Natal: há 18 anos, missionário brasileiro organiza festa com jantar para moradores de rua

6

Os trabalhos sociais realizados por missionários mundo afora são essenciais para muitas comunidades carentes, que de outra forma, não teriam assistência social e um mínimo de dignidade. Mesmo em países ricos, como nos Estados Unidos, os trabalhos de apoio a pessoas em condições de vulnerabilidade social desenvolvidos por cristãos ainda se mostram decisivos.

O brasileiro Tony Pádua, missionário em Miami, Flórida, se dedica há 18 anos a realizar uma festa de Natal para os moradores de rua da cidade.

Em entrevista ao portal AcheiUSA, dedicado à comunidade brasileira nos Estados Unidos, o missionário revelou que a festa que ele organiza anualmente atente aproximadamente 500 moradores de rua que vivem no centro de Miami.

De acordo com Pádua, essa “é a época em que eles [moradores de rua] ficam mais deprimidos”, pois o clima festivo inevitavelmente remete à ausência da família e a falta de um lar.


No entanto, o trabalho de Pádua não se resume às festas de Natal. Semanalmente, às quintas-feiras, o projeto social/missionário liderado por ele serve uma macarronada, com três tipos de molho, para pessoas que vivem no abrigo Camillus House.

A edição 2015 da festa de Natal para os moradores de rua será realizada na próxima quinta-feira, 17 de dezembro. Com o auxílio de sua esposa, Janete, Pádua preparou 500 kits para doar aos moradores de rua. Os itens inclusos são uma mochila, uma camisa, um cobertor, uma caixa de chocolate, material de higiene pessoal e um cartão com uma oração.

“Deus quem me dá forças para todos os anos ajudar essas pessoas que não têm família, têm problemas com álcool e vivem à própria sorte”, afirmou Pádua. No jantar, o projeto social vai servir arroz, pernil, tender, vegetais e frango.

Os ingredientes somam 145 kg de carne, 60 pacotes de frango pré-cozidos, dezenas de Kg de arroz e vegetais. “Começamos atendendo na rua mesmo, depois no Camillu’s House, em Downtown [centro de Miami], que é uma entidade muito tradicional em ajuda aos pobres. Nunca paramos, todas as quintas feiras da minha vida estou preparado para cumprir essa missão. No final do ano fazemos uma grande festa sempre na época do Natal com a colaboração da comunidade”, destacou.

Após 18 anos desenvolvendo o mesmo trabalho, Pádua explica o que o continua motivando: “Toda semana é um sentimento diferente, um sentimento positivo. Por mais que eu dou, o que eu recebo é muito maior. Somos missionários”, conclui.

6 COMENTÁRIOS

  1. LAMENTO SO PODER AJUDAR COM ORACOES, ESSE TIPO DE MISSIONARIO MERECE SIM HONRA E AJUDA FINANCEIRA!

    CHEGA DE TEOLOGOS ENCHENDO O SACO DE HERESIAS E MENSAGEMS DE DVD DOS GIDEOES E OFERTA PRO PROPRIO BOLSO!

DEIXE UMA RESPOSTA