Escolas cristãs são ameaçadas de fechamento caso não ensinem aos alunos os “direitos gays”

19

A pressão que vem sendo exercida pelo governo britânico sobre as escolas mantidas por instituições religiosas no Reino Unido ganhou um ingrediente novo nos últimos dias. Agora, as autoridades pretendem obrigar essas escolas a difundirem os “direitos gays”.

Recentemente, escolas cristãs foram ameaçadas de fechamento caso não ensinassem princípios de outras religiões. Agora, a mesma ameaça é feita a escolas cristãs e muçulmanas caso estas não adotem por completo a carta de “valores britânicos”, que inclui também a “promoção ativa” dos direitos dos homossexuais.

“Escolas religiosas devem seguir regras que ‘promovem ativamente’ os valores britânicos fundamentais, como a tolerância a outras religiões e estilos de vida”, disse Nicky Morgan, secretária de educação no último domingo.

A afirmação foi muito criticada, e o Departamento de Educação, negou que tenha havido qualquer sugestão de que as escolas seriam obrigadas a ensinar os direitos dos homossexuais contra a sua vontade, segundo informações do jornal The Guardian.


No entanto, uma orientação com as novas regras será emitida para as escolas particulares, academias e escolas livres ainda nesta semana, e permitirão aos inspetores censurar as escolas que não estejam em conformidade com a Lei da Igualdade, que enfatiza os direitos de pessoas lésbicas, gays e transgêneros, além de outras religiões e etnias.

Escolas inspecionadas recentemente alegam terem sido penalizadas por não celebrar uma quantidade “suficiente” de festivais de outras religiões ou não dar aulas de educação às crianças sobre sexo, e não ensiná-las de forma satisfatória a serem tolerantes com a homossexualidade.

Nicky Morgan se identifica como cristã e anteriormente havia se manifestado contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Porém, agora ela defende justamente o contrário: “As escolas devem ampliar os horizontes, não fechar as mentes… Deve encorajar os alunos a respeitarem as outras pessoas, mesmo que não concordem com elas. Eu acredito que este é um princípio com o qual a grande maioria das pessoas concorda. Todas as escolas, de qualquer natureza, têm o dever de proteger os jovens e para garantir que eles deixam a escola totalmente preparados para a vida na Grã-Bretanha moderna”, resumiu.

19 COMENTÁRIOS

  1. Novamente está havendo uma inversão de valores e dando a escolas obrigações que dizem respeito a família.
    A escola não tem que da essas instruções.
    Escola é para aprender a ler, escrever, fazer contas etc.
    Falar sobre, sexo, homossexualismo e religião é um direito e dever da família.
    Cabe ai, a sociedade entrar na justiça, para impedir que esses ensinamentos sejam dados nas escolas e sim no âmbito familiar.
    Eu não quero ninguém ensinando outra religião ao meu filho, eu não quero ninguém falando sobre homossexualismo ao meu filho, eu não quero ninguém falando sobre sexo com o meu filho, mesmo por que ele é só uma criança.
    Em tempo oportuno eu me reservo o direito de conversar com o meu filho sobre tais assuntos.
    O que adianta eu ficar policiando o que o meu filho vê na internet e na TV se na escola querem falar de tudo sem se quer o meu filho ter maturidade para absorver essas informações?
    PURA HIPOCRISIA NÉ?
    Na década de 70, quando garoto, não se houvia sobre esses temas nas escolas primárias e ginásio.
    O meu pai e a minha mãe, quando eu tinha 14 anos é que veio me dar instruções sobre sexo.
    A minha mãe me deu a religião já que meu pai não era praticante da que ele seguia.
    E o meu pai e a minha mãe me ensinaram a ser tolerante com o meu próximo independente da sua cor, credo, condição social, opção sexual, etc.
    E a escola me preparou para a minha vida profissional, e é assim que deve ser.
    Tentar construir um modelo de cidadão na escola sempre entrará em conflito com que as famílias acreditam. Com o tempo muitas crianças serão tiradas das escolas, pois quando as famílias perceberem que a escola é uma ameça a formação do caráter de seus filhos, as famílias impedirão isso tirando seus filhos da escola.
    Escola têm a função de capacitar as pessoas para um futuro promissor profissionalmente.
    Quem molda o caráter do meu filho, sou eu.

    • Cláudio Ferreira, a escola tem, sim, que ensinar cidadania! E a escola não é apenas um lugar onde se aprende a ler e escrever, mas, em grande medida, um lugar onde a criança aprende a se sociabilizar, ou seja, a viver em sociedade respeitando os direitos do próximo.

      • Isso na sua opinião, não na minha.
        Entenda que se as escolas ensinarem mais do que devem, elas ensinarão o que o GOVERNO quer que elas aprendam que normalmente não convém com o que nós ensinamos aos nossos filhos.
        Na CHINA é assim, na CORÉIA DO NORTE é assim, no AFEGANISTÃO, agora a INGLATERRA que fazer isso também.
        Não vou muito longe, andou nas escolas brasileiras uma cartilha ensinando “tolerância para com os homossexuais”, só que a cartilha ensinava mais do que isso, a cartilha era um convite as crianças a experimentarem a homossexualidade, crianças que nem sabem direito o que é sexo entre héteros. A cartilha despertava a curiosidade sexual de crianças que ainda não chegaram a adolescência.
        Também havia uma cartilha falando sobre drogas, ou melhor mostrando como se faz para usar drogas “com segurança”. Usar drogas “com segurança”? O próprio uso das drogas já é inseguro.
        Em ambo os casos a faixa etária a quem foi distribuída a cartilha já era incompatível com o assunto, que dirá da maneira como foi abordado.
        Mas se V.Sa. se sente a vontade para que o GOVERNO ensine essa coisas, jogando por terra os seus princípios de família, de respeito e etc, fique a vontade. É um problema seu!
        Mas um GOVERNO formado por um monte de corruptos que também usam drogas e participam de orgias, na minha opinião, acho que não é um governo apto para ensinar RESPEITO a ninguém.
        Mas como eu disse, cidadania, quem ensina ao meu filho sou eu, e ponto final.

        • Concordo que dependendo da faixa etária seria uma atitude irresponsável e covarde da escola, como também, se o foco é cidadania, que chame os pais à participarem do processo, uma vez que o assunto abordado não é de exclusividade da escola.

          A minha posição sobre a homossexualidade é pautada no ensinamento cristão, mas nem por isso me sinto estimulado a ser ofensivo, porque não é isso que Cristo ensina, tanto que no meu serviço existe colega de trabalho que é “homo” e tem-se um ótimo ambiente , porque ele dá o respeito para ser respeitado, é discreto e bem humorado; aliás a discrição é onde reside o respeito, seja para o homo, seja para o hetero.

          Da mesma forma que os homossexuais tem rejeição pelos cristãos fundamentalistas; afinal qualquer tipo de fundamentalismo é ruim; eu também tenho pelos da comunidade lgbt, por causa dos métodos por eles adotados, porque essa proposta de usar a escola é no mínimo covarde e sorrateira.

          Enfim, acredito que para tudo há solução, porém não dá para ganhar TUDO, sem querer pensar no outro.

          • “… se o foco é cidadania, que chame os pais à participarem do processo, …”
            Brilhante Ideia! Aí sim, agora V.Sa. falou tudo!
            E acho que esse é um bom caminho, pois com a participação das famílias no processo, acredito que haverá um ganho, já que o que será dito na escola será apoiado e reforçado em casa, desde que o assunto não seja religião.
            Para ensinar a ser tolerante com outras religiões, não se precisa ensinar outras religiões, o que precisa é ensinar as crianças que somos todos iguais independente de qualquer coisa.
            Agora veja a minha situação quando ainda garoto: minha mãe é protestante praticante, meu pai, acho que era católico, mas como ele nunca foi a uma missa nem sei se isso era verdade, mas meus avós paternos eram católicos.
            Eu de tabela também era protestante, por que era a igreja que eu conhecia, era a igreja que minha mãe me levava.
            Pois bem, teve um ano em que eu tive aulas de religião na escola.
            Só que a aula de religião falava tudo sobre catolicismo e nada sobre protestantismo. Imagina minha cabeça? Esse é o problema do governo interferir nesse tipo de assunto, religião.
            Se uma criança que vem de um lar protestante ou católico ou espírita ou uma religião qualquer, quando ela começar a ouvir sobre outros Deuses e costumes, ela vai se sentir mal, vai se sentir agredida. Era assim que eu me sentia nos dias das aulas de religião.
            Eu me sentia desconfortável, eu queria sair correndo da escola. Para mim aquilo ia contra tudo o que eu sabia sobre adorar a Deus.
            Graças a Deus eu não fiquei traumatizado. Se tiver que ir a um casamento, batizado, missa de 7º dia em uma igreja católica, eu vou sem problema nenhum, já fui no passado e se precisar ir de novo, sem problemas.
            Mas definitivamente, religião na escola, não têm nada haver, inclusive nas escolas cristãs.
            A escola não têm que falar de Cristo, isso e papel das igrejas.
            Saudações!

      • Cidadania é o exercício dos direitos e deveres civis, políticos e sociais estabelecidos na constituição. Pronto e acabou! Escola nenhuma tem que esticar assunto, detalhes e blá blá blás não! Família existe para quê ? Dessa forma que estão colocando, vão fundir a mente das crianças antes mesmo delas chegarem na adolescência. E que família não tem esclarecimento ou conhecimento ? podem até não respeitar, mas conhecem e sabem oque é RESPEITO.

      • Esse ‘e o problema da sociedade atual,os pais transferem para a escola a responsabilidade de educar os filhos, as crianças estão sendo estimuladas precocemente no que diz respeito ao sexo. Você fala de cidadania mas eu pergunto o que significa isso? Como dizia o professor Milton Santos, no Brasil cidadania não existe e que ,’e pior estão reduzindo esse conceito a opção sexual,é para quem acha que as crianças serão beneficiadas por ensinamentos moderninhos,uma menina de seis anos estava fazendo sexo oral com um menino de seis,meninas se agarram no banheiro,se beijam na boca etc…e isso que vocês arautos da liberdade querem? Escola não ‘e lugar disso e os alunos, principalmente da escola pública que já vivem muitas vezes em ambiente degradado, terão a sua situação piorada mil vezes.

