Brasil

Missionário é acusado pelo Ministério Público Federal de recrutar índios para trabalho escravo

Comentários (49)
  1. Elder Lima disse:

    Pois é, não existia MP quando a maldita corja de jesuítas assasinos chegaram ao Brasil! Agora tem! Se for comprovado, que vá em cana!!!!

    1. Lopes disse:

      Olha o herege coiteiro , querendo desviar o foca., cadeia no peste do pastoreco., urgente.

      1. Elder Lima disse:

        Lopes

        Cala a sua boca vagabundo, seu negócio é lamber saco de padrecos!

    2. leandro disse:

      O Elder Lima, se hoje em dia 30 % da população do Brasil é de tem ancestrais indígenas agradeça ao que vc chama de “corja Jesuíta”. Nos EUA tão ricos, tão sábios e abençoados por Deus o numero de descendentes de índios é muito menor porque os teus irmãos de fé protestante simplesmente matavam os indios aos quais julgavam de feras selvagens.

      Não vou ser leviano de generalizar pois algumas seitas como a dos quakers respeitavam os indios. Mas basta olhar a pequenez das atuais reservas e números de índios ianques que dá pra notar como os índios de lá perderam mais do que os daqui.

      Num livro como “Negros da Terra” do norte americano John Manuel Monteiro, vemos bem como os jesuítas lutaram para preservar alguma dignidade para os indígenas. A tal ponto que foram expulsos de SP pelos bandeirantes. No Sul, tiveram que armar os índios para evitar seu massacre.
      Que o senhor tenha divergências com o que a IG Católica prega é perfeitamente compreensível. Agora não tente falsear a História para justificar os atos de bandidos protestantes do presente e do passado.

      1. Elder Lima disse:

        Leandro

        Vocês são tão “santos” que chega a me emocionar! Vai lamber sabão! Todos sabem o que essa cambada de vagabundos fez quando chegaram ao Brasil! Se a maldita ICAR tem o poder e o dinheiro que tem hoje, foi as custas de muito sangue inocente!

        Não me venha aqui querer mudar os fatos passados em conivência com esse lixo de Roma!

        1. leandro disse:

          E vc Elder Lima é tão cristão quanto aqueles que mataram Cristo. Mandar lamber sabão é mesmo uma prova de sua mansidão cristã.

          Mostre as fontes que usa. Falar expressões como : “Ah todo mundo sabe”.

          Eu estou mudando os fatos???? Ridiculo e falta de um honestidade intelectual e espiritual de sua parte falar isto. Mas uma vez mostre a evidência baseada em historiadores e fontes sérias. Se tudo o que tem para postar é ofensas e acusações baseadas em achismos ai fica fácil.

          Quem quiser mais informações alem do livro de Jonh Manuel Monteiro indico o clássico HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA cujo organizador foi o Sergio Buarque de Holanda. Ou os livros do Capistrano de Abreu que nem eram católicos.

          Se O Elder que ficar se autoiludindo esteja a vontade para fazer isto mesmo para si. Mas Não me acuse de cometer o pecado do falso testemunho que vc mesmo faz.

          1. Lopes disse:

            Caro não vale a pena o elderzinha é um safado igual ao pastorecos mercenario , vai ver este peste tbm vive surrupiando dizimos.,

      2. Eduardo Nobre disse:

        Leandro, o Elder Lima é para os evangélicos, o que a emanuelle e o Lopes são para os católicos (baixam o nível). Não vale a pena você debater com alguém que desce ao nível de “vai lamber sabão”, “cambada de vagabundos” etc.. guarde seus comentários ilustres para debates edificantes como você tem aqui de vez em quando. Grande abraço.

        1. leandro disse:

          Obrigado Eduardo, realmente vc falou com toda razão.Deus lhe pague em dobro.

        2. Elder Lima disse:

          Eduardo Nobre

          Apesar de toda a sua eduação, tentando transparecer algo no qual eu tenho dúvidas de que realmente sejas, Peço-lhe sucintamente que guarde sua opinião sobre mim, para si. Pois essa não me interessa nem um pouco.

          Abraços!!!!!

        3. Eduardo Nobre disse:

          Prezado Elder Lima,

          Caso não tenha notado, não estou interessado no que você acha, estou conversando com meu amigo Leandro (quando te citei como um mau exemplo, sem necessidade aliás, visto ser público seu palavreado “xulo”), e não perdi meu tempo dirigindo minha palavra a você.

          Agora, se você não deseja ser comentado por mim ou qualquer outro, é só não expor seus comentários aqui nesse espaço público. Tudo que está publicado aqui está passível de comentários, se não gosta, a porta de saída é serventia da casa.

          Saudações.

          1. Elder Lima disse:

            Caríssimo Eduardo Nobre:

            É com muita alegria que lhe digo que a recíproca é totalmente verdadeira.

            Palhaços como V.S.ª. simplesmente não causam nenhuma interferência no meu modo de ver e opinar em relação aos temas tratados neste site.

            Por isso lhe desejo boa sorte, e que procure algo de útil pra fazer em sua vida ao invés de se preocupar com minhas opiniões.

            Desde já, agradeço vossa atenção!

            rsrsrs!!!!!

          2. Lopes disse:

            Caro Eduardo fiquei muito triste de vc me comparar com o herege elderzinha., posso ser tudo que disse mais chacal herege , proteTstante perseguidor não.,

    3. emanuelle disse:

      Vocês cometem o erro protestante de ridicularizar o que não entendem
      Poderia parecer que a curiosidade humana normal nos levaria a investigar a verdade. Inclusive quando nós recusamos a indagá-la por nossa própria vontade (como a própria Sagrada Escritura nos manda em Romanos 1,18 e Romanos 2,8).
      Algumas seitas protestantes, não obstante constantemente blasfemem os ensinamentos catolicos, não fazem o mínimo esforço para descobrir se suas ridículas acusações estão realmente baseadas na verdade ou não.
      Ao observar suas ações a partir um ponto de vista católico, parecem demonstrar um ódio pela Igreja Católica maior que o amor que poderiam ter a Deus. Quem ama a Deus, o busca, visto que Ele é a verdade personificada.
      – “Mas estes, quais brutos destinados pela lei natural para a presa e para a perdição, injuriam o que ignoram, e assim da mesma forma perecerão. Este será o salário de sua iniquidade” (2Pedro 2,12).
      – “Estes, porém, falam mal do que ignoram. Encontram eles a sua perdição naquilo que não conhecem, senão de um modo natural, à maneira dos animais destituídos de razão” (Judas 1,10).
      Somente neste comentário foi apresentado quatro versículos não reconhecidos pelos protestantes.

  2. clamando disse:

    é um pastor bandeirante e dai, quando os outros exploraram os pobres índios, deram até av. como homenagem .kkk é sacanagem

  3. valdir catelico lima disse:

    e minha gente agora o Brasil tem minusterio publico pois como ja foi comentado estes padres jesuitas que exploraram os indios ,mataram, estruparam suas mulheres infelizmente nao tinha lei e muitos morreram , mas essa pragas de pastores jesuitas , evangelicos , essa ordem de freis tambem sao piores que bandidos quanto mais corta mais cresce como tiririca

    1. nosferatu disse:

      qual parte da história documentada do Brasil conta essa estória ai?

      1. leandro disse:

        Na cabeça muito “cristã” dele Nosferatu.

  4. A históruia relata que os jesuítas só fizeram o bem a todos sem fazer acepção.É que todo
    fari fanático é um evanjegue e,como tal,só fala asneiras,coisas sem nexo.

    1. Lopes disse:

      Os índios tem que fechar o fiofo desde peste safado., e mandar ele para o inferno.,

  5. emanuelle disse:

    Após fundarem o protestantismo na Alemanha, no início do século 16, essa ideologia travestida de ares religiosos incorporou o desejo de muitos burgueses em apoderar-se do patrimônio da Igreja Católica. Em toda Europa isso foi posto em prática da pior forma possível, como podemos ver neste artigo:
    fim da farsa. Blog spot. com. br/ 2012 /05/ sabe- por- que- alguns-paises- ricos- sao. html

    É evidente que o protestantismo não buscava a evangelização dos povos, mas edificar onde a Igreja Católica já tinha pregado Jesus Cristo e apoderar-se de seu legado patrimonial e religioso, inclusive proibindo o culto católico.

