Em queda nas pesquisas após ataques, Marina Silva reformula estratégia de campanha e busca aliados

25

As pesquisas mais recentes realizadas sobre a corrida eleitoral mostram que a campanha de Marina Silva (PSB) atravessa um momento de turbulência por causa dos últimos índices que mostram a ex-senadora estagnada ou em queda nas intenções de voto.

De acordo com analistas políticos, os pontos percentuais perdidos por Marina Silva estão justamente aparecendo na campanha do ex-governador mineiro Aécio Neves (PSDB).

De acordo com informações da Rede Brasil Atual, a estratégia de Marina para reagir ao momento de queda nas pesquisas é usar a imagem de tucanos que se aliaram ao PSB para resgatar o interesse de seus eleitores.

Em São Paulo, o falecido Eduardo Campos havia traçado uma parceria com o PSDB em apoio ao governador Geraldo Alckmin, candidato à reeleição com o deputado federal Márcio França como vice. Num primeiro momento, após ser definida como sucessora de Campos, Marina se recusou a aliar sua imagem à de Alckmin, e designou seu candidato a vice, Beto Albuquerque, para honrar o compromisso assumido com o PSDB.


Agora, reconhecendo a solidez da candidatura de Alckmin ao governo de São Paulo – que lidera a disputa com 49% de intenções de voto e deverá ser reeleito no primeiro turno –, e precisando conter a perda de eleitores, Marina já autoriza a veiculação de materiais de campanha que apresentam seu nome ao lado do governador.

Marina e Geraldo Alckmin nunca tiveram nenhum atrito diretamente, e as alianças políticas construídas nos âmbitos estaduais os aproximaram neste ano. O partido que abrigou a candidatura de Marina após a inviabilização da Rede Sustentabilidade é aliado de Alckmin em São Paulo, assim como o PPS, que também integra a coligação da ex-senadora no âmbito federal.

Sobre a Rede Sustentabilidade, a candidata ao Palácio do Planalto desistiu de formar o partido ainda este ano, como forma de demonstrar gratidão e respeito ao PSB por abrigar sua candidatura.

25 COMENTÁRIOS

    • fonte dessa informação estapafúrdia por gentileza!!

      além de que, são os pa$$tores protestantes que levaram candidatos petistas ao seu pulpito para fazer campanha.. como o caso do $ilas e do candidato Lindemberg..

      acorda garoto!!! deixe a hipocrisia de lado.

      • Quem apoia uma candidatura ou partido como o do PT, não deve sequer mencionar o nome de Deus. Deve sim, mencionar o nome de Deus para pedir perdão em dar apoio e compartilhar com tantas sujeiras que já foram descobertos desses formadores de quadrilhas, mentirosos e incompetentes. Como se pode considerar uma pessoa de bem, aquele que apoia os exploradores do povo, os enganadores que consome e lapida o trabalho do povo com suas corrupções. São tantos os desvios, que o povo não tem saúde, não educação, não tem segurança, moradias de péssima qualidade e motivo de corrupção, assim tantas outras obras que esse partido sujo divulga. Começa fazendo uma obra por 1 e quando chega ao final gastou 10. ENQUANTO ISSO O POVO MORRE NAS FILAS e os porcos se banham na luxúria.

    • Principalmente os catolicos do nordeste,são povo simples mais a religiosidade sega e atrapalha a razão deles.são catolicos mais não sabem nada da palavra de Deus.

    • Samuel você foi infeliz na sua colocação. Sou cristão e não concordo com você na sua colocação. A ICAR foi ligada ao movimento social do PT por vários anos devido ao trabalho social forte que ela desenvolve no campo agrário. Agora já ví algumas vezes a própria ICAR se declarando estar fora de qualquer envolvimento com o PT já desde 2 anos ou 3 anos atrás.

      Essa eleição não tem viés religioso, temos que pensar no Brasil. Não sei se você pensa assim mesmo ou é algum contratado do PT para espalhar esse tipo de pensamento para dividir os votos que Marina e Aécio podem ter entre os cristãos evangélicos e católicos, mais se for essa a sua opinião verdadeira, por favor reconsidere sua opinião pois ela não tem fundamento.

