Acordo nuclear com o Irã pode ter prejudicado libertação do pastor Saeed Abedini, diz esposa

2

As negociações para libertação do pastor Saeed Abedini não puderam ser inclusas no tratado nuclear que o Irã assinou com os Estados Unidos e outros países considerados estratégicos no tema, mas a esposa dele, Naghmeh, disse que compreende a situação, embora acredite que a questão envolvendo seu marido tenha se tornado mais difícil.

“Faz sentido”, afirmou a esposa do pastor. Segundo ela, a questão nuclear – um tema de interesse global – exigiu uma mobilização maciça do governo, e envolvia questões de segurança.

“É algo que eles têm esclarecido a mim e outras famílias, desde o início, que ele não seria parte do acordo. Eles disseram isso. Cada vez que fui chamada ao Departamento de Estado e à Casa Branca tem sido assim”, disse Naghmeh Abedini à CNN.

Ela foi procurada pela imprensa norte-americana por causa de uma promessa do presidente do país, Barack Obama, de que tentaria incluir a libertação de Saeed Abedini entre os tópicos do acordo nuclear.


Quando o acordo foi anunciado, Obama foi questionado pelos repórteres se a libertação do pastor estava garantida, e o presidente, afirmou que não havia sido possível incluir esse assunto na pauta, mas que os esforços pela soltura de Abedini ainda estavam sendo realizados.

“Ninguém está contente. Nossos diplomatas e nossas equipes estão trabalhando diligentemente para tentar tirá-los de lá”, disse Obama em uma coletiva de imprensa. Agora, se a questão é ‘por que nós não seguramos as negociações por causa das libertações’, vamos pensar na lógica da situação. De repente o Irã percebe: ‘Quer saber? Talvez podemos obter concessões adicionais dos americanos, mantendo esses indivíduos'”, explicou o presidente.

“A propósito, se tivéssemos deixado o acordo nuclear, nós ainda estaríamos na difícil tentativa de libertar essas pessoas”, acrescentou Obama. “É por isso que essas questões não estão conectadas, mas estamos trabalhando todos

Pastor Abedini e a família
Pastor Abedini e a família

os dias para tentar libertá-los e não vamos parar até que eles voltem para suas famílias”, disse, assumindo o compromisso de manter as tratativas diplomáticas com os iranianos.

A esposa do pastor reafirmou que acredita na dedicação do governo norte-americano em libertar seu marido: “Eu sou uma das famílias com que Obama se encontrou em janeiro deste ano, e vi sinceridade e preocupação quando nos encontramos. Ele se voltou aos meus dois filhos e disse que iria tentar fazer de tudo para trazer Saeed e outros americanos […] Acho que o acordo nuclear tornou mais difícil. Nunca pedi para Saeed ser parte do negócio, mas eu esperava que, nos bastidores, sua libertação fosse garantida pela influência que ainda temos com o governo do Irã”, declarou Naghmeh.

2 COMENTÁRIOS

    • COM CERTEZA É UM MÁRTIR DOS DIAS MODERNOS, UM EXEMPLO A SER SEGUIDO, É SÓ VER QUANTOS AQUI NEGARAM A CRISTO E PELEIAM CONTRA SEU REINO, REALMENTE O MALÉFICO AMERICANO , GAY MUÇULMANO ENRUSTIDO OBAMA , NUNCA FARIA FORÇA PARA INCLUIR NA NEGOCIAÇÃO.

DEIXE UMA RESPOSTA