    Para dar um exemplo de como é avessa aos evangelhos a conduta protestante, as Escrituras demonstram que quando o apóstolo Pedro pregava em Roma, o apóstolo Paulo evitava ir àquela cidade e assim escreveu aos romanos:

    “20. E me empenhei por anunciar o Evangelho onde ainda não havia sido anunciado o nome de Cristo, pois não queria edificar sobre fundamento lançado por outro. 21. Fiz bem assim como está escrito: Vê-lo-ão aqueles aos quais ainda não tinha sido anunciado; conhecê-lo-ão aqueles que dele ainda não tinham ouvido falar (Is 52,15). 22. Foi isso o que muitas vezes me impediu de ir ter convosco” (Romanos capítulo 15)

    Quase duas décadas antes do protestantismo existir no mundo, os católicos chegaram pacificamente ao Brasil em três simples caravelas. Foram festejados pelos nativos e em 26 de abril de 1500, foi celebrada a primeira missa pelo Padre Henrique de Coimbra junto com o Padre iniciante Marcos de Oliveira Ferreira, fato este descrito por Pero Vaz de Caminha na carta que enviou ao rei de Portugal, D. Manuel I.
    O protestantismo só viria a ser fundado na Alemanha a partir de 1517. Primeiro tratou de se apoderar, sob sangue derramado, dos bens patrimoniais da Igreja Católica na Alemanha e depois em muitos outros países da Europa, como demonstrado no link já citado.
    Em 1570, foram enviados ao Brasil para evangelizar os índios o Padre Inácio de Azevedo e mais 40 jesuítas. Vinham a bordo da nau São Tiago quando em alto mar os interceptou o calvinista Jacques Sourie. Como prova de seu “evangélico” zelo mandou degolar friamente todos os padres e irmãos e jogar os corpos aos tubarões. (Luigi Giovannini e M. Sgarbossa in Il santo del giorno, 4ª ed. E.P, pág. 224, 1978).

    Até que então, cita a revista protestante Eclésia:

    “Manhã de 15 de fevereiro de 1630. No horizonte da capitania de Pernambuco surge, segundo documentos da época, “a maior armada que já cruzou o equinocial”. Dos barcos, os holandeses avistam a beleza das praias do Recife, um pacato povoado na periferia de Olinda, cidade importante da colônia.”
    “Já havia alguns anos, os flamengos estavam de olho naquele ponto da costa brasileira.
    A região parecia promissora para seu objetivo de implantar uma “Nova Holanda” nos trópicos – muita água, riquezas naturais, clima e regime dos ventos favoráveis, e um litoral com bons pontos de desembarque e uma grande área protegida pelos arrecifes para fundear os navios. Os forasteiros que se aproximavam não eram meros aventureiros ou corsários: eles vinham mesmo para ficar e colonizar aquela terra à sua maneira. “ – Leia-se “colonizar aquela terra à sua maneira“ como,”fazê-la virar protestante a força”.
    Segue confessando a revista protestante:

    “Não era a primeira vez que conquistadores holandeses lançavam-se sobre o Brasil. Em 1624, invadiram Salvador, onde inclusive realizaram um culto reformado, no dia 11 de maio daquele ano, dirigido pelo reverendo Enoch Sterthenius.”

    Veja então como foi realizado o culto protestante no Brasil: 1624, as igrejas católicas na Bahia foram depredadas e transformadas em depósitos, celeiros, adegas ou paióis e a Sé foi destinada ao culto anglicano.
    achetudoeregiao. com. br/ ba/ Bahia_ sua_ historia. htm

    Segue a revista confessando que os protestantes eram“invasores”:

    “No ano seguinte, os invasores foram rechaçados por forças espanholas, portuguesas e brasileiras, com auxílio dos índios potiguares. Mas eles não desistiram. Logo a WIC organizaria esquadra nova e poderosa: 56 navios, 1,1 mil canhões, 3,8 mil tripulantes e 3,5 mil soldados.”
    “A conquista de Olinda e Recife consumiu poucos dias, mas o resto da capitania ofereceu resistência feroz, comandada por Matias de Albuquerque e Felipe Camarão.
    Depois de cinco anos de uma luta encarniçada com requintes de guerrilha na selva, toda Pernambuco passou ao controle holandês. Vencida a resistência inicial, a ocupação deslanchou por todo o Nordeste.”
    Em Olinda, no ano 1631, os invasores protestantes destruíram e queimaram as igrejas católicas. A única igreja que ficou intacta foi a de São João Batista dos Militares, que servia de quartel general às tropas invasoras.
    oocities. org/ br/ cantinho bacalhau 02/71 pag07. htm

    “Em pouco tempo, as igrejas católicas foram transformadas em abrigos de soldados. Os utensílios do culto romano, como imagens, altares e paramentos sacerdotais, destruídos.”
    Segue a revista narrando a desgraça da invasão protestante:

    “Os invasores chegaram a dominar 1,2 mil quilômetros da costa, incluindo os atuais territórios da Bahia, Sergipe, Alagoas e toda a faixa de terra até o Maranhão. “Morto está o Brasil”, sentenciou o padre jesuíta Antônio Vieira, um dos maiores cronistas do período colonial. Estava criada a Nova Holanda.”
    Em 16 de julho de 1645, o Padre André de Soveral e outros 70 fiéis foram cruelmente mortos por mais de 200 soldados holandeses e índios potiguares persuadidos. Os fiéis participavam da missa dominical, na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho Cunhaú, no município de Canguaretama, localizado na Zona Agreste do Rio Grande do Norte. Por seguirem a religião católica, pagaram com a própria vida o preço pela crença, por causa da intolerância calvinista dos invasores.
    dnonline. com.br/ app/ noticia/ cotidiano/2009/09/28/ interna_ cotidiano,1 9853/ index. shtml

    “A estabilidade da Nova Holanda, ao menos temporariamente, estava garantida. Antes disto, em 1637, um novo responsável pelas possessões holandesas no Brasil chegara ao Recife. Seu nome: Johann Mauritius von Nassau-Siegen, ou simplesmente Maurício de Nassau (…) calvinista praticante.” – Nassau era um protestante alemão a serviço dos invasores holandeses.
    “De fato, as procissões católicas foram proibidas. Os dias santos foram declarados nulos, sendo reconhecidos apenas a Páscoa e o Natal como feriados. As missas só podiam ser celebradas dentro de algumas casas, já que as igrejas haviam sido ocupadas pelos reformados.”
    Maurício de Nassau, um dos maiores traficantes de escravos para o Brasil

    Em 25 de junho de 1637. Devido a falta de escravos para os engenhos de cana de açúcar, fugidos por causa da guerra entre holandeses e portugueses, Nassau envia uma expedição de nove navios para a Guiné, na África, sob comando do coronel Hans van Koin, para trazer mais negros para Pernambuco.

    De acordo com o estudo do historiador e professor José Antônio Gonsalves de Mello, o maior pesquisador da invasão, por volta de 1640, na província holandesa o número de escravos era tão grande que igualava-se ao número de luso brasileiros que somavam 30 mil.

    Em 30 de maio de 1641. Tendo convencido os dirigentes da Cia. Das Índias de que era mais vantajoso atacar Angola, por conta dos escravos, do que a Bahia, Nassau envia uma força de invasão à África com 20 navios e mais de 4.000 homens.
    netsaber. com. br/ biografias/ ver_ biografia_ c _1290. html
    No ano seguinte, 1642, o pintor de Nassau confessa que sendo os congoleses já submissos a Nassau, seu rei em troca de favores, o presenteia com seiscentos escravos, sendo uma terça parte para o Príncipe, outra para o Conde de Nassau e uma terceira parte para a Cia das Índias. (“Albert Eckhout –Pintor de Maurício de Nassau no Brasil 1637/1644″ – Clarival do Prado Valladares– Livroarte Editora)

    Para ver todo o desrespeito empregado pelos protestantes ao Povo Negro, e convocação feita pelo Sr. Hernani Francisco da Silva, Presidente da Sociedade Cultural Missões Quilombo à todas as Igrejas protestantes a pedirem perdão pelo desrespeito, preconceito, escárnio e tráfico deste povo, acesse: fimdafarsa. blogspot. com. Br /2013/ 08 / pedir-perdao-ao-povo-negro. html

    Em meio a matéria da revista, o bispo protestante Robinson Cavalcanti tentando limpar a barra do escravagista e intolerante Maurício de Nassau, brada: ” Pode-se dizer que o Brasil foi o primeiro lugar do mundo a experimentar um governo onde existiu a possibilidade de diferentes cultos e manifestações religiosas. Maurício de Nassau introduziu aqui a tolerância religiosa.”, – mas logo em seguida é corrigido pelo historiador Leonardo Dantas que acrescenta: “Não se tratava de uma liberdade total. Havia restrições a cultos não reformados.”, ou seja, a “liberdade” era só para culto protestante. A mesma revista afirma que os judeus só podiam fazer culto de portas fechadas.

