Justiça confirma condenação a pastor preso por ajudar mãe a afastar sua filha de ex-parceira lésbica

16

A justiça norte americana confirmou uma pena de 27 meses de prisão a um pastor menonita condenado por ajudar uma mulher que frequentava sua congregação a fugir do país para impedir que sua ex-companheira tivesse acesso a sua filha. De acordo com o WND Faith, essa foi a última reviravolta em um dos casos envolvendo a custódia de crianças mais comentados da era moderna.

Em agosto passado, o pastor Kenneth Miller, da Stuarts Draft, em Virgínia, foi condenado em um tribunal de Vermont sob a acusação de ajudar “um sequestro parental internacional”. O pastor admitiu que ajudou Lisa Miller (nenhuma relação com o pastor) e sua filha, Isabella, a deixar os EUA em 2009.

Segundo o jornalista David Kupelian, depois de abuso na infância, Lisa Miller passou a levar uma vida disfuncional de vícios e homossexualidade, até que ela experimentou uma mudança de coração e, convertida ao cristianismo e deixou o estilo de vida homossexual, em que ela havia vivido como “cônjuge” a outra mulher lésbica, Janet Jenkins. Durante a união, Miller tinha dado à luz uma filha, Isabella, concebida por meio de inseminação artificial.

De acordo com especialistas que observaram a menina, ela começou a apresentar sinais de trauma emocional, depois que o tribunal concedeu a Jenkins o direito de fazer visitas a ela. Essa mudança de comportamento teria motivado Lisa Miller a retirar sua filha do país, para que ela não tivesse mais contato com Jenkins.


Um terapeuta clínico testemunhou no caso afirmando que Isabella apareceu “traumatizada” por causa das visitas de Jenkins, e que as “visitas sem supervisão … poderiam causar dano permanente ao desenvolvimento normal” da criança. Uma assistente social testemunhou ainda que a menina “sofre de distúrbios do sono e pesadelos, tendo dificuldade em dormir durante a noite”, acrescentando que “Isabella também fala sobre morte, e expressou o medo de que, se sua mãe Lisa morresse, ela iria estar em risco. Isabella disse que ela tem medo de que Janet Jenkins pode tirá-la de Lisa”.

O pastor Kenneth Miller comentou sobre sua condenação em uma carta de quatro páginas que escreveu ao juiz federal que o condenou.

– Se é verdade que as minhas ações fluíram da minha fé em Jesus, e de minhas crenças morais, e eu sinceramente acho que eles sim, então qualquer julgamento está sendo movido contra mim pelos Estados Unidos da América, é um julgamento sobre a minha fé e consciência e crenças morais. … Eu estava diante de uma mulher em perigo, que precisava de ajuda para proteger sua filha do que parecia ser um decreto judicial desumano – declarou o pastor.

Por Dan Martins, para o Gospel+


16 COMENTÁRIOS

  1. O NÍVEL DE DEPRAVAÇÃO, IMORALIDADE, BESTIALIDADE, TORPESAS, SAFADESAS, PEDOFILIA, DESVALORIZAÇÃO DA FAMILIA, DA NATUREZA HUMANA, DOS VALORES MORAIS, ESTÃO PIORANDO E VAI PIORAR, ATÉ CHEGAR A SODOMA E GOMORRA. ESSES PECADOS TOCAM NO CORAÇÃO DE DEUS, E O CÁLICE DO JUÍZO DERRAMA. QUANDO COMEÇAR A CAIR CHUVA DE METEOROS, CIDADES FOREM INUNDADAS, A HUMANIDADE VAI LEMBRAR DE DEUS E QUEM SABE COMEÇAR A SE ARREPENDER DOS SEUS PECADOS. SEMPRE FOI ASSIM NA BIBLIA, ASSIM SERÁ EM BREVE.

