Deputado diz que Ministério Público deve investigar “linchamento público” do pastor Marcos Pereira e também o delegado do caso. Assista

5

O deputado estadual Paulo Ramos (PDT) fez novo discurso na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro abordando o caso Marcos Pereira, preso sob acusações de estupro de fiéis da Assembléia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), e afirmou que está ocorrendo um “linchamento público” do pastor, motivado por “perseguição religiosa”.

Em sua fala, Ramos voltou a criticar a postura da TV Globo e acusar a emissora de envolvimento no que chamou de “orquestração” contra Marcos Pereira.

Segundo ele, as mulheres que fizeram denúncia trabalham para o AfroReggae e são “amigas, sócias, cúmplices do senhor José Júnior”, desafeto público do pastor.

Ramos disse ainda que as acusações de “associação ao tráfico são porque o pastor Marcos Pereira desenvolve um trabalho para a recuperação de drogados e de ex-reclusos”.


O deputado disse que atualmente, com o uso de um simples aparelho de celular é possível gravar, filmar e fotografar situações, que poderiam ser usadas como prova de que Marcos Pereira organizava orgias.

“Por quê, nesse caso específico, só há testemunhas? Não há nenhuma outra prova?”, questiona o deputado, que ainda critica o delegado responsável pela condução do inquérito, dizendo que ele nunca esteve na ADUD para averiguar se o local poderia servir de cativeiro, como algumas das supostas vítimas afirmam em seus depoimentos.

O deputado ainda menciona que espera uma posição mais clara dos procuradores do Ministério Público, que segundo o deputado, é parte decisiva no processo, e que pedirá uma reunião para que o caso seja melhor investigado.

“O Ministério público tem uma responsabilidade grande nisso. Quando alguém pede prisão, o Ministério público opina. Mas opina com receio do clamor imposto pela mídia? Opina com independência? Faz parte dessa orquestração?”, disse, levantando suspeitas sobre a condução do caso.

“Nós estamos diante de um linchamento. O que acontece com o pastor Marcos Pereira pode acontecer, tem acontecido, com qualquer cidadão e com qualquer parlamentar”, disse, antes de solicitar que o MP investigue também o delegado Márcio Mendonça.

Assista a íntegra do discurso do deputado Paulo Ramos:

Assine o Canal

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

5 COMENTÁRIOS

  1. O VIGARISTA DE PLANTÃO sempre se esconde por detrás do seu deus para justificar sua delinquência e depois alegar perseguição religiosa.

    POR CERTO este vagabundo extremamente perigoso com sua repulsiva e asquerosa conversinha mansa e suave de meu filho pra cá e deus vivo pra lá, não se meteu com a filha do deputado. Enquanto for com as filhas dos outros, tudo bem.

  2. Engraçado como o mundo tá cego,ontem o globo reporter entrevistou os jovens de uma determinada banda que estrupou duas moças, comprovado pelos exames e nenhum deles estão na cadeia, muito pelo contrário, estão fazendo seus shows,O Pastor não teve tempo nem de se explicar,e já baixou a cadeia, o mais engraçado é que uma das vítimas é esposa de um dos pastores da mesma igreja, e amigo do josé junior.E o mesmo josé junior disse claramente que não iria sossegar enquanto o pastor não vestisse a camisa verde e rapasse a cabeça.O PASTOR CORNO VEIO SE MANIFESTAR AGORA,PORQUE?
    O PASTOR DEVE TER O DIREITO DE PROVAR SUA INOCENCIA OU NÃO.

  3. O JOSÉ JUNIOR, esse sim é um PICARETA q deveria estar na cadeia, e não um homem tão usado por Deus como o Pastor Marcos pereira, é uma pena que a justiça dos homens é injusta e tão falha.

DEIXE UMA RESPOSTA