    Informo também ao bispo protestante Robinson Cavalcanti, que no Brasil muito antes dos protestantes aqui pisarem, já era um país tolerante a diferentes cultos e manifestações religiosas onde ninguém era obrigado a ser católico. Vemos isso no documento Papal a este país do ano de 1537:

    Papa Paulo III (1534-1549),
    “Pelo teor das presentes determinamos e declaramos que os ditos índios a todas as mais gentes que aqui em diante vierem a noticia dos cristãos, ainda que estejam fora da fé cristã, não estão privados, nem devem sê-lo, de sua liberdade, nem do domínio de seus bens, e não devem ser reduzidos a servidão”. (…) determinamos e declaramos que os ditos índios, e as demais gentes hão de ser atraídas, e convidadas à dita Fé de Cristo, com a pregação da palavra divina, e com o exemplo de boa vida. E tudo o que em contrário desta determinação se fizer, seja em si de nenhum valor, nem firmeza; não obstante quaisquer cousas em contrário, nem as sobreditas, nem outras, em qualquer maneira. Dada em Roma, ano de 1537 aos 9 de junho, no ano terceiro do nosso Pontificado.” (Bula Veritas Ipsa” – 1537) (grifos nosso)

    Por estas palavras do Papa Paulo III vemos que as pessoas deveriam ser atraídas e convidadas a fé de Cristo sem imposição, respeitando-se a sua liberdade.

    A jurisdição papal estava limitada aos assuntos eclesiásticos ou pacificadores, por isso não se deve, como costumam maldosamente fazer os protestantes, atribuir à Igreja alguns abusos administrativos e políticos cometidos pelos reis ou mandatários, que em muitos casos foram advertidos pelos Papas diante de graves pecados que cometiam. Desde antes do descobrimento do Brasil são numerosas as bulas papais em repúdio a algumas atitudes anticristãs dos reis. Padres e bispos católicos chegaram algumas vezes a reprimir mandatários durantes as missas e até proibi-los de participar da celebração eucarística até se redimirem de seus pecados. Voltemos então ao início da derrocada protestante.

    Considerado um esbanjador pelas vultosas quantias que evaporava, Nassau acabou sendo chamado de volta em 1644. Partiu numa esquadra de treze naus que transportava carga avaliada em 2,6 milhões de florins. A sua bagagem pessoal ocupava duas naus. Com sua saída e com os custos da invasão cada vez mais altos, a manutenção da Nova Holanda tornou-se inviável e não tardou a ser derrotada pelos lusos brasileiros.
    A primeira batalha ocorreu em 19 de abril de 1648, e a segunda em 19 de fevereiro de 1649.
    A primeira Batalha dos Guararapes é simbolicamente considerada a origem do Exército Brasileiro devido a ser o episódio onde de acordo com as correntes historiográficas tradicionais em História do Brasil, esse movimento assinala o início do nacionalismo brasileiro, pois os elementos étnicos brancos, africanos e indígenas fundiram os seus interesses na luta pelo Brasil e não por Portugal. Foi esse movimento que deu à população local a verdadeira compreensão de seu valor, incutindo no povo o espírito de rebeldia contra qualquer tipo de opressão. (BLOCH Editores. História do Brasil, Vol. 1, pág. 180, 1976)

    A revista com falsa intenção de homenagear o invasor Maurício de Nassau, alega:

    “Santo Antônio” – (…) a administração de Maurício de Nassau conquistara a simpatia do povo, a ponto de ele chegar a ser chamado “Santo Antônio” numa alusão ao popular santo católico que, acredita-se, nunca deixa de atender um pedido.”

    Isso não procede. O que foi chamado de “Santo Antonio”, foi o bairro que os invasores holandeses chamavam de “Velha Maurícia”. O nome “Santo Antonio” deu-se ao bairro porque lá antes dos holandeses chegarem já estava o convento de Santo Antônio. Seria deveras contraditório o povo chamar um déspota protestante que proibiu o culto católico e queimou as igrejas católicas de “santo”.
    Hilário é ver a revista protestante que lançou o artigo para comemorar “o sonho do Brasil protestante” publicar isto no fim da matéria:

    “Ainda hoje, se pergunta se a vida não seria melhor num Brasil holandês. O historiador Leonardo Dantas apressa-se em desfazer o mito. ” Basta ver o que é hoje o Suriname, ex-Guiana Holandesa, para verificar que os holandeses não eram exatamente um modelo de colonização”, garante.”

    As outras vertentes protestantes colonizaram a África do Sul, Índia, Nigéria, Botswana, Jamaica, Bahamas, São Vicente e Granadinas e também fracassaram, tanto na evangelização como na qualidade de vida do povo, ficando provado que os países “ricos” protestantes só o são, porque foram todos usurpados do catolicismo a força: fimdafarsa. Blog spot. com. Br /2012/05/ sabe-por-que -alguns-paises-ricos-sao. html

    Hoje é inegável, que a ideologia protestante forjada na Alemanha no início do século 16, se mostra como a maior fábrica de ateus de todos os tempos, em completa inversão ao propósito Jesus Cristo na terra. Todas as estatísticas mostram que o protestantismo foi criado simplesmente para demolir o que a Igreja Católica edificou em matéria de evangelização. A Holanda que era grandemente católica antes de virar protestante a força, assim está hoje, com o número de incrédulos maior que o de protestantes:
    católicos 33%, Igreja Reformista Holandesa 14%, calvinistas 7%, islamismo 4,1%, hinduísmo 0,5%, sem filiação 39%, outras 2,4%.

    E isso é generalizado para todas as vertentes do protestantismo. Afirma o apologista protestante e escritor dr. Alex McFarland, que há cem anos, 96% dos americanos eram protestantes, mas hoje esse número é de 49% e continua em declínio. Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelo The Pew Forum on Religion and Public Life, mostra um constante aumento no número de ateus no país.
    macabeus comunidades. Blog spot. com. br/2012/11/ apologista-americano-afirma-que-aumento. html

    Ali, a Igreja Católica passou a ser a maior Igreja em número de fiéis e é quatro vezes maior do que a maior denominação protestante do país.
    wikipedia. org/ wiki/ Catolicismo_nos_Estados_Unidos_da_ Am%C3%A9rica

    Até a Catedral de cristal protestante agora é católica:
    portugues.christianpost. com/ news/ catedral-de-cristal-e-vendida-para-igreja-catolica-por-problemas-financeiros-10485/

    Na Alemanha e na Inglaterra, antes católicas e onde o protestantismo também foi imposto a força, o catolicismo já quase que empata com as religiões protestantes antes oficiais.

    Hoje no Brasil, o protestantismo sangra dividido em numerosas seitas pentecostais de proprietários rivais, a desafiar o próprio Jesus Cristo que ensinava: “Todo o reino dividido contra si mesmo será destruído e seus edifícios cairão uns sobre os outros.” (Lc 11,17).

    Já não ceifam vidas por aqui, mas a alma dos que persuadem, fazendo sistemático uso de uma velha arma protestante, a mentira, que podemos conhecê-las cronologicamente registradas neste endereço: fimdafarsa. blogspot.com.br/ 2011/06/ cronologia-universal-das-mentiras-e. html

    A intolerância protestante de antes permanece, ainda que sendo os protestantes que se autodenominam “evangélicos” minoria no maior país católico do mundo. Ainda hoje, a coisa mais comum é encontrar nos noticiários brasileiros, a notícia de que mais um evangélico invadiu uma Igreja Católica e a depredou.

    Longe desta conduta odiosa estão os católicos americanos nos Estados Unidos, maior país protestante, mesmo sendo lá os católicos quase três vezes mais numerosos que os evangélicos no Brasil.

