Universidade Presbiteriana Mackenzie recebe Jean Wyllys para debate sobre agenda gay, e se torna alvo de críticas

14

No dia 28 de fevereiro de 2013, a Universidade Presbiteriana Mackenzie recebeu no Centro Acadêmico João Mendes um debate intitulado “Diversidade Sexual e Liberdade Religiosa: Um casamento possível?”, os convidados para o debate foram o deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-RJ), e o diretor honorário da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) e Procurador Regional da República, Dr. Guilherme Schelb.

A presença de Jean Wyllys, notório crítico da visão cristã sobre o homossexualismo, em um debate promovido por uma universidade regida por uma igreja evangélica, gerou uma série de críticas contra a instituição de ensino, que tem como chanceler o reverendo presbiteriano Augustus Nicodemus Lopes.

De acordo com nota da ANAJURE, o evento foi marcado por um clima de hostilidade contra Schelb, que chegou a ser vaiado por várias vezes ao expor a visão cristã como contraponto às ideias defendidas por Wyllys.

– Apesar do jurista, que atua no Ministério Público Federal e é um dos Procuradores da República mais respeitados do país, ter sido aberto ao debate equilibrado de ideias, enfrentou franca oposição, não só de argumentos, mas também de vaias em alguns momentos. – ressaltou a Associação, que explicou que durante as discussões, “o Dr. Schelb abordou aspectos jurídicos a respeito da criminalização de opiniões e manifestações de pensamentos contrários ao movimento gay, questões contempladas pelo PLC 122/2006, mostrando cabalmente o aspecto inconstitucional e autoritário da proposição”.


O ativista Julio Severo teceu fortes críticas à Universidade, e ao ser chanceler, afirmando que a instituição poderia ter vetado a presença do ativista gay no evento que, segundo ele, acabou servindo como “espaço de publicidade gratuita para Wyllys”.

– Se tivesse vetado, poderia pelo menos ter poupado o representante da ANAJURE das vaias e hostilidade que sofreu. Dá para imaginar um jurista evangélico ser humilhado diante de um supremacista gay dentro de uma universidade evangélica? É um quadro apocalíptico, e aconteceu no Mackenzie. – escreveu Severo, que criticou também o fato de Wyllys ter sido descrito nos documentos do evento na Universidade como um militante que atua no combate a “fundamentalistas religiosos”, o que seria uma clara alusão aos contates ataques do deputado às igrejas evangélicas.

Apesar de documentos sobre o debate afirmaram e que a presença de Wyllys foi promovida em parceria com a chancelaria da universidade, o chancelar Augusuts Nicodemus publicou uma nota em sua página no Facebook afirmando que a mesma só tomou conhecimento da presença do deputado em cima da hora, e como resposta só restou convidar o jurista evangélico como forma de oferecer um contraponto ao ativista gay, e “minimizar os efeitos” da sua presença.

– Infelizmente numa universidade do porte do Mackenzie diretórios estudantis realizam eventos se valendo da autonomia universitária dos quais só tomamos conhecimento em cima da hora, como foi o caso, só nos restando achar uma pessoa para fazer o contraponto, para tentar ao menos minimizar os efeitos. Lamento profundamente tudo isto ocorrido em nosso quintal e em nossas costas. O evento não foi promovido pelo Mackenzie, sua reitoria ou chancelaria – jamais. Fomos pegos de surpresa. É uma pena que pessoas que se dizem cristãs alardeiam fatos e os distorcem sem qualquer conhecimento de causa. – escreveu Nicodemus.

O debate foi criticado também pelo blogueiro e colunista do Gospel+ Paulo Teixeira, que classificou o evento como “Uma Vergonha”, e ressaltou o fato do procurador que representava a ANAJURE ter sido hostilizado na universidade.

Teixeira disse ainda que a presença do ativista gay na Universidade Presbiteriana Mackenzie fere os princípios cristão defendidos pela instituição em sua Carta de Princípios, que diz:

– O cristianismo reconhece que não é possível a existência de uma sociedade que seja completamente isenta da corrupção. A nossa esperança é o mundo vindouro, escatológico, a ser inaugurado com o retorno de Jesus Cristo, quando as causas da corrupção serão removidas para sempre. O que não significa que não devamos, com todas as nossas forças, lutar para que os valores do Reino de Deus sejam implantados aqui neste mundo, por meio de uma boa educação integral, que contemple não somente a formação intelectual e profissional, como também a formação de cidadãos éticos e compromissados com os valores morais que servem de base para famílias e sociedades sólidas e justas.

Apesar do clima de hostilidade que afirma ter sido enfrentado por ser representante, a associação Nacional de Juristas Evangélicos declarou estar sempre aberta a participar de debates desse gênero, sem impor de maneira autoritária sua visão sobre nenhum assunto.

– A posição da ANAJURE, neste sentido, é a de sempre participar das esferas acadêmica, pública e comum, de modo a deixar clara qual a posição cristã, sem que isso signifique a imposição autoritária da nossa cosmovisão, como é o caso de certos segmentos e movimentos sociais – afirmou em nota a associação que disse ainda que “é preciso lembrar que uma das características da universidade, desde a idade média, é a possibilidade de se discutir todos os temas sociais”.

Por Dan Martins, para o Gospel+


14 COMENTÁRIOS

    • concordo jgmix…prudencia e organizaçao e o que os promotores desse debate nao tiveram… e ainda formaram uma plateia de gays e simpatizantes …aff …tinha que da nisso msmo…e chamaram alguem pra debeter com o Jean que nao teve tempo nem de se preparar espiritualmente contra ele e seu odio contra os evangelicos …pq isso ja ficou mais claro que a agua …e deu no que deu…vergonha pros evangelicos e pior ainda dentro da sua propria casa…

  1. muito pior que dar este espaço, foi orquestrar , uma platéia , totalmente preparada , para receber seu lider gay, o pobre contestador desta ditadura gay, esteve em papas de aranha, com vaias, e repudios a familia a igreja e aos bons costumes, esta que se denomina universidade evangélica a tempo está nas mãos de gays

  2. É lamentável que situações como essas tenham acontecido em uma instituição cristã tão importante para a nossa nação, peço a Deus que nos perdoe por ter falhado quanto a mensagem de Graça e Amor, com arrependimento que Ele nos ensinou, lamento pelo que o Brasil vivi hoje uma geração perdida em si própria, sem princípios de vida eterna para defender, que trata a bíblia como um livro arcaico, velho e sem fundamentos, mas certa vez quando o Senhor falou para seus discípulos: E vocês também não querem “ir”( abandonar-me ), então Pedro disse: Senhor para onde vamos, se só Tu tens as palavras de vida eterna.

  3. NOTA ZERO PARA ESSA UNIVERSIDADE. CHEGA DE TANTA LIBERDADE SEM LIMITES E INVENCIONE.É PRECISO HONRAR O LEGADO QUE FOI DEIXADO POR HOMENS E MULHERES ABNEGADOS A CAUSA DE DEUS, VALE SALIENTAR QUE MUITOS PAGARAM COM A SUA PRÓPRIA VIDA PARA QUE ESSA UNIVERSIDADE EXISTISSE.

  4. Oh Alberto, te manca velho, esse discurso que somos homofobicos, nao cola mais, homofobicos, sao voces, pois nao vi na cronica policial evangelicos matando gays.Agora tenho visto nos jornais e gays ou relacionados(parceiros, miches,exploradores de gays) matando gays.Toma um chazinho de simancol, tu quer defender o indefensavel.Seja bichona assumida ou nao, leva tua vida em paz , nao perturba os outros.Vc da a quem a quem vc quiser ninguem tem nada a ver com isso, agora voces tentarem empurrar goela abaixo os seus padroes imorais de sociedade, tenha paciencia. te amnca bichona.

  5. Falem o que quiserem falar,mas Faculdades e Universidades evangélicas que ainda mantém princípios e zelam pela moral e bons costumes são poucas,entre elas as administradas pelas Igrejas Adventistas e Batistas …Até a Luterana e Metodista tb estão uma vergonha…os princípios bíblicos não são mais enfatizados e o testemunho cristão da instituição envergonha. Se é faculdade evangélica se espera no mínimo coerência entre fé e prática pelos menos entre líderes e coordenadores.

  6. Deixa estar, no grande dia do Senhor, em que Jesus proibir a entrada nos céus das pessoas que morreram na prática do pecado, então quero ver quem vai chama-lo de homofóbico. Morrer na prática do homossexualismo segundo a Bíblia é atestado de condenação (I Coríntios 6.10), isso não é discurso de ódio, é um alerta para que todos possam tornar-se parte do povo que estará com Cristo na eternidade, Jesus ama a todos e quer transformar cada individuo segundo o seu próprio caráter. Não aceitar a verdade Bíblica é se opor a Deus.

  7. Deixa estar, no grande dia do Senhor, em que Jesus proibir a entrada nos céus das pessoas que morreram na prática do pecado, então quero ver quem vai chama-lo de homofóbico. Morrer na prática do homossexualismo segundo a Bíblia é atestado de condenação (I Coríntios 6.10), isso não é discurso de ódio, é um alerta para que todos possam tornar-se parte do povo que estará com Cristo na eternidade, Jesus ama a todos e quer transformar cada individuo segundo o seu próprio caráter. Não aceitar a verdade Bíblica é se opor a Deus.

  8. Isso é uma vergonha para os evangélicos e para a Universsidade Mackenzie e mostra claramente a sua decadência em assutos que presam pelos principios cristão e da familia lamentavel uma verdadeira apostasia!!!

