doutrina, a sujeição do cristão aos ataques de um demônio chamado “devorador”, ser espiritual este, segundo ainda esta doutrina o mesmo mencionado em malaquias 3:11. O que não se sujeita a entregar os dízimos conforme especificado acima, também estaria pondo sua própria salvação em risco, pois ainda segundo essa doutrina, quem não dá dízimo é ladrão.

    Agora, porém, em confronto com essa doutrina de dízimos ainda perdurar e segundo eles ser obrigatória aos cristãos, estaremos fazendo 10 perguntas que os pastores que insistem em receber dizimos não conseguem responder:

    1 – Dízimo na bíblia sempre foi alimento (Levíticos 27:30,32 ; Deuteronômio 12:17)… aonde na bíblia ele se tornou dinheiro?

    2 – Dízimo era mandamento do velho testamento somente para os israelitas ( Levíticos 27:30-34) … aonde no novo testamento da bíblia, foi confirmado esse mesmo mandamento aos cristãos?

    3 – Dízimo deveria ser entregue somente aos sacerdotes levitas (Números 18:26, hebreus 7:5)… aonde na bíblia, os pastores de hoje substituiram esses sacerdotes levitas para poderem tomar dízimos?

    4 – Dízimo era destinado ao sustento dos levitas, dos órfãos, estrangeiros e viúvas (Deuteronômio 26:12)… aonde na bíblia ele se tornou exclusivo dos pastores e bispos das denominações evangélicas?

    5 – Se o mandamento do dízimo é anterior a lei de moisés, e abraão é exemplo de “dizimista fiel” antes da lei, então porque Abraão entregou dízimo somente dos despojos da guerra que ele venceu ( genesis 14:20; hebreus 7:4 ), e não de toda a sua riqueza já acumulada? (genesis 13:2 )

    6 – Se ” a césar o que é de césar e a Deus o que é de Deus “, é uma citação de Jesus sendo favorável ao pagamento de impostos desse mundo e da mesma forma pagamento de dízimos à Deus, então porque Jesus mencionou o pagamento do imposto de césar antes do “imposto de Deus”, visto que o dízimo deveria ser a primeira coisa a ser separada? Jesus disse ” a césar o que é de césar” e Jesus deu exemplo disso, ao pagar o imposto de césar (Mateus 17:24-27), para dar o exemplo que se deve pagar o imposto de césar ( impostos desse mundo ) mas se “a Deus o que é de Deus” se refere à dízimo, aonde Jesus devolveu dízimo, para nos esse exemplo, da mesma forma que fez ao pagar o imposto de césar?

    7 – Se devemos dizimar porque Jesus não falou nada contra o dízimo, então devemos nos circuncidar também? visto que Jesus também não falou contra a circuncisão aos israelitas e a circuncisão também é mencionada antes da lei de moisés (genesis 17:10).

    8 – Se quem é dizimista será salvo, então porque o Senhor Jesus precisou vir aqui na terra, cumprir a lei de moisés e morrer pelos nossos pecados? os israelitas já tinham o mandamento de dizimar (levíticos 27:30-32)… não bastava eles somente continuarem dizimando para serem salvos? quem nos dá a salvação? Quem salva é Jesus ou o dízimo ?

    9 – Aonde vemos Jesus e/ou os apóstolos, recebendo dízimos dos cristãos para que a obra de Deus fosse feita? aonde vemos no novo testamento que o dízimo é obrigatório para manutenção de um templo físico ?

    10 – No velho testamento vemos claramente os israelitas recebendo o mandamento de dizimarem e entregando o dízimo ( Levítico 27:30-32; II Crônicas 31:6; Neemias 13:12 ), Mas aonde no novo testamento vemos os cristãos recebendo a ordem de dizimar e um seguidor de Jesus, ou seja, um cristão dizimando?

    CONCLUSÃO: Eu já fiz estas 10 perguntas à vários pastores que insistem no erro de ensinar que dízimos são obrigatórios para os cristãos, mas nunca obtive uma resposta. O que comprova que realmente, essa doutrina mercantilista dos dízimos não passa de doutrina criada por homens, sem embasamento bíblico.

    O Senhor Jesus já advertiu sobre esse tipo de erro: “E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Marcos 7:7)

  5. STARDUST, eu tenho até uma certa simpatia por você, mas comprar pernil com dinheiro do dízimo me aparece uma afronta. Você pode até fazer isso, sem problema, sua vida pessoal, sua consciência com Deus, mas postar aqui que o fez, ainda em um sábado, parece uma provocação, ninguém precisava saber o que você faz com o dinheiro do seu dízimo.

    Parece que você deixa de dar o dízimo levada pela glutonaria, e por isso está gorda (eu não te conheço, mas seus amigos aí que te conhecem até pelo nome, Jussara, dizem que está gorda). Glutonaria é tão pecado como qualquer outro.

    Você diz que a Lei foi abolida, isso é verdade. Mas a Lei de Deus é boa e santa. Ela não leva ninguém à salvação, mas acredito que se foi Deus quem a instituiu, ela é boa. Não há obrigação de observá-la, mas também devemos meditar nela, pois foram recomendações do próprio Deus.

    Se Deus instituiu 10% para aqueles que não tinham herança (levitas), para que haja mantimento no seu templo, para os órfãos, as viúvas e os necessitados, é porque ele julgou que era uma quantia boa e razoável, e que não faria falta ao dizimista. Não há mais levitas nem templo, mas ainda há os pobres. Jesus disse que eles sempre estariam conosco. E Tiago diz que essa é a religião pura e verdadeira: manter-se longe da corrupção do mundo e visitar as viúvas e órfãos em suas tribulações. Portanto, se não concorda em dar o dízimo para uma instituição religiosa, de aos pobres, mas gastar tudo com pernil é glutonaria enquanto tem muitos passando fome, aí já é demais.

    • edy mancebo

      Vc está me julgando pelo o que seus amigos da iurd falam sobre mim.

      comprar pernil com o dinheiro do dízimo lhe parece uma afronta? Nós que cremos no sacrifício perfeito de Cristo, sabemos que podemos comer carne de porco, em qualquer dia, inclusive no sábado e não temos obrigação de separar 10% de nossa renda em favor de um templo relgioso físico…

      Lembre-se que Jesus comia entre os pecadores, bebia com eles e até pediu para pousar na casa de um deles… lembra de zaqueu, o publicano?

      Isso certamente era uma afronta aos fariseus zelosos da lei… da mesma forma que a minha atitude é uma afronta aos fariseus religiosos de hoje…

      Ah… vc diz que eu poderia até fazer mas não divulgar publicamente aqui… ora… porque vc não diz isso também ao seu lider edir macedo, que disse publicamente que bebe cerveja e vinho e ninguém tem nada com isso…

      dois pesos e duas medidas, edy mancebo?

      Deixa eu explicar como eu faço… quando eu recebo algum valor, eu nunca separo antes uma quantia para dar em qualquer denominação, seja dízimo (que foi abolido) ou ofertas ( que ainda são mantidas )… conforme a orientação do Espírito santo, eu faço minha contribuição, seja em alguma obra de evangelismo, ou ajuda a um necessitado.

      eu nunca separo antes 10%, ou menos ou mais e depois o restante passo a usar comigo mesmo… eu sei que não estou preso a porcentagens, muito menos nem a doutrinas de homens!

      eu não sabia que comer pernil era significado de glutonaria… aliás, edy mancebo… vc sabe o que é glutonaria? vá ao dicionário de língua portuguesa, e aprenda que glutonaria nada tem a ver com o consumo de carne suína.

      Edy mancebo… eu disse que gastei 10% da minha renda do sábado num pernil… e vc me julga por causa disso, não ajudar aos pobres…

      E vc sabe por acaso o que eu fiz com os 90% restantes?

      ” Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça.” (João 7:24)

    • “Ai de vós escribas e fariseus hipócritas, pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé. Deveis porém fazer estas coisas e não omitir aquelas” Mt 23:23

      “Estas coisas” – deveis fazer… ( praticar o juízo, a misericórdia e a fé )
      e “Não omitir aquelas” = ( dar o dízimo )

      “Não omitir” não é “DEVE fazer”, mas se vc quiser continue dando.

      Em nenhum momento vi Jesus condenar o dízimo…

          • jeann

            vou falar bem devagar pra vc entender ok?

            a-o-n-d-e
            J-E-S-U-S
            f-a-l-o-u
            c-o-n-t-r-a
            a
            c-i-r-c-u-n-c-i-s-ã-o ?

            Paulo não é Jesus, ok?

          • Ambos pregam a respeito da nova aliança, o que Paulo fala não vale mais ?

            “Sede meus imitadores como eu (Paulo) sou de Cristo” 1 Co 11:1
            Se ele é imitador de Jesus, ele não prega o que Jesus pensa ?

            Me mostra onde Paulo ou algum outro discípulo que condene o dízimo então.

          • jeann

            Jesus e Paulo falavam sobre a nova aliança, mas Jesus veio cumprir a lei!

            A lei foi abolida com o sacrifício de Cristo na cruz… quando Paulo iniciou seu ministério, os cristãos já não precisavam seguir a lei de moisés.

          • Stardust,
            “Não pensem que vim ABOLIR a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir” Mateus 5:17

            Dá uma olhada no comentário acima que fiz ao Eduardo.

          • jeann

            mas aonde eu disse que Jesus aboliu a lei de moisés?

            É obvio que Jesus nunca aboliu a lei enquanto viveu entre nós… inclusive em mateus 5:17-18, Ele fala claramente que veio cumprir a lei, e não aboli-la…

            O que aboliu a lei foi o SACRIFÍCIO de Jesus! A sua morte aboliu a lei!

            ” e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz;” (Colossenses 2:14)

            ENTENDEU A DIFERENÇA, FILHO?

      • Jesus era cumpridor da Lei JEANN, não só dos dízimos, mas ele sacrificava no templo, guardava o sábado, comemorava a Pessach (páscoa judaica), e tudo que era exigido da Lei. E como sei disso? Por que o próprio Jesus disse:

        “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
        Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus”. Mateus 5:17-19.

        Jesus não só cumpriu a Lei durante toda a sua vida, mas ensinou como cumpri-la sem legalismo, sem hipocrisia, com justiça, amor e misericórdia. Ele mostrou que não se deve ser radical e colocar o sábado acima da misericórdia para com os homens, e que os fariseus estavam mais ligados à tradições humanas do que às Leis de Deus, por exemplo, quando deixavam de ajudar os pais (honrar pai e mãe) para dar oferta para o Templo (corbã). Ensinou que a nossa justiça deve não se igualar ou ser menor que a dos fariseus, mas ser superior. Não se deve deixar de cumprir a Lei, mas ir além dela. Enquanto a Lei diz: ama seu próximo, ele nos ensina a ir além: ama também seu inimigo.

        Quando Jesus estava vivo, não houve o sacrifício que nos libertou da maldição da Lei, portanto, todos estavam sujeitos à Lei. Como Jesus ensinaria algo que fosse contrário à Lei, se ela ainda vigorava? Por isso, ele disse para que os fariseus continuassem dando o dízimo. Ele em nenhum momento separou o dízimo do resto da Lei. Enquanto a Lei era válida, o dízimo também o era. Não se pode separar uma coisa da outra.

        Portanto, a partir do momento em que a Lei se cumpriu em Jesus, e passamos a sermos salvos pela Graça, a Lei e todos os seus mandamentos e preceitos, inclusive o dízimo, deixaram de ser quesito para a salvação. Logo, o dízimo deixou de ser obrigatório.