    Lutero, o fundador do protestantismo apelidado de “reforma”, ainda em vida, viu o protestantismo violentamente se esfacelar diante do seu “livre exame” da Bíblia, e mergulhado em completo arrependimento assacou as chorosas palavras:

    “Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças.” ( Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, p. 6l ).

    “Se o mundo durar mais tempo, será necessário receber de novo os decretos dos concílios (católicos) a fim de conservar a unidade da fé contra as diversas interpretações da Escritura que por aí correm.” (Carta de Lutero à Zwinglio In Bougard, Le Christianisme et les temps presents, tomo IV (7), p. 289).

    Como bem diz o apologista Oswaldo Garcia: “É preciso saber que os “reformadores” não reformaram a Igreja de Cristo (que é irreformável em sua fé). Não se reforma uma casa criando em volta dela uma multidão de barracos.”

    fimdafarsa

    1. Celia Mulata disse:

      Será que essa menina acha mesmo que vai conseguir fazer alguém se curvar diante de uma e/ou prestar culto (mesmo que seja um terço) a uma estátua que não ouve e não fala?

      1. emanuelle disse:

        E por acaso tem alguém falando de imagens além de voce, Celianta?

      2. clamando disse:

        CÉLIA MULATA
        Ela é ativista ateia, e viu que não dava resultado voltou sob a capa da católica para poder atacar os cristãos

      3. emanuelle disse:

        É típico dos protestantes cometerem o erro de não aceitar a verdade quando lhe é apresentada.
        As enganosas acusações feitas pelos protestantes contra a Igreja Católica são facilmente comprovadas como erradas por muitos diferentes meios, mesmo que a mentalidade protestante descarte automaticamente qualquer comprovação sem esquadrinhar por eles mesmos.
        A Sagrada Escritura tem muitos versículos condenando aqueles que resistem a aceitar a verdade. É uma tripla autocondenação: primeiro, por dizer uma mentira; segundo, por ignorar estes versículos; e, finalmente, por não ler e estudar a evidência de seus erros quando apresentados.
        1. As acusações de que Pedro não foi o primeiro Papa e que nunca esteve em Roma, são totalmente infundadas, visto a quantidade de registros históricos autênticos verificados desde o primeiro século.
        Assim, os adeptos da “Sola Scriptura” recusam toda a Historia escrita antes da rebelião protestante, como se a História tivesse parado por 1.500 anos, a menos que possam distorcê-la para apoiar suas equivocadas crenças doutrinárias.
        – “A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar.Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro.Desse modo, serão julgados e condenados todos os que não deram crédito à verdade, mas consentiram no mal” (2Tessalonicenses 2,9-12).
        – “Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas” (2Timóteo 4,3-4).
        – “Mas, se tendes no coração um ciúme amargo e gosto pelas contendas, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade” (Tiago 3,14).
        – “Quem de vós me acusará de pecado? Se vos falo a verdade, por que me não credes? Quem é de Deus ouve as palavras de Deus, e se vós não as ouvis é porque não sois de Deus” (João 8,46-47).
        – “Se não vos receberem e não ouvirem vossas palavras, quando sairdes daquela casa ou daquela cidade, sacudi até mesmo o pó de vossos pés. Em verdade vos digo: no dia do juízo haverá mais indulgência com Sodoma e Gomorra que com aquela cidade” (Mateus 10,14-15).
        Os protestantes não estão interessados em encontrar a verdade; somente estão interessados em seus próprios interesses.
        As mentes fechadas estão fechadas para a verdade. Estar fechado à verdade é estar fechado a Ele, que é a Verdade e a Sua Palavra.

        1. Celia Mulata disse:

          Menina, Pedro não foi o primeiro “Papa” porque essa palavra só foi inventada muito tempo depois (no tempo dos apóstolos haviam bispos, diáconos, profetas, mas Papa foi “invenção” futura), Pedro era como uma espécie de “irmão mais velho” no máximo, porque todos os apóstolos eram irmãos:

          “Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos.
          E a ninguém na terra chameis vosso pai (Papa), porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus.
          Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo”.
          – Mateus 23:8-10.

          Quando Pedro confiou a Pedro as chaves, ele estava em Jerusalém e não em Roma. Então ele pode ter sido bispo de várias cidades (inclusive de Roma), mas foi em Jerusalém que Jesus fundou sua Igreja.

          Pedro não tinha a tal “infabilidade” papal, e foi repreendido por Paulo:

          “E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era REPREENSÍVEL”. – Gálatas 2:11.

          Pedro não era mais importante que Paulo (Jesus de início confiou a ele apascentar as ovelhas, mas disse que em breve viriam ovelhas de outro aprisco – gentios), assim como Jesus confiou a Pedro o apostolado dos circuncidados (judeus), confiou a Paulo o dos gentios (nós, então seu apóstolo é Paulo):

          “Antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me estava confiado, COMO A PEDRO o da circuncisão
          (Porque aquele que operou eficazmente em Pedro PARA O APOSTOLADO DA CIRCUNCISÃO, esse operou TAMBÉM EM MIM com eficácia para com os gentios)” – Gálatas 2:7-8.

          Pedro, como um homem qualquer, longe da infabilidade do “seu Papa” (do seu Pai, porquê o meu é Deus), também agia contra a Vontade de Deus:

          “Mas, voltando-se ele, olhou para os seus discípulos e repreendeu a Pedro: Afasta-te de mim, Satanás, porque teus sentimentos não são os de Deus” – Mateus 8.

          Se você ler o Concílio de Jerusalém (Atos 15), as decisões eram discutidas em grupo, não havia um maior que o outro, e quem deu a palavra final foi Tiago, e não Pedro.

          Paulo diz que as “Colunas” eram Pedro, João e Tiago (e não Pedro com um posto especial).

          Portanto, Pedro em nada se parece com o seu Pai (Papa). Aliás, ele abominaria esse título.

          1. emanuelle disse:

            É estranho ouvir tal argumento partindo de indivíduos que acreditam que todo ser humano letrado ou não letrado é infalível pelo princípio do julgamento particular [principalmente para interpretar a Bíblia], isto é, que o julgamento de um homem é tão bom como de qualquer outro, e que o julgamento de todo mundo é correto.
            A infalibilidade significa que Deus garante que, em matéria de fé e moral, o Papa não pode cometer erros.
            A infalibilidade NÃO significa que o Papa não possa pecar, nem que ele não possa cometer erros em outras matérias como história, política, ciências etc., mas somente quando ele declara uma certa verdade a respeito da revelação é que ele será infalível.
            Existem quatro condições necessárias para a infalibilidade do Papa:
            Ele precisa falar como chefe, pastor e professor da Igreja. As palavras que ele usa precisam deixar claro a todos que ele está falando como cabeça da Igreja em matéria de fé e moral.
            Ele precisa estar falando à Igreja Universal, isto é, aos Cristãos de todos os lugares do mundo.
            Ele precisa falar ”ex catedra,” ou seja, oficialmente com suprema e apostólica autoridade.
            Precisa ser em matéria de fé e moral, e não em qualquer outra matéria. A prova disto encontra-se na primeira Epístola de São Paulo a Timóteo, onde ele fala da Igreja de Cristo como ”o pilar e coluna mestra da verdade” (1Tm 3,15). Também no evangelho de São João: ”Eu pedirei ao Pai e ele dará a vocês um outro advogado para ajudar a vocês para sempre”.
            Da mesma forma, nós sabemos pelas Escrituras que Cristo prometeu que as portas do inferno não prevaleceriam contra a Igreja; Ele também prometeu estar com a Igreja até o final dos tempos. Se estas promessas significam alguma coisa, elas significam que Cristo protegerá a Igreja em seus ENSINAMENTOS da verdade porque Ele estabeleceu esta Igreja principalmente como uma Igreja de ensinamentos.
            Isto não limita a discussão ou debate entre seus membros, porque a Igreja usa a proteção do Espírito Santo apenas em casos extremos quando for necessário determinar a verdade de uma questão; e isso sempre em verdades fundamentais

          2. emanuelle disse:

            Pedro não te representa, não tenho dúvidas, pois a sua igreja não foi fundada por Jesus, portanto não tem sucessão apostólica. Quem te representa é o herege Lutero. A sua igreja é fruto de divisões, veio de divisões e sempre gerará divisões em numerosas seitas pentecostais e evangélicas de proprietários rivais, a desafiar o próprio Jesus Cristo que ensinava: “Todo o reino dividido contra si mesmo será destruído e seus edifícios cairão uns sobre os outros” (Lc 11,17). A sua igreja não durará muito, pois Jesus prometeu que as portas do inferno não teriam poder contra a igreja dele e não para a igreja dos outros que foram inventadas por motivações inúteis e de interesses pessoais.
            Não rejeite a frase bíblica 2 PEDRO 1,20-21
            Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal.Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus.
            CADA UM FUNDA A SUA SEITA EVANGÉLICA A SEU BEL PRAZER, CONTRADIZENDO COM OUTRAS SEITAS EVANGÉLICAS JÁ EXISTENTES, DIZENDO QUE A SUA “IGREJA” FOI INSPIRADA PELO ESPÍRITO SANTO E TEM FUNDAMENTO BÍBLICO. EM NOME DE DEUS ISSO VAI ACABAR, A MENTIRA NÃO PODE IMPERAR Não posso esquecer: o ignorante de tudo é você !

