Eleições nas capitais contam com pelo menos 250 candidatos que se apresentam como evangélicos

0

As eleições municipais deste ano apresentam um alto número de candidatos evangélicos que se identificam conforme sua função nas igrejas: são pastores, bispos, missionários, “apóstolos” e até presbíteros.

Somente nas capitais, um levantamento realizado pela revista Veja descobriu 250 candidatos que apresentam ao eleitor suas credenciais evangélicas, sejam eles postulantes a cargos executivos (prefeito e vice), sejam candidatos a vereador.

No total, são 195 candidatos-pastores, 33 missionários, 14 bispos, 07 “apóstolos” e um presbítero. A maior concentração foi registrada na capital mineira, onde 26 religiosos concorrem: dezenove pastores, quatro missionárias e três bispos.

A capital amazonense ficou em segundo lugar, com 21 candidatos identificados como líderes evangélicos, e em terceiro, Salvador (BA), com 18 postulantes, entre eles um candidato a prefeito, pastor Sargento Isidoro (PDT), que se tornou conhecido pelo jingle que diz “o doido está buscando a paz, a união, drogas jamais”.


No fim da fila, a capital com menos candidatos evangélicos é Cuiabá (MT), que tem apenas a pastora Janda como candidata.

Dois pastores concorrem em chapas distintas pela prefeitura de Porto Velho (RO). Pastor James Melo (PR) concorre a vice na chapa do Dr. Ribamar Araújo (PR), e tem como adversário pastor Severino (DEM), candidato a vice de Pimentel (PMDB).

Em outras três capitais a religiosos entre os candidatos ao Poder Executivo: Campo Grande (MS) a pastora Márcia Mega (PROS) é candidata a vice de Luiz Pedro (PROS); em Boa Vista (RR), o pastor Frankembergen (PSC) é vice de Sandro Baré (PP); e em Aracaju (SE), o pastor Antonio (PSC) é candidato a vice na chapa de Valadares Filho (PSB).

Cantores gospel também marcam presença nas eleições, tentando vagas nas Câmaras de vereadores ou nos paços municipais, como por exemplo, Noemi Nonato (PR), que tenta a reeleição como vereadora na capital paulista; e a pastora Flordelis (PMDB), que estreia na política tentando o mandato à frente da prefeitura de São Gonçalo.

Universal

A denominação fundada pelo bispo Edir Macedo tem laços estreitos com o PRB, legenda pela qual a ampla maioria de seus candidatos concorrem. Na Região Sudeste, dois candidatos do PRB lideram as pesquisas de intenção de voto.

No Rio de Janeiro, o senador Marcelo Crivella, bispo licenciado da igreja, lidera com 28% das preferências, de acordo com informações do Datafolha. Ele é seguido pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), com 11%; o também estadual Flávio Bolsonaro (PSC), com 9%; e a deputada federal Jandira Feghali (PC do B), com 7%.

Já em São Paulo, o deputado federal Celso Russomano está à frente da corrida pela prefeitura com 31% das intenções de voto. Parlamentar mais votado do país, com mais de 1,5 milhão de votos, Russomano já havia liderado as pesquisas em 2012, mas terminou ficando fora do segundo turno, quando Fernando Haddad (PT) venceu José Serra (PSDB).

Em 2016, Russomano é seguido pela senadora Marta Suplicy (PMDB), com 16%; a deputada federal Luiza Erundina (PSOL), com 10%; o prefeito Fernando Haddad (PT), com 8%; e o estreante na política, empresário João Doria (PSDB), com 5%.

Confira tudo sobre as eleições municipais que envolve o meio evangélico neste link.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA