Movimento desigrejado cresce no Brasil junto com combate à corrupção, diz portal

9

A onda de combate à corrupção que a sociedade brasileira vem encampando contra a classe política também tem encontrado espaço e adeptos entre os evangélicos, que aos poucos vêm se atentando para os desmandos de muitos líderes e terminam por exercer o Evangelho sem estarem filiados a denominações, formando um grupo chamado desigrejado.

A Igreja Primitiva, que reunia os primeiros cristãos da história, não seguia um formato institucionalizado, e adotava os escritos dos apóstolos como um guia prático, afinal, a Bíblia como conhecemos ainda não havia sido organizada.

De acordo com artigo publicado no Blasting News, “esse grupo de pessoas procuram ter comunhão com os irmãos sem a interferência de denominações ou líderes religiosos, nem com os moldes da igreja tradicional e da igreja neopentecostal”.

A psicóloga Carolina Mello, autora do artigo, “a motivação principal para essa transição que a igreja brasileira está passando é a crise moral ocasionada pelo movimento que prega a teologia da prosperidade, que ensina que ter é mais importante que ser”.


Não são poucos, de acordo com Mello, os fiéis que acreditam que “ritos, doutrinas e tradições pregados pelas denominações devem passar por uma revisão”: “Eles defendem a desinstitucionalização da igreja cristã e o retorno ao Evangelho puro e simples”, comenta a psicóloga.

O movimento desigrejado propõe mudanças em relação às igrejas formais, e muitos grupos se reúnem em locais informais, dando ênfase ao que a Bíblia diz sobre o fiel ser o templo do Espírito Santo. Outra diferença, segundo Mello, é que “as pessoas que pregam o Evangelho são consideradas iguais aos outros irmãos, não sendo tratadas como seres especiais”.

“O acesso à Deus é feito diretamente, sem relações de pastores. A Bíblia é amplamente utilizada nas pregações, evitando guerras teológicas defendidas por vertentes diversas pregadas nas denominações”, pontua Mello. “Não são recolhidos dízimos, como nos templos, sendo a oferta dada de forma voluntária, sem estipular valores e utilizada para ajuda aos necessitados, rompendo com o ato de dizimar pregados pelos líderes religiosos, usado como forma de ‘constranger a Deus’ a resolver seus problemas pessoais, sobretudo os financeiros”, conclui.


9 COMENTÁRIOS

  1. Eu já estou cansado do modo atual das igrejas, muita preocupação com a instituição e nenhuma preocupação com o próximo, me identifico muito com esse movimento, em 1997 quando me converti nem se falava em desigrejado e eu na minha mente já tinha uma idéia de congregar sem instituição, sem obrigação com ninguém e somente servir a Deus na simplicidade como era a igreja primitiva e amor ao próximo, eu já tinha em mente que o modelo de igreja atual(já em 1997) não era nem um pouco parecido com a igreja primitiva, mas uma coisa desagradável que tenho visto é que os movimentos de igrejas que se intitulam orgânica, fora do sistema religioso, ou então grupos de comunhão, acabam cada um defendo seu próprio sistema, enfim acabam criando uma outra espécie de sistema religioso, o que acaba se tornando um movimento grande mas fraco e sem definição em sua essência, o que é uma pena pois isso devia incomodar e cobrar uma atitude mais cristã das igrejas institucionais mas acaba sendo igual a eles, cada um defende sua bandeira.
    Não é dificil encontrar em fóruns na net defensores dos sistemas do Caio Fábio, do Akel, do Rubens, inclusive alguns brigando eles, cada um defendendo o seu”método” como o certo.

    Sejam bem vindos ao novo sistema religioso!

  2. Bom isso já era previsto nos últimos tempos isso iria acontecer devido a falta de confiança nos lideres que parece mais com lobos degustando os coros dos fieis e enganando com falsa promessas

  3. Enquanto na católica a maioria é desigrejada, nos evangélicos, talvez, menos de três por cento.

    A igreja católica de emanuelle deixa o cristianismo em troca do secularismo, nisso dando mais de noventa por cento que somente a frequenta em casamentos de parentes.

    As reportagens aqui neste site são sempre meia boca, sendo necessário a gente completá-las, pois parece que quer perseguir os evangélicos. Fraquinhos os redatores daqui, pois enxergam apenas o que querem e/ou então são míopes, coitados.

DEIXE UMA RESPOSTA