    • Claudio como vc é mesquinho seu texto é baseado apenas na 1° pessoa eu, eu ,eu no mundo não existe só vc meu caro, existe muitas familias que não tem o menor esclarecimento sobre esses assuntos e é na escola que eles tem que aprender sim

      • Isso na sua opinião, não na minha.
        Entenda que se as escolas ensinarem mais do que devem, elas ensinarão o que o GOVERNO quer que elas aprendam que normalmente não convém com o que nós ensinamos aos nossos filhos.
        Na CHINA é assim, na CORÉIA DO NORTE é assim, no AFEGANISTÃO, agora a INGLATERRA que fazer isso também.
        Não vou muito longe, andou nas escolas brasileiras uma cartilha ensinando “tolerância para com os homossexuais”, só que a cartilha ensinava mais do que isso, a cartilha era um convite as crianças a experimentarem a homossexualidade, crianças que nem sabem direito o que é sexo entre héteros. A cartilha despertava a curiosidade sexual de crianças que ainda não chegaram a adolescência.
        Também havia uma cartilha falando sobre drogas, ou melhor mostrando como se faz para usar drogas “com segurança”. Usar drogas “com segurança”? O próprio uso das drogas já é inseguro.
        Em ambo os casos a faixa etária a quem foi distribuída a cartilha já era incompatível com o assunto, que dirá da maneira como foi abordado.
        Mas se V.Sa. se sente a vontade para que o GOVERNO ensine essa coisas, jogando por terra os seus princípios de família, de respeito e etc, fique a vontade. É um problema seu!
        Mas um GOVERNO formado por um monte de corruptos que também usam drogas e participam de orgias, na minha opinião, acho que não é um governo apto para ensinar RESPEITO a ninguém.
        Mas como eu disse, cidadania, quem ensina ao meu filho sou eu, e ponto final.

  2. Da mesma forma em que devem ensinar sobre os direitos religiosos, devem, de igual forma, ensinar sobre os direitos das pessoas homoafetivas, já que precisam crescer aprendendo a respeitar as pessoas e entender que a sociedade é de todos, que o país é laico, que não somos uma teocracia.

  3. Na maior enquete da história, no site da câmara dos deputad0s, votação em favor da família conforme a lei natural está na frente. Você já votou?

    Na página principal da câmarafederal, na aba enquete.

    Divulgar em seus grupos e comunidades cristãs

  4. Na maior enquete da história, no site da câmara federal, votação em favor da família conforme a lei natural está na frente. Você já votou?

    Na página principal da câmarafederal, na aba enquete.

    Divulgar em seus grupos e comunidades cristãs

  5. Como o Sandro bem disse, a escola deveria ensinar a CIDADANIA e da forma mais ampla possível. A maneira como isso será feito, é discutível. Mas tem que ser feito, faz parte da construção de uma sociedade melhor.

    “E o meu pai e a minha mãe me ensinaram a ser tolerante com o meu próximo independente da sua cor, credo, condição social, opção sexual, etc.”

    O problema é que muitos NÃO ENSINAM e ainda tem aqueles que ensinam a DISCRIMINAÇÃO. Se a escola não ensinar a cidadania para esses jovens, defendo que seus pais sejam responsabilizados diretamente por quaisquer atos de discriminação praticados por eles. Como punição por não terem educado seus filhos adequadamente para viver em uma SOCIEDADE PLURAL.

    Quando falamos em CIDADANIA, não confundam com ensinar SEXO para CRIANÇAS. Para adolescentes, eu diria que hoje é uma medida necessária. Pois o adolescente de hoje, vivência o sexo, logo eles devem sim ser ensinados sobre prevenções de doenças, de gravidez e etc…. .

    O ensino da cidadania pode ser por ETAPAS. Um ensino inicial e bem básico que esteja de acordo com as crianças. Ensinariam a não praticar o Bullyng, seria o suficiente para crianças não serem homofóbicas. Ou seja, ensinaríamos à elas a não discriminar, sem mencionar a homossexualidade. Já a partir dos 13 ou 14 anos, que é a fase adolescente, ai sim temas como sexualidade, entrariam no ensino da cidadania.

  6. Esse País rico e de primeiro mundo sabe o que diz e o que faz.Por isso que é abençoado por
    DEUS.Já na Uganda,país cristãos fundamentalistas,operam a corrupção,criminalizam os gays,
    praticam injustiças e o resultado todo mundo já sabe:miséria e maldição…..

  7. qual o direito exclusivos das aberrações gays que deve ser ensinado? o que os gays são melhores que eu e os seres humanos normais? o unico direito que essas desgraças tem é ser espancados e morrem a mingua. gay e como rato e barata, não presta pra nada a não se espalhar doenças.

  8. Discordo quando você diz que as escolas cristãs não devem ensinar religião, pois se essas escolas são confessionais elas podem sim ensinar a religião a que pertencem e quem matrícula os seus já sabe disso de antemão.

DEIXE UMA RESPOSTA