Reportagem do Fantástico sobre família que cria filhos sem identidade de gênero é criticada

8

As questões relacionadas à ideologia de gênero vêm sendo abordada com maior frequência na mídia brasileira, e no último domingo, o programa Fantástico, da TV Globo, exibiu uma reportagem que foi entendida, por muitos telespectadores, como tendenciosa, e criticada por especialistas.

A matéria, de quase cinco minutos, relatava a rotina de uma família da cidade de Portland, no estado de Oregon (EUA), que cria seus dois filhos sem “impor” um gênero a eles. Resultado: o mais velho, nascido no sexo masculino, se diz menino “na maior parte”, mas também “um pouco menina”.

Brisen, oito anos de idade, usa roupas masculinas e femininas, deixa o cabelo comprido e tem problemas de ansiedade por causa das gozações que enfrenta na escola. Já sua irmã, de quatro anos, aos dois já havia dado mostras que queria ser tratada como menina.

A mãe, Arwyn Daemyir, é uma massagista que se dedica ao ativismo da ideologia de gênero, mantendo um blog sobre o assunto. Na reportagem, ela afirmou que “cerca de 1% das crianças são transgêneros ou não se encaixam nas classificações tradicionais de menino ou menina”.


Um especialista ouvido pela reportagem destacou que a maneira como essa família educa os filhos pode trazer problemas no futuro: “[Em] uma criação sem gênero algum você cria uma bolha artificial onde as crianças vivem num mundo sem masculino e feminino, só que no mundo real, existe o masculino e feminino, existe macho e fêmea, existem os artigos que definem o que é masculino e feminino, e esse choque do neutro para a realidade pode ter consequências na estruturação dessa criança”, afirmou Alexandre Saadeh, especialista em sexualidade infantil e chefe do Ambulatório de Transtorno de Gênero e Orientação Sexual da Universidade de São Paulo (USP).

A psicóloga Marisa Lobo, uma das principais vozes contra a ideologia de gênero, também criticou a reportagem: “Vejo com muita preocupação essa tentativa de programas de TV no Brasil participarem dessa engenharia social que visa claramente a reorientação sexual da humanidade. As crianças criadas dessa forma estão sendo cobaias, pois essa teoria Queer de desconstrução sexual, de gênero, é uma ideologia somente, uma falácia e aceita por alguns desavisados como verdade. Deixar de simbolizar seus filhos de acordo com seu sexo cria conflitos de identidade no futuro. Pode parecer lindo na matéria, mas já há casos de desajuste que a mídia não mostra, gerados por este tipo de criação. Creio que o ser humano mereça ser respeitado em sua essência e a criança protegida. A saúde mental de nossas crianças está em risco. Podemos educar nossas crianças para respeitar o outro claro, mas, sem desconstruí-lo como sujeito e sem conflitar sua identidade. Isso é desnecessário e perigoso”.


8 COMENTÁRIOS

  1. OLHA SEU THIAGO, SE FOI VC QUE EDITOU ESSA MATERIA TA COMPROVADO:

    VC E UM A FAVOR DOS LGBT E CIA.

    ESSA MATERIA TENDENCIOSA EU E OS CRENTES MAIS ESPERTOS ESTAMOS LIGADOS NA TUA ONDA!

    POR ISSO PEDIMOS PRA SO OS CRENTES BESTAS DEBATEREM E PERDEREM TEMPO COM SUAS MATERIAS GAYS INDUTIVAS E INUTEIS!

  2. Rapaz, eu vou criar meu filho da maneira tradicional mesmo, se ele tiver uma piro ca entre as pernas, vai ser criado como menino, se tiver uma piriqui ta, como menina, se quiser mudar de sexo, que seja quando estiver adulto, ciente e consciente de suas ações e responsável por si mesmo. Mas não vou impor um negócio pra fazer confusão na cabeça da criança, como essa criança da matéria, que não sabe se é menino ou menina, tendo a resposta no próprio corpo mas sendo desorientado pela mãe.

  3. Pessoas do Planeta Terra, abram seus olhos!!! O que tem que existir vai existir! A Palavra já contou a história até o fim… a natureza tem seus desvios, mas a criação foi feita de macho e fêmea, o resto é desvio… podem espernear, pendurar Jesus de ponta cabeça, esbravejar… o que é, É… ninguém vai mudar isso.
    Senão, após tantos bilhões de anos, a evolução da espécia não teria transformado o corpo? Não transformou! Não vai mudar, não vai ser criado um outro (ou outros) sexos no ventre… existe homem e mulher e a continuidade da espécie humana depende desses dois gêneros em junção sexual. Preocupem-se com o racismo, com a intolerância, com a liberdade sem disciplina. Isso sim muda a cada minuto e levará a destruição do mundo.
    O gosto pelo mesmo sexo sempre existiu e vai existir. Crianças já nascem com essa tendência porque o trabalho do Opositor vem de útero, de maldição familiar, de pai pra filho. Assim como existem crianças deprimidas, crianças hiperativas, crianças compulsivas, existem crianças gays porque o Inimigo não vai mais poupar o ser humano, em nenhuma idade, a guerra foi declarada no início dos tempos.
    Acreditando ou não no Evangelho, a Humanidade é fisicamente composta por 2 gêneros e não há mente humana, ou comportamento, ou lei, ou atitude, ou ideologia que possa mudar isso. Conformem-se em ser entregues as suas paixões sem querer provar pro mundo que é normal.
    E acho bom os não crentes entenderem que Deus não está forçando ninguém a nada. o Senhor tem uma proposta de vida, aceita quem quer.
    O mundo está parecendo uma casa grande, cheia de crianças, que os pais saíram e os deixaram sozinhos… tá uma festa, uma bagunça… tá rolando tudo que eles querem, todas as brincadeiras, mas os donos da casa ainda são os donos da casa e quando eles voltarem, o bicho vai pegar…
    Vigia e Ora, povo de Deus!

  4. O problema dos gays é o barulho que fazem para serem aceitos quando, se fosse normal eles não deveriam se preocupar.
    Não vejo motivos para tanta preocupação sabendo que mesmo que alguém o proíba de ser gay ele vai continuar.
    Se exigem aprovação é por que sabem que a atitude é reprovada, senão não causariam tanta heterofobia na sociedade.
    É fácil criar filhos gays desde pequenos, pois muitas patricinhas velhas não terão que pegar netos no colo e parecerem velhas aos olhos da sociedade, é fácil ter um fresco apoiando elas contra o marido e depois serem traídas pelos mesmos frescos, embora muitas mulheres abriram mão da feminilidade para conquistar uma posição a mais na sociedade enquanto se difamam nos bailes funks ou bêbadas no volante e voltando grávidas para casa sem saber de quem.
    Eu não me preocupo, pois sou hétero, não tenho que impor nada para a sociedade por que estou dentro da normalidade.
    A natureza é unica e os enrustidos por mais que lutem e vençam certos desafios, nunca serão felizes pois sabem que é errado, senão não exigiriam direitos se fossem normais.
    Modernidade é muito diferente de vadiagem e mundanismo.
    Se ser gay é normal, por que não se sentem normais e não param de encher o saco?
    Não somos obrigados a deixarem invadir os nosso lares e tirar os bons costumes dos nossos filhos e nem somos obrigados a traçar eles.
    Quero ter netos héteros e não frescos que aguentam troncos atras e declaram sensíveis.

  5. parece que eles querem que acreditemos na seguinte preposição alguns menino nasce menina, mas nenhum nasce menino pura confusão o mais natural não seria criar meninos como meninos e vice versa e quando crescerem e tiverem estrutura psicológica se perceberem que tem outra orientação sexual serem respeitado na sua escolha por ser fruto de uma mente madura

  6. Essas pessoas que criam seus filhos e não sabem quem é homem ou mulher, é doente mental precisa de tratamento, se for ao supermercado fazer compra não vão saber o que é arroz nem feijão vai colocar açúcar canela no feijão sal pimenta sabão no doce, primeiro precisa de buscar Deus então será livre da escravidão do satanás que sega a pessoa, e faz que o pecado passa a nortear sua vida, que Deus tenha misericórdia desses infelizes.

  7. Não tenho preconceito seja cada indivíduo o que quiser ser. Mas porque se intrometer na educação sexual das crianças? É niguem se dispos a devender -las contra os riscos de estupro, entre outros . Sou mãe, Sou contrar. Pergunte a mãe de vcs que apoiam essa locura se elas mães concorda. ..
    Claro que a maior parte delas vão dizer que não. Mas os aceita como são. Então parem de constrange nossas crianças . Somos pais e lutemos para defender nossas crianças.

DEIXE UMA RESPOSTA