Após rebeliões, igreja promove ação social e doa material de higiene pessoal a detentos

8

A situação caótica das penitenciárias brasileiras há tempos motiva as igrejas evangélicas a desenvolverem projetos sociais para levar aos detentos uma amostra prática do amor pregado no Evangelho.

Na última semana, o Ceará viu uma onda de rebeliões em seus presídios, com os detentos depredando celas e queimando colchões em protesto contra as más condições em que são mantidos.

Em resposta, igrejas de Fortaleza agiram para ofertar materiais de higiene pessoal e aconselhamento às detentas do presídio feminino em Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza.

Através do projeto “Celebrando Restauração e Cidadania”, a Igreja Batista Central (IBC) de Fortaleza, ofertou material de higiene pessoal, atendimento psicológico e palestras para os familiares das detentas.


O projeto não é novo, e vem sendo realizado há cinco anos. Por ocasião da rebelião mais recente, a rádio Tribuna BandNews FM repercutiu a ação coordenada pelo pastor Nelson Massambani.

Outro grupo que presta assistência aos presos na capital cearense é a Pastoral Carcerária, da Arquidiocese de Fortaleza, que oferece há 40 anos assistência religiosa aos encarcerados, além de informação e diálogo entre presos, familiares, funcionários, autoridades e egressos do sistema penitenciário.


8 COMENTÁRIOS

  1. As igrejas devem tomar pra si as demandas dos penitenciários do Brasil, afinal de ponta a ponta se vê o abandono, a humilhação, a ausência de dignidade,onde permeia exagerado número de detentos num mesmo espaço.

    Mutirões de construção de celas e demais necessidades básicas devem ser conduzidas por pastores, pois além de pagar a pena de prisão, o estado brasileiro está punindo essa comunidade dos direitos básicos, fugindo a lei que determina tratar de reassociá-los para quando do retorno.

    Ninguém faz nada?

  2. As igrejas devem tomar pra si as demandas dos penitenciários do Brasil, afinal de ponta a ponta se vê o abandono, a humilhação, a ausência de dignidade,onde permeia exagerado número de detentos num mesmo espaço.

    Mutirões de construção de celas e demais necessidades básicas devem ser conduzidas por pastores, pois além de pagar a pena de prisão, o estado brasileiro está punindo essa comunidade dos direitos básicos, fugindo da lei que determina tratar de reassociá-los para quando do retorno.

    Ninguém faz nada?

  3. As igrejas devem tomar pra si as demandas dos penitenciários do Brasil, afinal de ponta a ponta se vê o abandono, a humilhação, a ausência de dignidade,onde permeia exagerado número de detentos num mesmo espaço.

    Mutirões de construção de celas e demais necessidades básicas devem ser conduzidas por pastores, pois além de pagar a pena de prisão, o estado brasileiro está punindo essa comunidade dos direitos básicos, fugindo a lei que determina tratar de reassociá-los para quando do retorno.

    Ninguém faz nada? Cristo às voltas, mas mesmo assim as igrejas não despertam p/ um chamamento especial nessa direção feita por Ele, estive preso e não me visitastes? Visitar é no sentido amplo, como seja, assistir, doar-se, fazer, e não apenas estar com,

      • Idiota,

        Se o Estado não faz, alguém,por misericórdia, tem que fazer, retornando para ele quando tornar-se maduro, ou seja, quando você souber em quem votar.

    • Kkkkkkk Deixa de você ser louco, vc nao sabe o que diz, a obrigaçao da IGREJA EM SI, é pregar o evangelho, e não sustentar bandidos porque isso é responsabilidade do governo, o que a igreja fez foi só um ato solidário, que tambem ajudou a pregar o evangelho.

DEIXE UMA RESPOSTA