        Não significa que não possa dar o dízimo. Mas o dízimo deixou de ser obrigatório. Pois, se quem deixa de dar o dízimo, rouba a Deus, conforme a Lei, este se torna ladrão, e está escrito que os ladrões não herdarão o Reino dos Céus. Sendo assim, o dízimo passa a ser quesito da salvação. Isso é verdade? Sabemos que não. Em nenhum momento Jesus estabeleceu o dízimo como quesito para a salvação, pois seu sacrifício foi suficiente. Portanto, não há como separar o dízimo do resto da Lei.

        Veja um texto escrito por um rabi, que com certeza entende muito mais de dízimos do que nós:

        “Antes de Moshe (Moisés), o dízimo não é relatado na Bíblia como sendo uma mitsvá (mandamento). Portanto, ou a Toráh ainda é válida (e aí temos que seguir também os outros mandamentos), ou o dízimo também foi abolido. É preciso haver coerência.

        Se uma igreja defende que a Toráh foi abolida e ainda assim cobra o dízimo, está sendo hipócrita. Se o dízimo é definido na Toráh, que direito temos de escolher aquilo que é conveniente da Torá e aplicar aos dias de hoje, ignorando o restante? Isto é zombar do Eterno!

        “Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem; E dirás perante o SENHOR teu Deus: Tirei da minha casa as coisas consagradas e as dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão e à viúva, conforme a todos os teus mandamentos que me tens ordenado; não transgredi os teus mandamentos, nem deles me esqueci” Devarim 26,12-13

        A tsedacá é um dos 613 preceitos dados por D’us no Monte Sinai ao povo judeu.”Tsedacá” não é caridade, mas justiça. D’us permitiu que existissem pobres e ricos para que os seres humanos exercecem bondade e justiça uns com os outros transformando seu livre arbítrio em ações positivas.

        Qual a origem da mitsvá de Tsedacá?

        A Torá declara: “Se houver um carente entre seus irmãos, numa de suas cidades, na terra que D’us deu a vocês, não endureçam seus corações nem fechem a mão a seu irmão carente. Vocês definitivamente devem abrir suas mãos e lhe emprestar o suficiente para o que lhe faltar” (Devarim 15:7,8)”

        Na época do Templo Sagrado, os Cohanim e Leviim eram os representantes do povo de Israel, dedicando seu tempo para o serviço Divino.Estes não receberam uma porção de terra para o cultivo, como as outras tribos, pois moravam na região do Templo em Jerusalém ou em cidades designadas para eles. Estas tribos, que tanto dedicavam-se em prol de Israel, eram sustentadas pelo povo. Os dízimos mencionados acima eram consumidos pelos Cohanim e Leviim e suas famílias. Uma vez que não há mais pessoas da tribo de Levi trabalhando no Templo Sagrado, todo judeu tem a obrigação de dar um décimo de seu lucro para caridade e ajuda aos necessitados. Isto inclui desde comida para pobres, até bolsas de estudos e projetos e a qualquer indivíduo ou instituição beneficente de nossa escolha.

        Se seu pastor destina seu dizimo aos nescessitados, faz bem e ofertar. Mas se ele não destina seu dizimo a quem nessessita como manda a lei, você esta dizimando para um homem ja abastado e não para um pobre. Você esta se enganando, mas à Deus não. Pense nisso!”

        Metushelach Ben Levi

        • eduardo nobre

          bela explicação. Meu estudo sobre as 10 maiores mentiras sobre o dízimo fala justamente dessa hipocrisia… os pastores dizem que não devemos seguir a lei de moisés, mas baseados na lei de moisés eles exigem dízimos…

          por essas e outras hipocrisias o povo tá lendo a biblia e deixando essas denominações que no fim, são empresas constituidas!