  1. Quem apoia uma candidatura ou partido como o do PT, não deve sequer mencionar o nome de Deus. Deve sim, mencionar o nome de Deus para pedir perdão em dar apoio e compartilhar com tantas sujeiras que já foram descobertos desses formadores de quadrilhas, mentirosos e incompetentes. Como se pode considerar uma pessoa de bem, aquele que apoia os exploradores do povo, os enganadores que consome e lapida o trabalho do povo com suas corrupções. São tantos os desvios, que o povo não tem saúde, não educação, não tem segurança, moradias de péssima qualidade e motivo de corrupção, assim tantas outras obras que esse partido sujo divulga. Começa fazendo uma obra por 1 e quando chega ao final gastou 10. ENQUANTO ISSO O POVO MORRE NAS FILAS e os porcos se banham na luxúria.

    • Você vai votar em quem? Na Marina?

      Que eu saiba o nome do Eduardo Campos (PSB, partido da Marina) está no meio da CPI da Petobrás.

      Outra coisa, esse partido também estava envolvido no Escândalo dos Sanguessugas, ou esqueceu disso.

      Pela sua lógica e não ficar “queimado” com Deus, o melhor é votar nulo.

      • Marina Silva, não é o Eduardo Campos. Marina saiu do PT quando era ministra por não concordar com as atitudes do PT. Marina entrou no PSB para ser vice e com as suas ideologias que todos nós sabemos que são boas. Bem que, sendo correto e justo, não podemos julgar alguém por simples e mera hipótese de achar isso ou aquilo. O que não devemos apoiar é esse partido sujo e imundo que se chama PT e que temos a certeza do que é. Todos sabem bem quem são e não vê quem não quer. Se bem, que ainda temos outros candidatos a serem votados e qualquer um de olhos fechados é melhor que esse governo de hoje, corrupto, incompetente e formadores de quadrilha que estão nos levando a decadência. Inclusive precisamos urgente do fim da reeleição. A reeleição leva o governo a governar para conseguir a sua reeleição e não para o povo.

    • Só para lembrar os escândalos do PT nos governos Lula e dilma. Vou colocar vários numa mesma linha separados por / porque teve vários num mesmo ano.
      GOVERNO LULA
      2003 – Banestado / Operação anaconda
      2004 – Caso valdomiro diniz / Banpará / Caso G Tech
      2005 – Correios / Mensalão / Dolar na cueca / Valerioduto/ Propina em ribeirão
      2006 – Caso francenildo / Máfia dos sanguessugas / Aloprados
      2007 – Caso monica veloso / Cheque da gol / caso schincariol / os laranjas de alagoas / Inss
      2008 – Cartões corporativos / dosiês falsos / operação satiagraha /
      2009 – atos secretos
      2010 – Bancoop / Novos aloprados / Caso Erenice Guerra

      GOVERNO DILMA
      2011 – Caso Palocci / escândalo Min. Transportes / Min. Agrícola / Min. turismo / Min. Cidades / Mini. dos esportes / Min. do trabalho
      2012 – Caso cachoeira / Min. Pesca / Operação Porto Seguro
      2013 – Máfia do ISS
      2014 – Operação Lava Jato / Desvios da Petrobrás /

      Sem contar o que está sendo investigado ou apurado como a compra de Refinaria superfaturada, construção de estádio superfaturados, isenção de impostos para a FIFA, apadrinhamento do BNDES para algumas empresas como por exemplo o Frigorifico JBS e assim vai.

      Se formos ver aqui acima , estão alguns motivos para se exterminar o PT do poder, não porque só houve todos esses escândalos, mais porque eles chegaram ao poder à base da ideologia de se acabar com a corrupção. O PT não tem mais ideologia, agora é o poder pelo poder. FORA PT.

      • Escândalos do governo FHC (aliado de Marina e Aécio)

        Governo FHC ( Fernando Henrique Cardoso) (1995- 2003)

        Escândalo do Sivam

        (Primeira grave crise do governo FHC)

        Escândalo da Pasta Rosa

        Escândalo da CONAN

        Escândalo da Administração de Paulo Maluf

        Escândalo do BNDES

        (verbas para socorrerem ex-estatais privatizadas)

        Escândalo da Telebrás

        Caso PC Farias

        Escândalo da Compra de Votos Para Emenda da Reeleição

        Escândalo da Venda da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD)

        Escândalo da Previdência

        Escândalo da Administração do PT

        (primeira denúncia contra o Partido dos Trabalhadores

        desde a fundação em 1980,

        feito pelo militante do partido Paulo de Tarso Venceslau)

