“O que minha igreja pode fazer pelos cristãos perseguidos?”; veja a resposta do Ministério Portas Abertas e ajude

3

Ofertas, oração, ir ao campo missionário… Você já parou para pensar como você e sua comunidade local podem ajudar os cristãos perseguidos? Aqueles cristãos que vivem em constante risco de perder suas vidas por causa da sua fé?

Pensando nesses questionamentos, o Ministério Portas Abertas publicou em seu site um artigo no qual dá uma série de dicas para aqueles que querem contribuir com as vidas de cristãos que vivem em situação de risco por causa da sua fé, mas não sabem como. O ministério, também conhecido como Open Doors, se apresenta como uma organização cristã internacional que atua em cerca de 50 países onde existe algum tipo de proibição, condenação, execução ou ameaça à vida das pessoas ou à sua liberdade de crer e cultuar Jesus Cristo.

A primeira resposta do ministério sobre a ajuda que o cristão pode fazer por seus irmãos perseguidos é: oração. Através de seu boletim de oração diário chamado “Vamos Orar”, o ministério convida os cristãos a se mobilizarem e criarem grupos de oração em suas comunidades locais para interceder em favor de cristãos que moram em países como a Coreia do Norte, onde é proibido professar a fé cristã.

O Portas Abertas convida os cristãos também a enviar cartas de encorajamento para aqueles que sofrem perseguição, de forma a encorajá-los a permanecerem firmes em sua fé, e a divulgar a situação desses cristãos, que ainda é pouco conhecida em nosso país. O próprio ministério disponibiliza material para que essa divulgação seja feita, auxiliando a tornar conhecida a difícil situação da chamada Igreja Perseguida. Para auxiliar nesse trabalho, será promovido também o DIP (Domingo da Igreja Perseguida) que esse ano será realizado em 25 de maio.


Por últimos, os cristãos e suas igrejas são convidados a contribuir financeiramente com os perseguidos. Para tal, o Portas Abertas promove mensalmente campanhas de doações para diferentes campanhas promovidas em prol desses cristãos.

O ministério divulgou também depoimentos de cristão que já estão envolvidos com a causa da igreja perseguida, como forma de incentivar outros a fazerem o mesmo. Leia alguns deles:

– Em nossa igreja, costumamos separar um domingo por mês para falar sobre a Igreja Perseguida. Este evento é conhecido como Domingo Missionário. Cada mês, um país diferente. Falamos das necessidades desse país (apresentação de slides), dividimos a igreja em pequenos grupos para orar (acreditamos que nossas orações são verdadeiras flechas que atingem as nações enquanto oramos), e também levantamos uma oferta específica para o país em questão. Esses cultos têm ajudado a igreja local a ampliar a visão de que existe uma Igreja global, amada por Cristo – afirmou Leandro Ferreira de Souza de Taperuna (RJ).

– O Ministério Estação Crescer (M.E.C.) da Igreja Batista Betel (em Santana – São Paulo) participa do trabalho missionário com os cristãos perseguidos através de momentos de oração e contribuição. As crianças, todo domingo, ouvem sobre um país, seu povo e, utilizando os pedidos do site do Portas Abertas, oram. Depois contribuem com ofertas. Utilizamos fotos, materiais representativos do país, bandeiras e mapas para informar as crianças e tornar mais significativo. Em alguns domingos também oferecemos desenhos para colorir sobre o país – afirmou Roberta Rodrigues de Carvalho Lima, de São Paulo, capital.
– Tiro cópias do boletim Vamos Orar e as entrego para quem de fato vai orar mesmo. Orar de joelhos, por todos os pedidos, um a um. Montei murais com fotos de cristãos perseguidos e pedidos de oração em minha casa e lidero um grupo de oração de mulheres para juntas intercedermos pela Igreja Perseguida – relatou Erany Bonfim da Cruz, da cidade de Vera Cruz, na Bahia.

Visite o site do Ministério Portas Abertas, e se informe sobre formas de ajudar.

Por Dan Martins, para o Gospel+

3 COMENTÁRIOS

  1. destas coisas DEUS se agrada, agora vem aqui ateus e gays dizer para não darem dizimos e ofertas,, para não se fazer missões, isto é porque eles receberam o evangelho de graça ou se são ateus e gays são contra, mas só existe uma verdade, se pessoas la do outro lado do mundo não dessem dízimos e ofertas o brasil ainda seria um país católico sem conhecer a cristo, foi por pessoas que amam a obra e contribuiram que recebemos o evangelho, e agora querem que se fechem as igrejas querem que se acabem os pastores que não se faça missões, se estes não tem parte com o diabo então com quem eles tem?

    • O seu idiota ninguém deveria ficar enfiando essa bosta de cristianismo boca a baixo nas pessoas, e que história é essa de o brasil seria um pais católico sem conhecer a cristo, o cristo católico e o evangélico não é o mesmo, só a forma de ensinamento é diferente, bom mesmo se o brasil não fosse nem católico nem evangélico, ai sim seria o melhor pais o mundo e não precisaríamos ficar ouvindo esse tipo de comentário que vem da sua boca imunda!!

  2. Será que a iurd, ESTÁ participando????
    duvido, duvido, duvido,

    vou assistir a recopia para ver se o honorilton eo clodomir estam “”””ENVIANDO” ALGUM$$$$$$ para a Igreja Persiguida. kkkkkkk

  3. Graças a Deus eu também participo de orações e ajuda a cristãos perseguidos,tenho certeza que se Somos livres e porque Deus permitiu para que ajudemos aos que precisam,faço minhas as palavras do versículo que impulsionou o irmão André…fortalece o que está pra morrer…

DEIXE UMA RESPOSTA