          • Eduardo,
            Veja bem o que diz em Mateus 5:17 “Não pensem que vim ABOLIR a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir”. Abolir é o mesmo que “demolir, dissolver, destruir”, tem o mesmo sentido de “dar um fim”, ou seja, “tornar inútil, privar do sucesso”.
            Claramente Ele não aboliu de vez a Lei, mas veio cumpri-la (a Lei e as profecias).

            Por exemplo:
            A respeito do sábado, Ele não “aboliu”, ele cumpriu a profecia de Lamentações 2:6.
            A respeito da circunsisão, Paulo explica que a verdadeira circunsisão é a do coração (Rm 2.25-29), observe que foi modificado, e não abolido.
            A respeito dos sacrificios, João explica em João 1:29 que Jesus é o cordeiro de Deus.

            A respeito de Hebreus 8:13 “… a nova aliança torna antiquada a antiga…”, mostra que não mais é necessário adoração no tabernáculo terreno (que é o texto em seguida).

          • Sim, eu li o seu estudo, ele é realmente excelente e completo. Mas a questão da hipocrisia dos dízimos é puramente carnal, e não há intelecto que vença a vontade da carne, somente o Espírito vence a carne, e a estes falta o Espírito de Deus.

            Eles pensam, que cristãos como você, que pregam contra a obrigatoriedade do dízimo, são contra o dízimo. Mas não é assim. O dízimo é algo bom, pois foi uma quantia estabelecida pelo Eterno, em sua sabedoria. Não há nada de errado se alguém quiser separar 10% da sua renda para ajudar a sua congregação. Não sou contra isso. Sou contra a obrigatoriedade de se fazer isso. Pois, se quem não dá dízimo é ladrão, não entrará no Reino dos Céus, logo, o dízimo passa a ser quesito para salvação, anulando a Cruz e a Graça.

            E porque a exigência do dízimo é carnal? Por que os pastores e as ovelhas defensoras do dízimo, acham que sem o dízimo a igreja não se manteria. Então, pregam uma mentira (obrigatoriedade do dízimo), alegando uma boa causa (manter a igreja). Para eles, os fins justificam os meios. E por isso são carnais: creditam a manutenção da igreja ao dinheiro. Não crêem que Deus é quem mantém a obra, com dízimos ou sem dízimos. Não acreditam, que se falarem a verdade, Deus continuará mantendo a obra, mas acreditam que se perderem a fidelidade do dízimo, a obra cairá. Ora, então quem segura a igreja é Mamon, e não Deus, pois Deus não corrobora com a mentira, e nem precisa de estratégia para manter seus escolhidos.

            “Mas há alguns de vós que não crêem. Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele.
            Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos?”
            João 6:64-67

            Isso mostra que Jesus não se preocupava nem um pouco em usar estratégia para segurar fiéis, mas queria com ele os que voluntariamente o seguiam, de coração e entrega, esses, os que o Pai havia escolhido.

          • EDUARDO NOBRE

            vc disse tudo… não há problema em alguém ajudar a congregação com 10% de seu salário mensal, o problema é quando os lideres ensinam que isso é obrigatório, que quem não fizer isso não será salvo, que quem não faz é ladrão e rouba a Deus e comparam isso com o dízimo mencionado em leviticos 27:30-32 e malaquias 3:10…

            obviamente, se percebe aí, a má fé dos lideres, pois usam um fato bíblico, o dízimo que deveria ser entregue pelos isarelitas e tentam impor isso aos cristãos, que sabidamente nunca tiveram mandamento de dizimar, da mesma forma que nunca tiveram mandamento de guardar sábado, evitar carne de porco, se circuncidarem…

            A hipocrisia deles é tanta, que dizem que a lei não é para nós cristãos, mas o dízimo que era obrigatório na lei, esse aí, eles mantiveram!

