Número de pessoas “sem religião” cresce no Brasil e preocupa líderes cristãos, diz pesquisador

10

A mudança social vivenciada pelo Brasil nos últimos anos não é protagonizada apenas pelo crescimento dos evangélicos no país, como atestou o Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O número de pessoas sem religião também cresceu notavelmente, e já incomoda instituições religiosas. “O movimento mais preocupante para a igreja não é o de quem muda de religião, mas o de quem simplesmente não se interessa por ela”, afirmou Dario Rivera, professor da Universidade Metodista de São Paulo, em entrevista à Folha de S. Paulo, enfatizando que essa tendência é mais forte entre os jovens.

As pessoas identificadas como sem-religião são categorizados em um grupo diferente de ateus, por exemplo. Estes não creem em Deus ou qualquer figura que seja adorada por alguma crença.

“O que nós estamos vendo é que, nos mesmos bairros de baixa renda onde há uma proliferação de igrejas pentecostais [evangélicas], uma quase colada na outra, há muita gente que diz não ter religião”, afirma Rivera, que coordena um grupo de pesquisa chamado Religião e Periferia na América Latina.


Segundo Dario Rivera, comunidades antes marcadas pela forte crença religiosa e maioria católica, como bairros rurais, favelas e periferias das grandes cidades, agora já abrigam um número razoável de pessoas que não aderem a nenhuma crença.

Essa mudança social tem revelado ainda, um relacionamento pragmático com a fé por parte dos habitantes desses locais, quase sempre pessoas de baixa renda: “A verdade é que essa é uma hipótese consensual que nunca foi testada”, diz o professor, que revela casos de pessoas que vão à igreja em busca de assistência, e uma vez com seus problemas solucionados, a frequência nos cultos se torna desnecessária.

Essa nova “prática religiosa” tem estimulado a migração de fiéis da Igreja Católica para igrejas pentecostais em geral, segundo André Ricardo de Souza, professor do Departamento de Sociologia da Universidade Federal de São Carlos (UFScar).

“Desse ponto de vista, a flexibilidade das igrejas evangélicas acaba fazendo com que elas abocanhem mais ovelhas desgarradas do rebanho católico. Além do discurso mais objetivo, como o uso de slogans do tipo ‘aqui o milagre acontece’, essas igrejas estão abertas todos os dias da semana, praticamente o dia todo. Você entra e resolve seu problema, enquanto a igreja católica da paróquia passa a maior parte do tempo fechada”, resume Souza.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

10 COMENTÁRIOS

  1. Na verdade as pessoas não querem saber da religião mas de Deus querem saber sim. As pessoas estão decepcionadas com os lideres e esses como malafaia e feliciano desanimam ainda mais as pessoas.

  2. AH SIM INCOMODA MESMO,POIS SERÃO MENOS A DAR O !DIZIMO!FALTA DE VERGONHA NA CARA DESSES RELIGIOSOS!!!CONFESSEM A VERDADE FILHOS DO DIABO!!!VOCÊS SABEM E ESCONDEM DO POVO!!!O SALVADOR(NÃO ESSE TAL DE JESUS QUE CRIARAM NA IDADE MÉDIA)VAI VOLTAR E VOCÊS PAGARÃO PELO ENGANO DE MILÊNIOS…PERTO ESTÁ O DIA!!!ORA VEM YAHUSHUA HA MASHIACH…

  3. É importante ressaltar um ponto equivocados da matéria da Folha.
    1) O grande crescimento dos sem “religião” aconteceu entre os censos de 1990 e 2000 quando houve um crescimento de 4.7% para 7.2%. Entre 2000 e 2010 o crescimento foi pequeno, chegando a 8,0% da população. Para efeito de comparação os evangélicos cresceram de 9% a 15% em 2000 chegando a 22.2% em 2010.
    2) A grande proporção de “sem religião” nas camadas mais pobres se deve ao fato de muitas mulheres terem se convertido a igrejas pentecostais, deixando o resto da família “sem religião”. Ainda é mais provável alguém que se diz “sem religião” se tornar depois pentecostal do que o contrário acontecer.

  4. De religião o mundo esta super lotado.

    Agora, quando alguém se renunciar a si mesmo, se entrega para CRISTO e o segue, aí, não se trata de mudança de religião e sim de vida ( Atitudes). Eis a diferença.!

  5. É graças a Líderes como Marcos e Malafaia que alguns pontos distantes aquí da África, por exemplo, alguns conseguem ouvir uma palavra de Deus e conselhos para as suas famílias. Aquí a ditadura eclesiástica é que vai exterminar a fé. Ainda estamos na fase em que pastores presidentes se reunem com o governo para impedir que mais igrejas surjam. Eles dizem que 80 Igrejas é suficiente. Quem não gostar, que se dane. Ser humano é complicado, estou a perder a esperança no Homem.

  6. Religião não leva a nada, muito menos denominações(placas) de igrejas, construída por mãos humanas. O que sempre importou, como próprio Senhor Jesus ensinou, é a Palavra que sai da boca de Deus, as Boas Novas, que Salva, tem Poder, Vida e leva o homem ao Seu Reino. Mas para isto, tem que “nascer de novo; pela água e pelo Espírito”, “se creres, verás a Glória de Deus”. “Se tu podes crer?Tudo é possível ao que Crê”. A Igreja verdadeira somos nós, somos o templo do Espírito Santo, onde Deus habita.

    • A salvação é individual, contudo, existe uma dimensão comunitaria estabelecida por Cristo. Se assim nãop fosse não teriamos em Atos o Concilio de Jerusalem para decidir se os cristãos de origem grega deveriam praticar ou não os ritos judaicos para entrar na Fé Cristã.
      Isto de praticar uma fé baseado em ´parametros estritamente individuais não é nada seguro.

  7. O POVO está cansado de ser enrolado e explorado por esses falsos profetas, ministros de satanás (2Cor.11:12-15) São verdadeiros urubús em cima de suas vítimas. Bandidos da pior qualificação. Um verdaeeiro escândalo público. Hipócritas! Mateus 23:27,28.

  8. Acredito em Deus, mas não acredito em religião.” Religião não salva ninguém”, o que salva é o seu caráter e as coisas que você faz para si e para o próximo aqui na terra, não acredito em paraíso, acredito sim que temos que trabalhar para comer, para vestir, para ter moradia, devemos viver bem para termos saúde e fazer bem à nós e ao próximo e enfiada dentro de qualquer religião orando o tempo todo não teremos tempo para isso. Religião e política não tem diferença! todas os dois é só dinheiro e poder; e a humanidade sendo enganados com uma promessa de paraíso depois dessa vida. Tenho que me preocupar com essa vida que estou vivendo, se tem outra, apesar de ninguém nunca ter voltado para contar depois é outra história…

DEIXE UMA RESPOSTA