        Escândalo dos Precatórios

        Escândalo do Banestado

        Escândalo da Encol

        Escândalo da Mesbla

        Escândalo do Banespa

        Escândalo da Desvalorização do Real

        Escândalo dos Fiscais de São Paulo (ou Máfia dos Fiscais)

        Escândalo da Mappin

        Dossiê Cayman

        (ou Escândalo do Dossiê Cayman ou Escândalo do Dossiê Caribe)

        Escândalo dos Grampos Contra FHC e Aliados

        Escândalo do Judiciário

        Escândalo dos Bancos

        CPI do Narcotráfico

        CPI do Crime Organizado

        Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo FHC

        Escândalo da Banda Podre

        Escândalo dos Medicamentos

        (grande número de denúncias de remédios falsificados

        ou que não curaram pacientes)

        Quea do Monopólio do Petróleo (criação da ANP)

        Escândalo da Transbrasil

        Escândalo da Pane DDD do Sistema Telefônico Privatizado (o “Caladão”)

        Escândalo dos Desvios de Verbas do TRT-SP

        (Caso Nicolau dos Santos Neto , o “Lalau”)

        Escândalo da Administração da Roseana Sarney (Maranhão)

        Corrupção na Prefeitura de São Paulo (ou Caso Celso Pitta)

        Escândalo da Sudam

        Escândalo da Sudene

        Escândalo do Banpará

        Escândalo da Quebra do Sigilo do Painel do Senado

        Escândalos no Senado em 2001

        Escândalo da Administração de Mão Santa (Piauí)

        Caso Lunus (ou Caso Roseana Sarney)

        Acidentes Ambientais da Petrobrás

        Abuso de Medidas Provisórias (5.491)

        Escândalo do Abafamento das CPIs no Governo do FHC

    • Amém! Deus Seja Louvado, pode vim os maçons que apoiam o candidato maçom Aécio Neves , pode vim a candidata Dilma Ruseff com apoio dos Iluminati. Mais a Glória! e o Poder Só ao Senhor Deus Altissimo Pertencem, Porque Quando Ele da a Sua ordem até o diabo obedece . ASSIM DIZ AS PALAVRAS NO SEU LIVRO: > Deus é um juiz justo, é um Deus que se ira todos os dias. Em! ( SALMO 7:11.) Amém! e Glória! Pra Jesus Porque Mas Que o Senhor Deus Altissimo Ninguém, Mais Ninguém Mesmo.. Amém! a paz! seja com todos Porque a Vitoria Pertence a Deus!. e muitos não sabem disto, e nem sabem que a obra de Deus que faz todas as coisas!

  2. Dilma=Corrupção, retrocesso, investimentos fora do Brasil e sem retorno nenhum á população.

    Aécio=Cópia de Dilma, os mesmos projetos mas com outros nomes e pinta de bom samaritano.

  3. VEJO QUE ESTE SITE NÃO TEM NADA COM EVANGÉLICOS,POIS SOU PASTOR E SEI DISCERNIR O QUE É DE DEUS E QUE NÃO É DE DEUS.MARINA TEM UM ELEITORADO FIRME ENTRE EVANGÉLICOS QUE SOMAM MAIS DE 30%,POR ISSO NÃO CREIO NAS PESQUISAS ENCOMENDADAS PELA GLOGO.POR QUE NÃO É INTERESSE DESSA EMISSORA QUE UMA EVANGÉLICA SEJA PRESIDENTA POR QUE ACABA OS ACORDOS E SONEGAÇÃO DE IMPOSTO QUE A GLOBO SEMPRE UTILIZOU,POR EXEMPLO DEVE 659 MILHÕES DE SONEGAÇÃO DE IMPOSTOS,MAS LULA E DILMA SEGURAM.DAI POR QUE NÃO QUEREM NEM GAROTINHO ,NEM MARINA.ESTE SITE GOSPEL USA OS EVANGÉLICOS COM NOTICIAS BIZARRAS PARA IMPRESSIONAR OS MESMO E PARA QUE O POVO EVANGÉLICO SIGA A CANDIDATA DELES QUE É A DILMA A MULHER QUE APROVA A MATANÇA DE CRIANÇAS E CASAMENTOS ENTRE HOMOSSEXUAIS).

