Pressão social induz 8 estados a recusarem a ideologia de gênero nas escolas públicas

11

As denúncias sobre a manobra do governo para impor a ideologia de gênero nas escolas públicas repercutiram na sociedade, que vem fazendo pressão sobre as Assembleias Legislativas para que o tema não seja incluso nos currículos escolares.

Nos últimos dias, deputados de oito estados recusaram as referências à identidade de gênero nos Planos de Educação votados nas respectivas assembleias legislativas.

O movimento do governo Dilma Rousseff (PT), através do Ministério da Educação, de enviar um comunicado aos estados e municípios sugerindo que o tema seria obrigatório contrariava as diretrizes do Plano Nacional de Educação (PNE) aprovado pelo Congresso Nacional.

A ideologia de gênero é um conjunto de teorias que se propõem a negar a identidade de gênero às crianças, e sugere que a escolha por masculino ou feminino deve ser feita durante a vida, ignorando a formação biológica.


Dos 13 estados que já aprovaram seus Planos de Educação, apenas cinco mantiveram referências à identidade de gênero. Os outros 14 estados ainda não votaram o plano, como em Minas Gerais, onde o deputado Leandro Genaro (PSB) afirmou que a “ideologia de gênero é uma praga que veio do marxismo, passa pelo feminismo e visa destruir a família tal qual nós a conhecemos”, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo.

Líderes evangélicos se posicionaram sobre o assunto, repudiando a estratégia do governo e também os princípios da ideologia. O pastor Silas Malafaia publicou um vídeo em que chama a manobra do governo Dilma de tentativa de “destruição da família”.

Já a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) publicou uma nota em que pontua que “a introdução dessa ideologia na prática pedagógica das escolas trará consequências desastrosas para a vida das crianças e das famílias”.


11 COMENTÁRIOS

  1. Isso é uma desgraça, e não um progresso como dizem alguns retardados que acham bonito esse tipo de doutrinação de nossas crianças, espero que os deputados consigam impedir o avanço dessa agenda maldita.
    Que Deus tenha misericórdia de nossas crianças!

  2. IGNORAR DETERMINAÇÕES DO CONGRESSO É DITADURA PURA!!!! ALÉM DO QUE A RESPONSABILIDADE PELA FORMAÇÃO ÉTICA E MORAL DAS CRIANÇAS É PRERROGATIVA DOS PAIS, QUE DEVEM ORIENTAR PELO RESPEITO A QUALQUER SER HUMANO.

  3. Quando chegar para julgamento da Suprema Corte, a decisão será uniformizada com decisão favorável que fará com que os Estados que rejeitaram alterem suas posições.

  4. Isso prova que a Nossa Presidente deve ser realmente Lésbica se não não estaria defendendo tanto tais temas. acho que seria ser muito burro os Senhores Deputados e Governadores acreditarem que uma crianças deve esperar crescer para escolher que sexo deve optar. quanto para se crer que sexo uma criança pode optar seria fácil se acreditar na Palava de Deus que diz: as pessoas serão abençoadas se forem puras, já se forem impuras podem dar origem nos marginais, traficantes, homossexuais, etc. se forem originados dos pecados de prostituição, adultério e fornicação é simples.

DEIXE UMA RESPOSTA