  2. A AMERICA APOSTATOU! Onde está a tal “Liberdade” Yankees? JUSTIÇA não pode ser aplicada sob preferencia do tribunal. Age (deveria agir) com imparcialidade. Todo individuo deve ter o direito de ser livre. Ser o que bem quiser. Concordar ou discordar. Ser hétero ou gay. A questão porem é que a nova mentalidade dita a nova regra: – Ninguem pode discordar do homossexualismo. Mas discordar de alguém ser hétero pode! Aquela mãe e o pastor discordaram do gaysmo. Os julgadores que o condenaram também cometeram – em tese – o mesmo crime: discriminaram o pastor e a mãe por serem héteros. Em suma: O TRIBUNAL que os condenou é GAY!

  3. Pois bem, para quem acha que o homossexualismo, ateísmo, secularismo, liberação das drogas, sexbook, sexo casual, aborto, individualismo, modernismo, e outras “cositas” mais é o futuro da humanidade e a liberdade, como alguns néscios aqui falaram, dê uma olhada no TRAUMA que o lesbianismo formou não somente na mãe, como na criança.

    É por isso que eu falo:

    A minha maior preocupação nem é o crescimento do ateísmo ou homossexualismo, que andam de mãos dadas, mas sim o nosso silêncio…

  4. Caso estranho esse!

    Primeiro, que a filha não é da que teve o dereito à visita.

    Depois, a própria justiça entende que não era saudável as visitas.

    A matéria não esclarece se as visitaas restaram proibidas, visto não serem saudáveis à menor.

    Parece que o mal aí está no fato da mãe natural ter saído do país fugindo pessoa que usava a criança(não estou desmerecendo o apego dela á criança, pois acompanhou o nascimento e crescimento e hoje que se dá direito ao cônjuge separado de visitar animais de estimação, imagine uma criança) talvez para se aproximar da mãe dela? Outra coisa, a justiça não houvera entendido do desconforto à criança?

    Aí há de se indagar, será que a justiça protegeu mesmo a mãe e a filha? Pergunto em face do gesto extremo de fugir do país.

    Quanto ao pastor, quer dizer que deve ser punido quem, de certa forma, tenta materializar a decisão judicial de afastar pessoa indesejada para filha e a mãe?

    Será que a justiça americana está indo tão longe assim quanto a essa relação de “digamos” madrasta e padrasto a ponto de garantir os mesmos direitos de quem materialmte tem participação na geração filhos?

    Quer dizer que essa criança vai ter que ter uma madrastra a vida toda buscando direitos iguais aos pais naturais?

    Que coisa mais estranha. Não condeno nada, mas acho algo meio incomum, ficando a imaginar aqui no caso de padrastos/madrastas exigir em juízo direitos iguais.

    Chamo de madrasta e padrastro em face da legislaçao que se aplica ao casal heterosexual, pois se não tem participação direta na prole, não pode trazer pra si as prerrogativas dos pais naturais.

    Será que é justo esse pastor passar dois anos na prisão? Não tem outro tipo de penalidade, não? Isso se analisar pelo ângulo que cometeu algum crime.

    É o ajudar dele tão forte e tão decisivo: Ele deu a idéia, ele coagiu a mãe a sair do país?

    Sei não.

    • o igor sua revolta gera nojo pra mim, ainda mais ser contra o Pastor…. o Inferno te espera se você não arrepender dos seus pecados diante di Deus. cuidado oque diz.; Guarde bem isso; está na biblia Aí daquele que se levantão contra o Pastor…

  5. não vem apoiar esse povo homossexuais…. cria vergonha na cara.. a ignorância está você que apoia os outros inimigos e pensa que está certo… vai Servi a Jesus de verdade na vida.. pra arrepender dos seus pecados… fica a dica…..

    • Não apoio homossexuais, eu apoio os direitos humanos, sou contra qualquer tipo de discriminação. E vou lutar até o fim, contra essa ditadura ”Evangélica” que você e seus comparsas, querem implantar no Brasil.

      • . Ditadura???? Sei lá, aprendi sobre familia com meus pais antes de ser Cristão, opinião devemos ter esta liberdade, seja pros dois lados mas desrrespeito tem que ser punidos, sera que por causa disso eu e minha familia vamos ser mortos? Mas respeitos para ambos os lados. Paz a todos

DEIXE UMA RESPOSTA