Evento reúne lideranças cristãs para discutir como enfrentar a “epidemia” da pornografia

15

O advento da internet transformou a pornografia em um produto amplamente acessível e maximizou seu potencial de dano. A partir dessa constatação, um grupo com mais de mil líderes cristãos se reuniu no evento Set Free na última segunda-feira, 04 de abril, para discutir ações de prevenção e remediação.

O título do encontro – que traduzido ao português significa “libertar” – dá uma dimensão de como os líderes cristãos estão encarando essa situação: uma epidemia. Dentre os temas abordados nos quatro dias do evento, estão o impacto social, psicológico, neurológico e espiritual da pornografia sobre os dependentes.

Josh McDowell, escritor e evangelista, está participando do evento e considerou que “a pornografia é um problema de saúde pública e que deve ser tratado como um vício perigoso”. Ele citou com preocupação o resultado de um estudo recente executado pelo Barna Group sobre o alcance e danos causados pela dependência desse produto, e que constatou que 67% dos rapazes e 49% das mulheres jovens consideram que consumir material pornográfico seja um “comportamento aceitável”.

Segundo informações da divulgação do evento, serão 30 especialistas debatendo e palestrando sobre o assunto, propondo caminhos para combater a dependência da pornografia, e o papel da Igreja nesse cenário.


O escritor Michael Leahy testemunhou sobre sua superação do vício, e afirmou que a pornografia não depende, necessariamente, dos motivos usuais que levam a outras dependências: “Havia algo sobre a pornografia que agarrou em mim”, afirmou, destacando que sentia-se amado por sua família, mas isso não impediu que ele se tornasse um viciado.

“Aquilo que você alimenta cresce, e o que você não alimenta morre de fome”, lembrou o escritor, citando uma das ferramentas que usou para superar a dependência de 30 anos.

Os danos causados pela pornografia o levaram a uma crise conjugal, com sua esposa desenvolvendo tendências suicidas e o posterior divórcio. Um ano após a separação, ele mesmo passou a pensar em tirar a própria vida, e isso o alarmou para a necessidade de ser ajudado.

O escritor e conselheiro Mark Laaser foi quem exerceu o papel principal de ajuda a Leahy, que hoje se dedica a ajudar pessoas com um problema semelhante, através do ministério Bravehearts (“Corações Valentes”, em tradução livre).

15 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA