Cristãos protestam contra remoção de cruzes das igrejas na China e repõem peças confiscadas

11

A determinação do Partido Comunista de retirar todas as cruzes dos topos das igrejas cristãs gerou revolta e indignação nos cristãos, que em protesto, passaram a recolocá-las nas cúpulas dos templos assim que a Polícia deixava o local.

A cidade de Wenzhou, localizada na província de Zhejiang, na China Oriental, possui três milhões de habitantes, sendo 300 mil católicos e 1 milhão de evangélicos, o que a forma um reduto de cristãos no país comunista.

Apelidada de “Jerusalém Oriental”, a cidade tem boa parte dos cristãos frequentando “assembleias domésticas”, que são igrejas que se reúnem nos lares, de forma clandestina.

De acordo com informações do site Aleteia, mais de 1.200 cruzes já foram removidas das cúpulas dos templos desde o final de 2013, quando o governo decretou a ilegalidade do símbolo cristão.


Durante um protesto na última sexta-feira, 24 de julho, organizado pelo bispo católico dom Vincent Zhu Weifang, 89 anos, uma multidão de cristãos se reuniu em frente à sede da administração municipal. A Polícia foi ao local, mas não tomou nenhuma atitude de repressão, devido à postura pacífica dos manifestantes.

O resultado da mobilização foi uma adesão dos evangélicos ao protesto, e líderes de diversas igrejas passaram a incentivar a recolocação das cruzes no topo dos templos.

“Cada vez que eles derrubarem uma cruz, nós vamos colocar novas”, afirmou um líder cristão de Zhejiang ao jornal The Guardian. “Estamos até pensando em fazer bandeiras e roupas com estampas em cruz. Faremos a cruz florescer por toda a China!”, acrescentou.

O jornal aposta que o embate em torno da cruz deverá atrair atenção das autoridades internacionais, principalmente porque o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, viajará à China em breve, e ativistas de todo o mundo estão pedindo que ele aborde o assunto com o presidente Xi Jinping, quando se encontrarem.


11 COMENTÁRIOS

  1. Paciência, esse é meu conselho.

    O sistema está saindo aos poucos dos grilhões, e Deus não quer vê o povo sendo massacrado. Sim esperançoso, e sem confrontos direitos.

    Muita calma nessa hora. Tudo tem seu tempo. Não convém transformar a coisa numa batalha onde o sangue jorre, ou onde as portas voltem a se fechar.

  2. É isso que os esquerdopatas sempre fazem e querem, só que eles sabem que no Ocidente uma perseguição dessa seria suicídio, então eles buscam outras maneiras bem mais sutis para calar os cristãos. Ficamos atentos.

  3. Muitas vezes nas minhas postagens afirmava da perseguição de protestantes a Igreja Católica e muitos expressavam que eu estava falando mentira. Olha só o que encontrei hoje na internet

    Protestantes Alemães Pedem Perdão pela Iconoclastia (Destruição das Imagens) da Reforma

    A Igreja Protestante Alemã (EKD) pediu desculpas pela destruição generalizada de imagens religiosas durante a Reforma.
    “A Igreja Protestante rejeita a destruição de imagens. As imagens há muito tempo se tornaram uma expressão da piedade protestante”, ressaltou a ‘bispa’ protestante Petra Bosse-Huber em um encontro de delegações do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla e da EKD.
    Os clérigos se reuniram em Hamburgo para discutir a palavra “imagem” a partir dos pontos de vista ortodoxo e protestante. O Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o presidente da EKD, o bispo Heinrich Bedford-Strohm, enviaram saudações e bênçãos ao encontro de Hamburgo.
    Destruir imagens foi mais comum no período posterior à Reforma. Na primeira metade do século XVI, as estátuas da Virgem Maria e dos santos, as janelas com vitrais, os órgãos e quaisquer outros objetos associados a milagres e ao sobrenatural foram removidos das igrejas católicas e das capelas de beira de estrada e, em muitos casos, destruídos. Particularmente a Suíça, Holanda, Inglaterra e o sul da Alemanha sofreram com isso.
    No sul da cidade alemã de Ulm, em um chamado “Götzentag” (“Dia da idolatria”) em 1531, os defensores da Reforma que estavam convencidos de que os artefatos da igreja eram uma idolatria supersticiosa removeram à força 60 altares e órgãos da catedral.
    Genebra testemunhou uma das ondas mais devastadores de quebra de imagens religiosas. Incitados por um grupo de teólogos protestantes, incluindo o próprio João Calvino, algumas das peças de arte cristã mais preciosas da cidade foram destruídos.
    Christa Pongratz-Lippitt, publicada na revista The Tablet.
    Blog. Comshalom.org/carmadelio

  4. Mas uma coisa tenha certesa de que ou Deus é uma pessoa verdadeiran ou Ele e um mentiroso, toda imagem de escultura , seja ela de que tipo for seja acima na terra ou debaixo no mar, seja foto, tudo que se refere a imagem foi e sempre será condenada, por Deus, esta é a lei, gravadas nas escrituras, mesmo o proprio Cristo Jesus, foi bem clarao ao dizer, ipocritas não pencei que vim abolir a Lei, não, isto não eu vim para cumpri-la. se o filho referiu-se a lei ele falou de toda a lei e não de um pedaço, sendo assim toda imagem de escultura seja de que posição for , ilicita e deve ser tudo destruido, e não existe santo em imagem a não ser o enganador, filho da perdição e desolador. o diabo, lucifer, o mentiroso que ate este momento esta enganando a muitos. e a perceguição era verdadeira e estava certa mas se corrompeu, e vai pagar caro por isto escreve bem legivel para que não se esqueças, o DIA DO JUIZO ESTA PROXIMO E QUEM PODERÁ SUPORTAR? fique no amor de Cristo.

DEIXE UMA RESPOSTA