Igrejas de comunidades negras vêm sendo incendiadas nos Estados Unidos, diz imprensa

10

Dylann Roof, o racista que matou nove cristãos a tiros em Charleston, Carolina do Sul (EUA), disse que pretendia iniciar uma guerra racial com seu ato quando foi preso. Aparentemente, sua intenção de intensificar o conflito está sendo bem-sucedida, pois igrejas de negros vêm sendo incendiadas em todo o país.

Sete templos foram incendiados em cinco estados diferentes nas duas últimas semanas, segundo informações veiculadas pelo Think Progress.

O ataque mais recente aconteceu ao templo da Igreja Episcopal Africana Monte Sião, em Williamsburg, na Carolina do Sul, na última terça-feira, 30 de junho. As autoridades suspeitam de incêndio criminoso.

Episódios similares foram registrados em outras seis congregações, em um espaço de oito dias. O primeiro, aconteceu dia 22 de junho, à Igreja Adventista do Sétimo Dia College Hills, na cidade de Knoxville no Texas, e os bombeiros confirmaram que o incêndio havia sido provocado.


No dia seguinte, em Bacon, Geórgia, a Igreja de Cristo Poder de Deus, que tem a maioria de membros da raça negra, foi incendiada de forma intencional, de acordo com a Polícia da cidade.

No dia 24 de junho, a Igreja Batista Briar Creek, em Charlotte, Carolina do Norte, foi alvo de incêndio criminoso, segundo o Corpo de Bombeiros. O fogo destruiu o templo e um ginásio da igreja, e o prejuízo é estimado em cerca de US$ 250 mil, o equivalente a R$ 790 mil pela cotação atual do dólar.

No mesmo dia, a Igreja Presbiteriana Fruitland, em Gibson, Tennessee, também foi incendiada, mas as causas ainda não foram esclarecidas.

No dia 27/06, outras duas igrejas foram alvo de incêndio: a Igreja Batista Glover Grover, em Warrenville, Carolina do Sul, e a Igreja Apostólica Santidade é o Milagre Maior, em Tallahassee, na Flórida. Nesta última, o prejuízo é estimado em US$ 700 mil (R$ 2,2 milhões).

10 COMENTÁRIOS

  1. As igrejas das comunidades negras sempre tiveram papel importante na luta contra a escravidão e, mais tarde, pelos direitos civis dos negros. São os redutos de resistência, e sempre alvo de ataques de racistas.

    • É mesmo Marcelo? Não sabia que você já tinha desvendado o caso e descoberto que são cristãos. E depois falam da eficiência americana. Tantos casos de ataques racistas não resolvidos nos EUA, e nosso “detetive” brasileiro até já descobriu a religião dos autores dos crimes. Parabéns. ≧◔◡◔≦

      Foram-se os tempos em que os ataques racistas eram coisas de poucos membros da KKK e skinheads. Segundo o SPLC (Southern Poverty Law Center), há, no total, 784 grupos de ódio ativos nos EUA, com grupos diversos e sem relação com crenças. Desses, 142 são de inspiração nazista; 119 se consideram grupos skinhead; 115 são nacionalistas brancos; e 72 têm vínculos com a Klu Klux Klan.

  2. Quanto mais nos afastamos (temporalmente) dos horrores da segunda guerra, mais nos aproximamos de uma terceira guerra (provavelmente de cunho religioso), triste, nós humanos não aprendemos com o passado e estamos fadados a repeti-los a cada duas ou três gerações. Que condição triste a nossa…espero que haja uma intervenção de cunho espiritual/extra terrestre para mostrar o bem e frenar esses estúpidos que estão com a legalidade a favor deles (políticos, religiosos tolos)…poucos são os agentes do bem, e com certeza estão longe dos palanques.

    • *extra terrestre não falo necessariamente de ETs e suas naves, falo de qualquer força acima da esfera terrestre que tenha condições de ensinar a esses selvagens o que é vida.

        • O ser humano em geral… estar em uma igreja ou mesquita não te garante nada além de uma carteira de membro…há ateus que entenderam o evangelho, mas odeiam a hipocrisia da religião, isso é compreensível, mas na sua ignorância culpam a Deus, que a todos ama dando liberdade e dando o testemunhando da verdade em Cristo…
          A sua frase está cheia de insinuações e ironia…não precisa disso meu caro…eu não defendo classes, defendo a verdade.

DEIXE UMA RESPOSTA