            Eu sei que nos bastidores das denominações, os lideres sabem que dízimos não tem nada a ver com o evangelho, mas fazem de tudo pra essa verdade não vazar pro povo, senão vc já sabe né?

            como eles vão sustentar os carros luxuosos, manterem suas mansões, jatinhos particulares, emissoras de tv…

            Mas a verdade está sendo dita… e os lideres estão preocupados com isso!

  6. Jesus era cumpridor da Lei JEANN, não só dos dízimos, mas ele sacrificava no templo, guardava o sábado, comemorava a Pessach (páscoa judaica), e tudo que era exigido da Lei. E como sei disso? Se Jesus deixasse de cumprir a Lei, ele teria pecado, por desobedecer a Lei de seu Pai. E sabemos que Jesus não pecou, mas foi o único que cumpriu plenamente a Lei. Como ele poderia então, aconselhar os fariseus a não darem o dízimo e desobedecer a Lei, que ele mesmo seguia? O próprio Jesus disse:

    “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
    Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus”. Mateus 5:17-19.

    Jesus não só cumpriu a Lei durante toda a sua vida, mas ensinou como cumpri-la sem legalismo, sem hipocrisia, com justiça, amor e misericórdia. Ele mostrou que não se deve ser radical e colocar o sábado acima da misericórdia para com os homens, e que os fariseus estavam mais ligados à tradições humanas do que às Leis de Deus, por exemplo, quando deixavam de ajudar os pais (honrar pai e mãe) para dar oferta para o Templo (corbã). Ensinou que a nossa justiça deve não se igualar ou ser menor que a dos fariseus, mas ser superior. Não se deve deixar de cumprir a Lei, mas ir além dela. Enquanto a Lei diz: ama seu próximo, ele nos ensina a ir além: ama também seu inimigo.

    Quando Jesus estava vivo, não houve o sacrifício que nos libertou da maldição da Lei, portanto, todos estavam sujeitos à Lei. Como Jesus ensinaria algo que fosse contrário à Lei, se ela ainda vigorava? Por isso, ele disse para que os fariseus continuassem dando o dízimo. Ele em nenhum momento separou o dízimo do resto da Lei. Enquanto a Lei era válida, o dízimo também o era. Não se pode separar uma coisa da outra.

    Portanto, a partir do momento em que a Lei se cumpriu em Jesus, e passamos a sermos salvos pela Graça, a Lei e todos os seus mandamentos e preceitos, inclusive o dízimo, deixaram de ser quesito para a salvação. Logo, o dízimo deixou de ser obrigatório.

    Não significa que não possa dar o dízimo. Mas o dízimo deixou de ser obrigatório. Pois, se quem deixa de dar o dízimo, rouba a Deus, conforme a Lei, este se torna ladrão, e está escrito que os ladrões não herdarão o Reino dos Céus. Sendo assim, o dízimo passa a ser quesito da salvação. Isso é verdade? Sabemos que não. Em nenhum momento Jesus estabeleceu o dízimo como quesito para a salvação, pois seu sacrifício foi suficiente. Portanto, não há como separar o dízimo do resto da Lei.

    Veja um texto escrito por um rabi, que com certeza entende muito mais de dízimos do que nós:

    “Antes de Moshe (Moisés), o dízimo não é relatado na Bíblia como sendo uma mitsvá (mandamento). Portanto, ou a Toráh ainda é válida (e aí temos que seguir também os outros mandamentos), ou o dízimo também foi abolido. É preciso haver coerência.

    Se uma igreja defende que a Toráh foi abolida e ainda assim cobra o dízimo, está sendo hipócrita. Se o dízimo é definido na Toráh, que direito temos de escolher aquilo que é conveniente da Torá e aplicar aos dias de hoje, ignorando o restante? Isto é zombar do Eterno!

    “Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem; E dirás perante o SENHOR teu Deus: Tirei da minha casa as coisas consagradas e as dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão e à viúva, conforme a todos os teus mandamentos que me tens ordenado; não transgredi os teus mandamentos, nem deles me esqueci” Devarim 26,12-13

    A tsedacá é um dos 613 preceitos dados por D’us no Monte Sinai ao povo judeu.”Tsedacá” não é caridade, mas justiça. D’us permitiu que existissem pobres e ricos para que os seres humanos exercecem bondade e justiça uns com os outros transformando seu livre arbítrio em ações positivas.

    Qual a origem da mitsvá de Tsedacá?

    A Torá declara: “Se houver um carente entre seus irmãos, numa de suas cidades, na terra que D’us deu a vocês, não endureçam seus corações nem fechem a mão a seu irmão carente. Vocês definitivamente devem abrir suas mãos e lhe emprestar o suficiente para o que lhe faltar” (Devarim 15:7,8)”

    Na época do Templo Sagrado, os Cohanim e Leviim eram os representantes do povo de Israel, dedicando seu tempo para o serviço Divino.Estes não receberam uma porção de terra para o cultivo, como as outras tribos, pois moravam na região do Templo em Jerusalém ou em cidades designadas para eles. Estas tribos, que tanto dedicavam-se em prol de Israel, eram sustentadas pelo povo. Os dízimos mencionados acima eram consumidos pelos Cohanim e Leviim e suas famílias. Uma vez que não há mais pessoas da tribo de Levi trabalhando no Templo Sagrado, todo judeu tem a obrigação de dar um décimo de seu lucro para caridade e ajuda aos necessitados. Isto inclui desde comida para pobres, até bolsas de estudos e projetos e a qualquer indivíduo ou instituição beneficente de nossa escolha.

    Se seu pastor destina seu dizimo aos nescessitados, faz bem e ofertar. Mas se ele não destina seu dizimo a quem nessessita como manda a lei, você esta dizimando para um homem ja abastado e não para um pobre. Você esta se enganando, mas à Deus não. Pense nisso!”

    Metushelach Ben Levi

    • Eduardo,
      Veja bem o que diz em Mateus 5:17 “Não pensem que vim ABOLIR a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir”. Abolir é o mesmo que “demolir, dissolver, destruir”, tem o mesmo sentido de “dar um fim”, ou seja, “tornar inútil, privar do sucesso”.
      Claramente Ele não aboliu de vez a Lei, mas veio cumpri-la (a Lei e as profecias).

      Por exemplo:
      A respeito do sábado, Ele não “aboliu”, ele cumpriu a profecia de Lamentações 2:6.
      A respeito da circunsisão, Paulo explica que a verdadeira circunsisão é a do coração (Rm 2.25-29), observe que foi modificado, e não abolido.
      A respeito dos sacrificios, João explica em João 1:29 que Jesus é o cordeiro de Deus.

      A respeito de Hebreus 8:13 “… a nova aliança torna antiquada a antiga…”, mostra que não mais é necessário adoração no tabernáculo terreno (que é o texto em seguida).

      • Exatamente JEANN, foi isso que eu disse, Jesus foi o único que cumpriu plenamente a Lei. Antes de Jesus, o homem só se salvaria pelas suas obras, não havia Graça, e as obras eram o cumprimento da Lei. Por isso, Jesus disse que era impossível para o homem se salvar, pois nenhum homem seria capaz de cumprir plenamente a Lei. Se Jesus não tivesse se sacrificado, nenhum de nós seria salvo, todos estaríamos condenados pela Lei, pois ela é santa e boa, mas nós temos natureza pecaminosa.

        Mas quando Jesus se entregou como sacrifício para a redenção dos homens, o cumprimento da Lei, que era impossível aos homens, deixou de ser o quesito para a salvação, este passou a ser exercer fé em Jesus e na salvação oriunda do seu sacrifício. Ou seja, ninguém mais é salvo pela Lei, mas pela fé na Graça.

