Pastor toca projeto social em antigo lixão e oferece esporte e comida a crianças e adolescentes

5

O maior lixão da América Latina, em Gramacho, na cidade de Duque de Caxias (RJ) foi fechado há três anos, e os moradores do local, que atuavam como catadores, receberam uma pequena indenização em dinheiro e, na prática, ficaram abandonados no local.

O pastor Anderson Leite, que desenvolve o projeto Social Ide Missões, trabalha com crianças e adolescentes da comunidade, oferecendo a prática de esportes e refeições.

No começo, Leite encontrou uma situação de calamidade e abandono. Em uma entrevista concedida ao G1, o pastor relata que encontrou crianças que não tinham o que comer por dias.

“Coloquei as crianças para treinar e um garoto desmaiou. Corri na padaria, comprei uma coca-cola e uma bananada e demos a ele para a taxa de glicose subir. Depois, dei uma bronca no moleque e disse que eles tinham que comer antes de vir treinar. O garoto virou e disse: ‘Pastor, tem três dias que eu não como nada. Não tem nada lá no barraco para comer’”, relembra o pastor Anderson.


Esse episódio o inspirou a construir uma cozinha industrial na sede do projeto social, e agora, ele oferece almoço e lanche diariamente para cerca de mil crianças.

Anderson Leite afirma que a proposta de sua iniciativa é mudar a vida dos jovens através do esporte.

O projeto social usa um galpão construído na comunidade, e lá, crianças e adolescentes fazem aulas de artes marciais todos os dias da semana e nos fins de semana participam de competições na cidade do Rio de Janeiro, e até fora do estado.

O pastor relata que com o projeto, alguns meninos que estavam entrando para o tráfico de drogas acabaram encontrando no esporte uma oportunidade de mudar de vida: “É isso que vale a pena. Minha missão é essa. Quando estava decepcionado com a igreja e pedi a Deus para sair do Brasil e ir para o Haiti ou para a África, ele me apresentou uma África bem perto de mim, uma região de miséria extrema que fica a 30 minutos de qualquer ponto do Rio. Jardim Gramacho para mim é a África brasileira e por isso estamos aqui há sete anos”, resume.

5 COMENTÁRIOS

  1. Que coisa linda.

    O Gospel Mais poderia sempre que publicar essas matérias, colocar uma referência, contato etc., para quem quiser ajudar, contribuir. Seria muito legal ver Sandro, delldellphone, etc., unidos por uma causa boa.

  2. AINDA BEM QUE ELE SE DECEPCIONOU COM IGREJAS E FAZ O TRABALHO SOZINHO.PORQUE SE COLOCAR IGREJA NO MEIO, AÍ VÊM O DANADO DO DÍZIMO, CAMPANHAS FINANCEIRAS,TRÍZIMO,ETC…

DEIXE UMA RESPOSTA