  4. Kkkkkkkkkk, a Dilma fez uma propaganda de campanha dizendo que vai combater a corrupção no próximo mandato.
    Será?
    Acho que não, até hoje os mensaleiros não foram se quer banidos do PT.
    Para mim isso é uma prova contundente de que os mensaleiros não colocaram o dinheiro no bolso e sim no PT por isso não podem ser expulsos.
    Ai já sabe, se me expulsar eu falo tudo que eu sei, esse é o acordo e a Dilma é uma MENTIROSA.

    • “no proximo mandato”… “tenho projetos”… bla bla bla… essa mulher poderia ter feito muita coisa quando (ainda) no poder e não fez… vamos acreditar em PROJETOS?

  5. A LISTA DE CRIMES TUCANOS

    Denúncias abafadas: Já no início do seu primeiro mandato, em 19 de janeiro de 1995, FHC fincou o marco que mostraria a sua conivência com a corrupção. Ele extinguiu, por decreto, a Comissão Especial de Investigação, criada por Itamar Franco e formada por representantes da sociedade civil, que visava combater o desvio de recursos públicos. Em 2001, fustigado pela ameaça de uma CPI da Corrupção, ele criou a Controladoria-Geral da União, mas este órgão se notabilizou exatamente por abafar denúncias.

    Caso Sivam: Também no início do seu primeiro mandato, surgiram denúncias de tráfico de influência e corrupção no contrato de execução do Sistema de Vigilância e Proteção da Amazônia (Sivam/Sipam). O escândalo derrubou o brigadeiro Mauro Gandra e serviu para FHC “punir” o embaixador Júlio César dos Santos com uma promoção. Ele foi nomeado embaixador junto à FAO, em Roma, “um exílio dourado”. A empresa ESCA, encarregada de incorporar a tecnologia da estadunidense Raytheon, foi extinta por fraude comprovada contra a Previdência. Não houve CPI sobre o assunto. FHC bloqueou.

    Pasta Rosa: Em fevereiro de 1996, a Procuradoria-Geral da República resolveu arquivar definitivamente os processos da pasta rosa. Era uma alusão à pasta com documentos citando doações ilegais de banqueiros para campanhas eleitorais de políticos da base de sustentação do governo. Naquele tempo, o procurador-geral, Geraldo Brindeiro, ficou conhecido pela alcunha de “engavetador-geral da República”.

    Compra de votos: A reeleição de FHC custou caro ao país. Para mudar a Constituição, houve um pesado esquema para a compra de voto, conforme inúmeras denúncias feitas à época. Gravações revelaram que os deputados Ronivon Santiago e João Maia, do PFL do Acre, ganharam R$ 200 mil para votar a favor do projeto. Eles foram expulsos do partido e renunciaram aos mandatos. Outros três deputados acusados de vender o voto, Chicão Brígido, Osmir Lima e Zila Bezerra, foram absolvidos pelo plenário da Câmara. Como sempre, FHC resolveu o problema abafando-o e impedido a constituição de uma CPI.

    Vale do Rio Doce: Apesar da mobilização da sociedade em defesa da CVRD, a empresa foi vendida num leilão por apenas R$ 3,3 bilhões, enquanto especialistas estimavam seu preço em ao menos R$ 30 bilhões. Foi um crime de lesa-pátria, pois a empresa era lucrativa e estratégica para os interesses nacionais. Ela detinha, além de enormes jazidas, uma gigantesca infra-estrutura acumulada ao longo de mais de 50 anos, com navios, portos e ferrovias. Um ano depois da privatização, seus novos donos anunciaram um lucro de R$ 1 bilhão. O preço pago pela empresa equivale hoje ao lucro trimestral da CVRD.

    Privatização da Telebrás: O jogo de cartas marcadas da privatização do sistema de telecomunicações envolveu diretamente o nome de FHC, citado em inúmeras gravações divulgadas pela imprensa. Vários “grampos” comprovaram o envolvimento de lobistas com autoridades tucanas. As fitas mostraram que informações privilegiadas foram repassadas aos “queridinhos” de FHC. O mais grave foi o preço que as empresas privadas pagaram pelo sistema Telebrás, cerca de R$ 22 bilhões. O detalhe é que nos dois anos e meio anteriores à “venda”, o governo investiu na infra-estrutura do setor mais de R$ 21 bilhões. Pior ainda, o BNDES ainda financiou metade dos R$ 8 bilhões dados como entrada neste meganegócio. Uma verdadeira rapinagem contra o Brasil e que o governo FHC impediu que fosse investigada.