          3. emanuelle disse:

            Uma leitura cuidadosa em Mateus 16,18 (”Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”), sob a luz de João 1,41 (”Ele achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Havemos achado o Messias (que, traduzido, quer dizer Cristo”), pode demonstrar que Cristo, falando sobre a pedra, estava se referindo a Pedro e NÃO a si mesmo. É claro que nós todos admitimos que Cristo é o fundador de sua Igreja, mas São Pedro foi o escolhido para ser o regente temporal dessa Igreja. São João conta a história do encontro entre São Pedro e nosso Senhor em 1,42: ”E o levou a Jesus. Jesus, fixando nele o olhar, disse: Tu és Simão, filho de João, tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro)”.
            A palavra ”Pedro” em aramaico, que era a língua falada por Cristo, quer dizer ”pedra”. Cristo estava seguindo uma prática comum entre os orientais, mudando o nome de uma pessoa com o significado da função que ela iria exercer. Dois anos mais tarde, Cristo atualizava a mudança de nome de Simão e prometia construir sua Igreja sobre PEDRO, conforme visto acima em Mateus 16,18
            Uma leitura deste capítulo (16), de 13 a 20, vai mostrar que PEDRO era aquele que deveria ser a pedra. O SENHOR primeiramente pediu um sinal da fé de PEDRO. E Pedro disse: ”Vós sois o Cristo, o Filho de Deus vivo”. Ele então respondeu a ele: ”Abençoado sejas tu Simão Bar-Jona – porque a carne e o sangue não revelaram isto a ti, mas sim, Meu Pai no céu”. E então Ele mudou seu nome: ”Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.
            Certamente Cristo não pretendeu CONFUNDIR UMA CONSTRUÇÃO GRAMATICAL dizendo: ”Eu digo a Ti (falando a Pedro): tu és Pedro (e então alterando, na mesma sentença), sobre esta pedra (querendo dizer ‘sobre Mim’), Eu construirei a Minha Igreja”. Nos muitos versículos mais próximos, Ele então volta a PEDRO: ”E eu darei a TI as chaves do reino dos céus, e portanto, tudo aquilo que TU ligares na terra será ligado no céu, e o que TU não ligares na terra, não será ligado no céu”.
            Ele CONFIRMOU sua promessa, depois de sua ressurreição, quando ele ordenou a Pedro para apascentar os cordeiros e ovelhas em João 21,15: ”Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: ‘Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?’ Respondeu-lhe: ‘Sim, Senhor; tu sabes que te amo’. Disse-lhe: ‘Apascenta os meus cordeirinhos’. Tornou a perguntar-lhe: ‘Simão, filho de João, amas-me?’ Respondeu-lhe: ‘Sim, Senhor; tu sabes que te amo’. Disse-lhe: ‘Pastoreia as minhas ovelhas’. Perguntou-lhe terceira vez: ‘Simão, filho de João, amas-me?’ Entristeceu-se Pedro por lhe ter perguntado pela terceira vez: ‘Amas-me?’ E respondeu-lhe: ‘Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que te amo’. Disse-lhe Jesus: ‘Apascenta as minhas ovelhas”’.
            Pedro EXERCEU esta jurisdição:
            Seu nome foi sempre o primeiro nas listas dos Apóstolos.
            Ele propôs a eleição de um apóstolo para substituir Judas (Atos 1,21-26).
            Ele pregou o primeiro sermão no Domingo de Pentecostes (Atos 2).
            Ele realizou o primeiro milagre [depois de Cristo] (Atos 3,6-8).
            No Concílio de Jerusalém todos os Apóstolos se submeteram à sua autoridade (Atos 15,7-12).
            A História prova que desde aquele tempo, tanto no Oriente como no Ocidente, o sucessor de Pedro foi reconhecido como a cabeça suprema [visível] da Igreja. Desde aquele dia [até hoje], houveram 265 sucessores de São Pedro. Este era o plano de Cristo que é encontrado no mesmo capítulo onde ele disse que a Igreja fundada sobre ESTA rocha iria durar até o final dos tempos e que as portas do inferno NÃO prevaleceriam sobre ela. A Igreja teve essa fundação e portanto, se ela deveria seguir avante, deveria ter sucessores que dariam continuidade ao trabalho de Pedro, a pedra…

          4. emanuelle disse:

            Porque Jesus chama Simão Pedro de pedra?
            De um modo geral a Bíblia muitas vezes tipificou Jesus com as figuras da Rocha ou da Pedra. Mas em Mt 16,18 é impossível que tal CEFAS (pedra) refira-se a Jesus. Observe como todo o contexto versa em torno da pessoa do Apóstolo: é a Pedro diretamente que Jesus dirige as palavras: “Bem-aventurado és tu…, te revelou… Eu te digo… Tu és… Eu te darei… “. Observe principalmente que o próprio Simão passa a ser chamado CEFAS:
            “Tu és Simão, filho de João. Serás chamado Cefas (que quer dizer Pedra)” (Jo 1,42)
            Ora, se Jesus disse: “Simão tu és CEFAS e sobre esta CEFAS edificarei a minha Igreja”, como negar que Simão é a CEFAS (Pedra) sobre a qual Jesus edificou sua Igreja? Se Jesus chamou Simão de CEFAS, se toda a Bíblia chama Simão de CEFAS, como negar que CEFAS é Simão?
            E o mais importante é notar que Jesus aplica a Simão a mesmíssima figura que a Bíblia aplica ao Senhor Jesus: CEFAS. Isto tem um significado profundo. Vemos que Jesus aplica a Simão, no momento da fundação da Igreja, uma figura própria de Jesus. E assim, Jesus faz de Simão um outro “Cristo”, ou seja, um representante.Justamente porque aplica a Simão a mesma figura com que a Bíblia normalmente faz referência ao Cristo. E é justamente isso que a missão do Papa significa: Ser representante de Cristo na terra.
            Esta é a missão de Pedro e, na Bíblia, sempre que Deus escolhe um homem para dar-lhe uma missão sublime que abarca todo o povo de Deus, Deus muda o seu nome. Assim, Abrão se tornou Abraão, pai de todos os crentes. Jacó se tornou Israel, pai do povo da antiga aliança. E Simão se tornou CEFAS, autoridade máxima na terra sobre o povo da nova aliança.
            Autoridade máxima? Sim. Jesus confirmou a missão de Pedro de ser o representante de Cristo na terra. Pois além de aplicar-lhe uma figura que simboliza o Cristo, além de ter mudado o seu nome como fez com Abrão e Jacó, Jesus também deu-lhe explicitamente a autoridade que um representante de Deus na terra precisa: Ligar e desligar na terra e nos Céus!
            “Eu te darei as chaves do Reino do Céu: Tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na terra, será desligado nos Céus” (Mt 16,19)
            Receber de Deus a autoridade para ligar e desligar na terra, já é uma autoridade estupenda; agora ter recebido de Deus a autoridade para ligar e desligar também nos Céus, isso só é possível e viável para um autêntico representante de Cristo na terra.
            Importante observar que ao entregar as “chaves” (que, biblicamente, significa autoridade) a Pedro, novamente Jesus está atribuindo a Pedro um atributo que a Bíblia atribui ao Cristo:
            “Eis o que diz o Santo e o Verdadeiro, Aquele que tem a chave de Davi – que abre e ninguém pode fechar, que fecha e ninguém pode abrir” (Apc 3,7)
            Nesta passagem, o livro do Apocalipse está fazendo referência a uma passagem de Isaías, a qual certamente também Jesus se referia ao entregar as chaves do Reino dos Céus a Pedro, transferindo a autoridade da antiga aliança para a nova aliança:
            “Naquele dia chamarei meu servo Eliacim, filho de Helcias. Irei revesti-lo com a tua túnica e cingi-lo com o teu cinto, e lhe transferirei os teus poderes. Ele será um pai para os habitantes de Jerusalém e para a casa de Judá.
            Porei sobre seus ombros a chave da casa de Davi. Se ele abrir, ninguém fechará, se fechar, ninguém abrirá.
            Irei fixá-lo como prego em lugar firme, e ele será um trono de honra para a casa de seu pai.” (Is 22,19-23)
            Portanto, tanto o Apocalipse utiliza esta passagem de Isaías para atribuí-la ao “Santo e Verdadeiro”, ou seja, Jesus, como Jesus também a utiliza para atribuí-la a Pedro. Novamente a mesma figura (as chaves) é atribuída tanto a Jesus, como este a atribui a Pedro. Novamente, portanto, Jesus confirma Pedro como um autêntico representante de Cristo na terra.
            Porquê Jesus chama Simão Pedro de pedra?
            Para aplicar a Pedro a mesma figura (Pedra) que a Bíblia aplica ao Cristo.
            Para mudar seu nome, conforme costume bíblico de mudar o nome daqueles a quem Deus chama a uma missão que abarque todo o povo de Deus.
            E Jesus confirma esta sua intenção de entregar o primado a Pedro, dando-lhe a autoridade de ligar e desligar, não só na terra mas também nos Céus, através da figura das “chaves” que a Bíblia aplicou a Jesus, e Jesus a aplicou a Pedro.
            Por tudo isso, concluímos que Jesus chamou Simão Pedro de Pedra para declará-lo como o legítimo representante de Cristo na terra. E é sobre este legítimo representante de Cristo na terra que Jesus afirma
            que edificará a Sua Igreja (Mt 16,18), ou seja, a Igreja Católica, pois é na Igreja Católica que encontramos o sucessor de Pedro, o Papa, cuja missão, portanto, é ser o representante de Cristo na terra