  9. Alberto César Da Costa Maia vc pelo jeito nem conhece de historia comparar posições eticas sociais e religiosas da comunidade evangélica com movimento nazista e exterminio de Judeus mostra que vc é um tremendo de um idiota baderneiro que junto com a sua prole quer esculhambar com a familia Brasileira semeando a promiscuidade e imoralidade na vida das pessoas e depois vcs reclamam de odio são vcs que provocam o odio!!!!

  10. Oi Alberto. Acho interessante seu posicionamento e abordagem à respeito das questões discutidas. Gostaria, porém, de ver a temática: “homofobia” ser discutida, não por pessoas que seguem cegamente um posicionamento ou doutrina. Que estas, fiquem à vontade para expor e defender suas convicções – já que não há como ouvir uma contra-argumentação, sem desdenhar, expor ao ridículo e ofender o oponente. Para que esse debate seja racional, democrático e humano é preciso que calemos – nem que seja por um instante – o estardalhaço de nossas argumentações e defesas, e ouçamos a opnião dos que tem integridade e neutralidade para apontar-nos onde estão os exageros de nossas imposições e afirmações.
    Ainda que acredite que minha opnião não tenha a mesma veemência da sua ou da dos que são-lhe antagônicos, quero externá-la: “Esse debate só será sano, se for alicerçado no amor e respeito para com o próximo”. Não me considero alguém desinformado. Que existe homofobia, é óbvio. Que crentes estão matando gays – hoje no Brasil – é um absurdo. A liderança ativista tem pregado a existência de um ódio implacável dos evangélicos para com eles – e não é a verdade. Todos os gays tem parentes ou amigos evangélicos, e os evangélicos idem. A desaprovação de um comportamento – que é perfeitamente cabível na Lei brasileira – não impede o respeito e o amor.
    Obrigado por sua atenção.
    Felicidades!

  11. Quer saber tudo que acontece no mundo gay? leia o G+ diariamente! Só não entendo por que chama-se Gospel +, já que o seguimento evangélico não se resume a apenas brigas com esse grupo ou a escândalos!

  12. porque estão dando tanta atenção a um gay? essas pragas não tem estudo nenhum. quer uma prova? eles pensam que homem com homem geram filhos. e o que é ainda pior que o ser humano é gerado no intestino e sai pelo reto. agora me digam se uma desgraça que pensa assim pode ser chamado pra debater alguma coisa.

    • Esse livreco de capa preta, que pode ter capa vermelha, ou outras cores, contém só a verdade quer vc acredite ou não. Jesus orando ao Pai disse: Pai, santifica-os na tua verdade, a tua palavra é a verdade. Conheça as escrituras pois nelas contém o poder de Deus e a vida Eterna, Deus ti abençoe.

  13. Considero que a universidade deveria ser laica e cuidar apenas e tão-somente de ciência. Debater questões de fé não deve ser proibido, em lugar nenhum, mas a universidade deve ser deixada de fora. Só assim avançaremos. Que cada um reserve as suas posturas de fé para os templos, local apropriado para elas.

    • A maioria das universidades foram criadas por religiosos. Estude história, graças a isso que muitos tem um diploma, agora os evangélicos não tem direito a nada, o viado tem direito de fazer o que quiser da sua vida, mas o evangélico tem o direito de defender a sua fé. Estão lutando pelo direito de não casar gays em suas igrejas é um direito que eles tem. O dono da universidade é cristão e tem o direito de ensinar o que quiser em sua própria universidade, quem não quiser que vá estudar em outra.

    • A maioria das universidades foram criadas por religiosos. Estude história, graças a isso que muitos tem um diploma, agora os evangélicos não tem direito a nada, o viado tem direito de fazer o que quiser da sua vida, mas o evangélico tem o direito de defender a sua fé. Estão lutando pelo direito de não casar gays em suas igrejas é um direito que eles tem. O dono da universidade é cristão e tem o direito de ensinar o que quiser em sua própria universidade, quem não quiser que vá estudar em outra.
      As pessoas esquecem que foi Deus quem criou o mundo. Agora querem deixá-lo de fora dos assuntos do estado que ele criou. Se um cara é viado o problema é Dele, respeite Deus, não vá à igreja. O cara tem direito de achar que é normal ser gay e eu tenho o direito de achar ao contrário. Eu não estou vendo ninguém lutar por nenhum direito humano e sim pelo seu próprio em detrimento dos outros. O pastor de uma igreja não pode ser condenado por se recusar a casar um gay em sua igreja. Onde está a liberdade de pensar. Querem o que nos proibir de pensar. O que Deus diz tem mais valor do que qualquer bostinha com um diploma na mão, se Deus diz que ser gay é pecado como qualquer outro como adultério, etc é porque é. Se ele diz que o gay tem como deixar de ser gay é porque tem corintios 6.10,11

DEIXE UMA RESPOSTA