    Ex-caixa de FHC: A privatização do sistema Telebrás foi marcada pela suspeição. Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-caixa das campanhas de FHC e do senador José Serra e ex-diretor do Banco do Brasil, foi acusado de cobrar R$ 90 milhões para ajudar na montagem do consórcio Telemar. Grampos do BNDES também flagraram conversas de Luiz Carlos Mendonça de Barros, então ministro das Comunicações, e André Lara Resende, então presidente do banco, articulando o apoio da Previ para beneficiar o consórcio do Opportunity, que tinha como um dos donos o economista Pérsio Arida, amigo de Mendonça de Barros e de Lara Resende. Até FHC entrou na história, autorizando o uso de seu nome para pressionar o fundo de pensão. Além de “vender” o patrimônio público, o BNDES destinou cerca de 10 bilhões de reais para socorrer empresas que assumiram o controle das estatais privatizadas. Em uma das diversas operações, ele injetou 686,8 milhões de reais na Telemar, assumindo 25% do controle acionário da empresa.

    Juiz Lalau: A escandalosa construção do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo levou para o ralo R$ 169 milhões. O caso surgiu em 1998, mas os nomes dos envolvidos só apareceram em 2000. A CPI do Judiciário contribuiu para levar à cadeia o juiz Nicolau dos Santos Neto, ex-presidente do TRT, e para cassar o mandato do senador Luiz Estevão, dois dos principais envolvidos no caso. Num dos maiores escândalos da era FHC, vários nomes ligados ao governo surgiram no emaranhado das denúncias. O pior é que FHC, ao ser questionado por que liberara as verbas para uma obra que o Tribunal de Contas já alertara que tinha irregularidades, respondeu de forma irresponsável: “assinei sem ver”.

    Farra do Proer: O Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Sistema Financeiro Nacional (Proer) demonstrou, já em sua gênese, no final de 1995, como seriam as relações do governo FHC com o sistema financeiro. Para ele, o custo do programa ao Tesouro Nacional foi de 1% do PIB. Para os ex-presidentes do BC, Gustavo Loyola e Gustavo Franco, atingiu 3% do PIB. Mas para economistas da Cepal, os gastos chegaram a 12,3% do PIB, ou R$ 111,3 bilhões, incluindo a recapitalização do Banco do Brasil, da CEF e o socorro aos bancos estaduais. Vale lembrar que um dos socorridos foi o Banco Nacional, da família Magalhães Pinto, a qual tinha como agregado um dos filhos de FHC.

    Desvalorização do real: De forma eleitoreira, FHC segurou a paridade entre o real e o dólar apenas para assegurar a sua reeleição em 1998, mesmo às custas da queima de bilhões de dólares das reservas do país. Comprovou-se o vazamento de informações do Banco Central. O PT divulgou uma lista com o nome de 24 bancos que lucraram com a mudança e de outros quatro que registraram movimentação especulativa suspeita às vésperas do anúncio das medidas. Há indícios da existência de um esquema dentro do BC para a venda de informações privilegiadas sobre câmbio e juros a determinados bancos ligados à turma de FHC. No bojo da desvalorização cambial, surgiu o escandaloso caso dos bancos Marka e FonteCindam, “graciosamente” socorridos pelo Banco Central com 1,6 bilhão de reais. Houve favorecimento descarado, com empréstimos em dólar a preços mais baixos do que os praticados pelo mercado.

    Sudam e Sudene: De 1994 a 1999, houve uma orgia de fraudes na Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), ultrapassando R$ 2 bilhões. Ao invés de desbaratar a corrupção e pôr os culpados na cadeia, FHC extinguiu o órgão. Já na Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), a farra também foi grande, com a apuração de desvios de R$ 1,4 bilhão. A prática consistia na emissão de notas fiscais frias para a comprovação de que os recursos do Fundo de Investimentos do Nordeste foram aplicados. Como fez com a Sudam, FHC extinguiu a Sudene, em vez de colocar os culpados na cadeia.

  6. ATENÇÃO POVO DE DEUS,NÃO NÃO ACREDITEM NAS PESQUISAS,NÃO ACREDITO NELAS POIS POR ONDE ANDO SÓ VEJO AS PESSOAS FALANDO EM VOTAR EM MARINA,ESSAS PESQUISAS ESTÃO SENDO MANIPULADAS,NÃO MUDE O SEU VOTO.

DEIXE UMA RESPOSTA