        2. Celia Mulata disse:

          Atos 15:

          “E, havendo-se eles calado (inclusive Pedro), tomou Tiago a palavra, dizendo: Homens irmãos, ouvi-me:” – Atos 15:13.

          “Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, com toda a igreja (cadê o Papa?), eleger homens dentre eles e enviá-los com Paulo e Barnabé a Antioquia, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens distintos entre os irmãos.

          E por intermédio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos, e os anciãos e os irmãos (novamente, cadê o Papa nesse Concílio?), aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, e Síria e Cilícia, saúde”. – Atos 15:22-23.

          1. emanuelle disse:

            E você ainda me pergunta: “de onde inventaram essa de que o papa é o sumo pontifice???”!

            Sabendo que a palavra “pontífice”, designa a pessoa mais notável de uma comunidade, eu lhe respondo: faça essa pergunta para Jesus Cristo, pois foi Ele mesmo quem “inventou” que Pedro seria o líder, o condutor da Igreja no mundo, isto é, o Pontífice!

            A palavra “Pontífice” não está escrita, textualmente, na Bíblia, e nem o termo “Papa” é aplicado a Pedro, literalmente, mas as Escrituras deixam mais do que claro que o Senhor elevou Pedro como o primeiro Papa da família dos cristãos. – isto é, o primeiro pai da comunidade dos filhos de Deus. – E antes que você diga que chamar um líder espiritual de “pai” não é bíblico, leia lá em Isaías 22,21 o próprio Deus dizendo o contrário. Você crê na Bíblia como um todo ou só naquelas partes que confirmam o que ensina o seu “pastor”?

            Nosso Salvador, à véspera de deixar este mundo, confiou a Pedro a guarda do seu rebanho, e é importante entender que, naquele momento, confiava-lhe o cuidado de toda a cristandade, fazendo questão de entregar a ele a guarda dos “cordeiros” e também das “ovelhas”. “Apascenta os meus cordeiros”, repete o Senhor duas vezes; e à terceira, diz: “Apascenta as minhas ovelhas”. “Apascentar”, aí, significa cuidar, governar, guiar, assumir a responsabilidade do rebanho; neste caso, é receber do Divino Proprietário a autoridade sobre o seu Rebanho, que é a Igreja.

            Apascentar os cordeiros e as ovelhas é, portanto, governar com autoridade a Igreja de Cristo; é ser o condutor; é ter o Primado. E como se não bastasse, além de tudo isso, todo o contexto do Novo Testamento demonstra que Pedro tinha a palavra final nos assuntos da Igreja primitiva, em diversas passagens.

            • É Pedro quem propõe a eleição de um discípulo para ocupar o lugar de Judas e completar o Colégio dos Doze (At 1,15-22);

            • É Pedro o primeiro que prega o Evangelho aos judeus no dia de Pentecostes (At 2,14; 3,16);

            • É Pedro que, inspirado por Deus, recebe na Igreja os primeiros gentios (At 10,1);

            • Pedro realiza visitas pastorais às primeiras comunidades da Igreja (At 9,32);

            • No Concílio de Jerusalém, temos a prova definitiva: é Pedro quem põe um fim à longa discussão que ali se travava, decidindo, ele, que não se deveria impor a circuncisão aos pagãos convertidos, e a Bíblia diz que todos os Apóstolos e anciãos da Igreja reunidos fizeram silêncio quando ele declarou: “Sabeis que o Senhor me escolheu dentre vós para que da minha boca os pagãos ouvissem o Evangelho…”. E ninguém ousou opor-se à sua decisão (At 15,1-12).

            E esta autoridade de Pedro, assim como a de todos os Apóstolos, era e continua sendo transmitida de um homem para outro, sendo eleitos os novos sucessores pelo próprio Colegiado dos Apóstolos, desde o início até o presente. Você pode escolher qualquer bispo católico de hoje e fazer a “contagem regressiva” a partir dele: este foi ordenado por este, que foi ordenado por aquele, que por sua vez foi por aquele outro… E no final você vai chegar nos Apóstolos e ao próprio Fundador da Igreja, Jesus Cristo, que os escolheu um a um, porque a Igreja Católica não foi “inventada” por um homem qualquer, que leu a Bíblia e se achou no direito de começar uma nova religião, uma “nova igreja”, assim como ocorre com todas – atenção – todas as “igrejas” protestantes e “evangélicas”. Sinto se o ofendo, mas é a verdade, e quem se ofende ao ouvir a verdade não pertence a ela, como diz o Senhor: “Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz (Jo 18,37).

            No caso de Pedro, as Chaves do Reino dos Céus, entregues por Jesus Cristo, vêm sendo transmitidas, nesses dois mil anos de história, através do Papado. A autoridade de Pedro não morreu com ele, e dizer isso seria o mesmo que renegar a Promessa do próprio Senhor Jesus Cristo:
            “Ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado. Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mt 28,20)

            Se o Senhor prometeu que continuaria com a sua Igreja até o fim do mundo, também a autoridade que ele concedeu à sua Igreja permanece, até o fim dos tempos. Esta é a doutrina católica. Esta é a Palavra de Deus, segundo as Sagradas Escrituras. Esta é a Tradição cristã e católica, de dois mil anos de história. Quem pregar o contrário, seja anátema.
            “De fato, não existem ‘dois evangelhos’: existem apenas pessoas como você que semeiam a confusão e querem perturbar o Evangelho de Cristo. Mas ainda que alguém, nós ou um anjo baixado do céu, vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que seja anátema” (Gl 1,6-8)

          2. emanuelle disse:

            Celianta,
            Pelo jeito você foi péssima aluna de história.

          3. emanuelle disse:

            Saia da heresia chamada sola Scriptura, senão você vai ficar para sempre na ignorância.
            VEJA QUE A BÍBLIA NÃO É AUTO SUFICIENTE
            Conforme a tradição, fontes históricas e fundamentos bíblicos Pedro foi p primeiro Papa.
            Os protestantes se apoiam na famosa passagem, para afirma que a bíblia é autossuficiente, mas “A famosa passagem que afirma que a Escritura é útil (2Tm 3, 16) significa claramente que é um apoio, não que seja suficiente. Assim como é útil para mim beber água regularmente, mas não é suficiente como a alimentação completa”. Williams, Robert. AS SAGRADAS ESCRITURAS DEIXA MUITO CLARO A IMPORTÂNCIA DA TRADIÇÃO APOSTÓLICA;
            “Jesus depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias e falando do que respeita ao reino de Deus.” (At 1,3) – o que Jesus ensinou aos apóstolos nestes quarenta dias após sua ressurreição não foi importante? Será que Jesus esteve com eles à toa? A Bíblia não nos relata o que Jesus ensinou neste período, mas a Tradição Apostólica sim.
            “Tenho muito a vos escrever, mas não quero fazê-lo com papel e tinta. Antes, espero ir ter convosco e falar face a face, para que nossa alegria seja completa” (2Jo 1,12).
            “Tenho muitas coisas que te escrever, mas não quero fazê-lo com tinta e pena. Espero, porém, ver-te brevemente, e falaremos face a face” (3Jo 1,13-14) – São João ensinou muitas coisas oralmente.
            “E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.” (Tg 5,10) – São Tiago Menor recebeu tal instrução da Tradição Apostólica, já que em nenhum lugar da Bíblia, Nosso Senhor Jesus Cristo ensina tal coisa.
            A Tradição Apostólica tem autoridade
            “Assim, pois irmãos, permanceis firmes, e conservai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa.” (2Ts 2,15)
            “E o que de mim, através de muitas testemunhas ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para ensinarem outros.” (2Tm 2,2)
            “Ó Timóteo, guarda o depósito a tradição que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência gnose.” (1Tm 6,20)
            “E os cristãos perseveravam na doutrina dos apóstolos, na comunhão, no partir do pão e nas orações.” (At 2,42)
            “E, quando Paulo, Timóteo e Silas iam passando pelas cidades, lhes entregavam, para serem observados, os decretos que haviam sido estabelecidos pelos apóstolos e anciãos em Jerusalém.” (At 16,4) – forte testemunho da ação do Magistério da Igreja no cristianismo primitivo.
            Existe uma grande diferença entre (Cristianismo) e a (Sola Scriptura).
            Cristianismo é a Religião da Palavra.Sola Scriptura é o conceito da Religião do Livro. Agora eu irei mostrar a diferença entre Cristianismo e Sola Scriptura.
            Cristianismo Sola Scriptura (sem base Bíblica)
            Jesus é a palavra de Deus. (João 1-1)
            Jesus se transformou em um livro. (Sem Base)
            Jesus edifica uma Igreja. (Mateus 16-18)
            Jesus edifica um livro. (Sem Base)
            Jesus manda pregar o evangelho (Marcos 16-15)
            Jesus manda escrever o evangelho (Sem Base)
            Doutrina da tradição escrita e oral (II Tess 2-15)
            Doutrina da escrita apenas (Sem Base)
            A igreja é a coluna da verdade (I Timotio 3-15)
            O livro é a coluna única verdade (Sem Base)
            A Igreja edifica o Livro (concilio de Hipona 393)
            O livro edifica a Igreja (Sem fontes documentais)
            Jesus edifica uma igreja apenas (Mateus 16-18)
            Jesus edifica um livro e varias igrejas (Sem Base)
            Vendo o quadro de diferenças entre (Cristianismo) e (Sola Scriptura), deu para perceber que essa heresia é totalmente Anti-Biblica, ou seja, nem a Bíblia sustenta que ela seja a única fonte de fé para um Cristão.
            Onde mesmo está escrito na Bíblia Lutero, Sola scriptura e o sola fide?

          4. Celia Mulata disse:

            Emanuelle, para começar a ter um diálogo como cristã (isso se você for cristã), deveria começar primeiro a me tratar com respeito, como ser humano. Chamar alguém de anta só vai te rebaixar. Chamar alguém de anta não é próprio de uma dama, muito menos de uma dama cristã, concorda?

            Tudo bem, posso compreender que não tenha recebido muita educação, como sou cristã, não vou te discriminar por causa das suas ofensas e palavrões, mas me perdoe, minha educação não me permite descer ao seu nível, então permita-me continuar no meu salto.

            Primeiramente emanuelle, você não respondeu aos meus argumentos, mas colou um monte de filosofia católica. Então, vou tentar enumerar os tópicos para ficar mais fácil para você responder (pode ser má educada e ofender, não ligo, só não me peça para descer do salto e sujar meus pezinhos porque não vou).

            1º – Consulte aos seus livros de história, e se puder me provar que o termo “Papa” (Pai) era utilizado pelos apóstolos (na Bíblia você sabe que nunca vai achar), me mostre por favor. No muito, vai achar entre os “pais da igreja”, mas não entre os apóstolos (os quais Jesus disse que deveriam ser “irmãos” e não ambicionar títulos). Eles em toda a Bíblia se chamavam “apóstolos” (enviados), e não há uma menção em toda a Bíblia de Pedro como Papa. Mesmo tendo um papel especial, ele continuava se colocando como apóstolo (e não como Papa). Portanto, “deram” para Pedro esse título posteriormente, um título que ele com certeza, com a humildade que tinha, não aceitaria.

            2º – “e será COMO PAI para os moradores de Jerusalém – Isaías 22:21 (está escrito que ele receberá o título de Pai?). Então quando Deus diz que Israel será como fogo consumidor, significa que ele terá esse título? Oh falta de aula de interpretação de texto.

            “E fixá-lo-ei como a um prego num lugar firme” – Isaías 22:23

            Isso quer dizer que Pedro também pode receber o título de “Prego”?

            E além do mais, você ainda vive sob a Lei dos Judeus? Pois eu acho que Pedro vivia sob a Graça de Jesus, e o mestre dele (Jesus), deixou claro que eles não deveriam ostentar títulos entre si, como as pessoas das nações, mas que fossem irmãos. Isso fica claro em toda a Bíblia, que embora Pedro tivesse alguma importância, como João, ou Tiago, eles ainda eram chamados de “apóstolos”, e não “Papas” (como alguns dos pais da igreja).

            3º – Jesus deu a Pedro a responsabilidade de ser apóstolo (enviado) dos circuncisos (os gentios só foram incorporados na Igreja depois), e no início ele era sim o líder. Mas a congregação cresceu, chegaram as ovelhas de outro aprisco (gentios), e conforme os outros apóstolos amadureceram, chegou também Paulo. Vamos ver como ficou essa configuração no crescimento da Igreja (que tinha como centro Jerusalém, e não Roma)? Segundo você, Pedro teve voz decisiva no Concílio de Jerusalém. Vamos ver se teve mesmo?

            “Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo e Barnabé, e alguns dentre eles, subissem a Jerusalém (e não a Roma), aos apóstolos e aos anciãos (e não ao Papa, não havia ninguém com esse título inventado aqui), sobre aquela questão”. – Atos 15:2.

            “E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos (ué, mas devia ter mais um título aqui não? Pelos apóstolos, anciãos e pelo Papa, mas tá faltando alguém), e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles”. – Atos 15:4.

            “Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos (faltou o Papa de novo, ou Pedro era só mais um apóstolo nessa fase da Igreja Cristã?) para considerar este assunto”. Atos 15:6.

            “E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Homens irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre nós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem (na conversão de Cornélio, certo? Ah tá, eu pensei que ele ia dizer que Deus o elegeu para ser o Papa, mas parece que ele não disse isso)”. – Atos 15:7.

            ………

            “Então toda a multidão se calou (novamente) e escutava a Barnabé e a Paulo, que contavam quão grandes sinais e prodígios Deus havia feito por meio deles entre os gentios”. – Atos 15:12.

            => Bem, agora a multidão se calou novamente para ouvir Barnabé e Paulo. Mas com certeza, no final Pedro é quem vai dar o veredito né emanuelle? Afinal, ele tem destaque. Vamos continuar lendo (engraçado que nesse Concílio, inteiramente registrado na Bíblia, não há nenhuma menção a Pedro como algo diferente de mais um apóstolo).