        Se não fosse assim JEANN, não bastaria exercer fé na Graça de Deus para a salvação, mas você ainda teria que guardar o sábado, cumprir todos os ritos religiosos, ser circuncidado, não comer carne de porco, etc.., ou seja, não mudaria nada o sacrifício de Jesus, pois você ainda dependeria do cumprimento da Lei para a salvação. E entre os itens do cumprimento da Lei, estava a obrigatoriedade do dízimo.

        Os judeus não crêem em Jesus como o Mashiac, por isso ainda seguem a Torah. Eles não dão mais o dízimo no Templo, que fora destruído, e também não dão mais ao levita, que não existe mais, visto que depois da destruição da Jerusalém, não se tem mais registro de quem pertence a tal tribo. Mas ainda, para cumprir o mandamento do dízimo, dão aos pobres, que eram outros que se beneficiavam do dízimo.

        “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé”. Gálatas 3:10-11.

      • “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé. Ora, a lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá”. Gálatas 3:10-12

        Veja bem JEANN, se o dízimo passa a ser quesito para a salvação (pois quem não der o dízimo, se torna ladrão), ainda vive pela Lei (pois o dízimo como mitzvá fazia parte da Lei). Se vive pela Lei, deverá cumpri-la toda, pois maldito o homem que não cumprir cada letra da Lei. Se pela Lei é salvo, aboliste para você o sacrifício de Cristo:

        “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído”. Gálatas 5:4

  7. “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé. Ora, a lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá”. Gálatas 3:10-12

    Veja bem JEANN, se o dízimo passa a ser quesito para a salvação (pois quem não der o dízimo, se torna ladrão, e o ladrão não herdará o Reino dos Céus), ainda vive pela Lei (pois o dízimo como mitzvá fazia parte da Lei). Se vive pela Lei, deverá cumpri-la toda, pois está escrito que maldito é o homem que não cumprir cada letra da Lei. Se pela Lei é salvo, aboliste para você o sacrifício de Cristo:

    “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído”. Gálatas 5:4

    Até mesmo os judeus messiânicos, que crêem em Yeshua como o Mashiach (Messias), e seguem a Torah, admitem que a Lei é boa e santa, mas não é quesito para a salvação. Eles ainda seguem a Torah, por acreditar que ela foi dada por Deus, e beneficia o homem, mas sem hipocrisia, não só a parte que lhes interessa (como os pastores, o dízimo), mas observam toda a Torah. É impossível separar o dízimo como mitzvah (mandamento) da Lei.

    O dízimo é algo bom, excelente, mas torná-lo obrigatório (tornando quem não o faz, ladrão), eleva-o como quesito para salvação, anulando a Cruz. E não se pode seguir somente um item da Lei, mas se pela Lei decidiu viver, toda ela deverá cumprir, e se tornará maldito, pois nenhum homem é capaz de cumprir plenamente a Lei. Por isso está escrito, que para o homem é impossível ser salvo (pois teria que cumprir plenamente a Lei), mas para Deus nada é impossível (para salvar o homem, enviou seu único filho para morrer por nós, abolindo a necessidade da Lei para a salvação).

  8. Poxa vida senhores, vcs não perceberam que o tal Jeann defendo o dizimo com ferocidade pelo fato de talvez ser mais um dizimista fiel e retardado ou porque vive de tais dizimos? a biblia não da sustentação ao que ele prega, mas se ve obrigado a pregar mentiras para tapar sua imbecilidade ou para manter seus meio de sustento. é evidente.

  9. Sou membro da IURD 20 anos, e não sou enganado por ninguém, creio no senhor Jesus, só nele. Há erros nela como em todas as outras igrejas, nos lideres como nos das outras igrejas. Não se preocupem se essa obra é de Deus vai prevalecer, se não cairá. Um dia todos nós estaremos diante do Justo Juiz e será mostrado quem é, e quem não é de Deus. Agora dizer que a IURD é
    Um centro espirita, boca de fumo, voçês estão falando besteiras, quem está sendo enganado eu ou voçês.

DEIXE UMA RESPOSTA