            “E, havendo-se eles calado (De novo? Mas eu pensei que eles só se calaram quando Pedro falava emanuelle. Que coisa não?), tomou Tiago a palavra, dizendo: Homens irmãos, ouvi-me:
            Simão relatou como primeiramente Deus visitou os gentios, para tomar deles um povo para o seu nome”. – Atos 15:13-14.

            => Bem, creio que Tiago não vai terminar o discurso né? Deve ser Pedro quem vai encerrar né? Vamos ver.

            “Por isso julgo (ué, que petulância é essa de Tiago julgar e dar o veredito final? Não deveria ser Pedro?) que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus.
            Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação, do que é sufocado e do sangue.
            Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas”. – Atos 15:19-21.

            => Ah emanuelle, mas na carta final, que será enviada, tem que ter algum destaque para Pedro né? Para dizer que o Papa aprovou a decisão né? Será?

            “E por intermédio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos, e os anciãos e os irmãos (ué, mas e o Papa?), aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, e Síria e Cilícia, saúde”. – Atos 15:23.

            Emanuelle, muito diferente dos concílios da igreja católica né? Eles agiam como irmãos, como Jesus havia dito em Mateus, porque eram discípulos de Jesus, filhos de Deus, não ostentavam títulos especiais, mas eram irmãos em Cristo, humildes como o Mestre deles foi, e nenhum deles ostentava o título de “Pai” (Papa).

            4º – O próprio Paulo não considerava Pedro um apóstolo superior a ele. Mas assim como Deus confiara a Pedro o apostolado dos circuncisos, ele recebeu o dos gentios.

            “Depois, passados três anos, fui a Jerusalém para ver a Pedro, e fiquei com ele quinze dias.
            E não vi a nenhum outro (outro o que? Papa? Será que ele vai dizer papa?) dos apóstolos (aaaah.. que pena emanuelle, parece que para Paulo, Pedro era mais um apóstolo), senão a Tiago, irmão do Senhor”. – Gálatas 1:18-19.

            “E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram;

            Antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me estava confiado, COMO A PEDRO O DA CIRCUNCISÃO
            (Porque aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão, esse operou também em mim com eficácia para com os gentios)” – Gálatas 2:6-8.

            Está clara a posição de Paulo quanto a Pedro?

            “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus;
            Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina”; – Efésios 2:19-20.

            A Igreja só tem um Pai (Deus), uma pedra angular (que ajusta todas as outras) e mediador entre o Pai e os homens (Jesus), um só fundamento (apóstolos e profetas), não há um papado aqui.

            Quando Jesus se dirigiu às suas igrejas em Apocalipse, ele não se dirigiu a nenhum Papa, nem chamou João de Papa, e nem João assim se considerou (nunca um seguidor humilde de Jesus ostentaria tal título).

            5º – Agora emanuelle, vamos à prova final, ás palavras do próprio Pedro. Vamos ver se ele se considera ou assina como uma espécie de Papa:

            “Pedro, apóstolo de Jesus Cristo (hummmm), aos estrangeiros dispersos no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia”; – 1 Pedro 1:1

            “Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles (ué, pensei que era o Papa acima deles), e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar” – 1 Pedro 5:1

            “E, quando aparecer o Sumo Pastor (ué, não é Pedro?), alcançareis a incorruptível coroa da glória”. – 1 Pedro 5:4.

            “Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo” – 2 Pedro 1:1

            Portanto, esse título de “Papa’, contrário ao que Jesus disse em Mateus, e que foi seguido à risca pelos apóstolos, foi inventado depois.

            A Igreja cujas portas do inferno não prevaleceriam contra ela, é a igreja fundada em Jerusalém, e não em Roma (onde inclusive crucificaram Pedro). Se a sede da sua igreja não é em Jerusalém, não pode ostentar esse título.

            A Igreja de Cristo não é limitada por um CNPJ e muito menos por paredes ou um estado, ela envolve todo o corpo de cristãos, desde as primícias até a última ovelha alcançada, e não denominações e instituições cristãs. Ela não tem limites físicos emanuelle, ela não faz parte desse mundo, e por isso as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

          5. Celia Mulata disse:

            E quanto a sair das “Escrituras” e acreditar em tradições de homens:

            “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema”.Gálatas 1:8.

            Se na época de Paulo já havia gente distorcendo os ensinos, quanto mais depois que os apóstolos se foram.

            Deixa que eu fico com as Escrituras e com o Pai Eterno, e você com o seu Pai (Papa) e sua Tradição. Não precisamos brigar e nem descer do salto por causa disso. Ora, você pode orar por intercessão de um santo, rezar seus terços, acender velas para estátuas, não tenho nada contra. Você tem algo contra eu orar para Deus por intermédio de Jesus? Então pronto, para que brigar?

  6. Peço ao c0rdenador da Funai que por favor faça uma visita nas regiões de Ribeirinhos Alto Solimões no Amazonas fazer uma visita onde estão as aldeias dos indígenas, vivendo em precauções, são 150 aldeias, sendo grandes, pequenas e médias, suas aldeias são construídas sobre as águas, difícil acesso a terra firme. Lá está um Pastor e missionário David Romero Firlan, está trabalhando com esses indígenas sem fins lucrativos só com doações muito pouca dos vizinhos. A maior preocupação dele é a malária que precisa ser combatida e já tem 50 indios doentes. Ele precisa de remédios para combater, mas como ele não tem condições para comprar ele está fazendo apelo a todos para ajudá-lo, cada caixa de remédio custa 50,00 reais, mais para tratar os que estão doentes e livrar os outros será necessári 2.500,00 reais. O nome dos remédios são: Marolone–250 mg [Doxycline Capsules- 100 mg] e Paludrine / Avloclor– que será para combater a malária. O Pastor está apavorado com medo dos outros adoecerem. Peço por favor ajudem a salvar os primeiros habitantes dessa terra.

    1. Celia Mulata disse:

      Belo trabalho. Poderia colocar aqui o contato dele, para quem puder ajudar.

      1. clamando disse:

        mas isto o dito site gospel não publica, não fornece arma para ativistas manifestarem aqui contra o povo de Deus

    2. Lopes disse:

      Guimarães pede para o valdomiro , o rrsuado. O edir Macedo, o Silas malafaia ., o José welgton entre outros bilionários da fé que pegam o dízimo e compram fazendas , mansões., jatinhos., e empresas ., e não investe, um centavo nos probres , cadê ….pagam milhões para canal de tvs., milhões para artistas gospel., e misericórdia nada., ta na ora de vcs cobrarem obras sociais., e parar de bla.,, bla, bla, bla,

  7. Sandro disse:

    A exemplo da Índia, o Brasil precisa combater o agressivo proselitismo religioso.

    1. Celia Mulata disse:

      A Índia não foi fundada por cristãos, combate os cristãos para proteger sua religião e cultura (Hindu). Os muçulmanos fazem o mesmo para proteger sua religião e cultura, com violência, punindo inclusive gays como você.

      Então, nós que vivemos em um país fundado pelos cristãos, de maioria esmagadora cristã (protestante e católica), deveríamos também combater os que ameaçam nossa cultura e religião (ateus, homossexuais e demais minorias)?

  8. regis disse:

    Até dos indios eles querem o dizimo, cambada de exploradores

  9. Rogério disse:

    E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem;

    Hebreus 5:9

  10. Alex disse:

    As pessoas sem saber de nada tomam partido. Eu não estou lá então não opino em nada.

  11. Val disse:

    Essa tal de Emanuelle delira em cima de uma historia Inventada para denegri os Cristão que tiveram um novo nascimento proposto por Cristo em João cap 3. Espero que você conheça a graça de Cristo e encontre a paz que tua alma deseja.

    1. nosferatu disse:

      kkkk novo nascimento kkkk

      evanjegues acham que afundando a cabeça de alguém na água, essa pessoa se torna “santa” kkk

      vai sair da água, vai fornicar, vai cobiçar a mulher (ou marido) do próximo, vai falar mal do vizinho, vai ficar com preguiça de trabalhar etc. etc. etc tudo de novo..

  12. Danilo disse:

    Cara Emanuelle, boa noite!

    Sou cristão e sigo a doutrina “protestante”. Tenho lido e apreciados os seus textos. Noto que você tem procurado basear os seus escritos em fontes históricas e bíblicas.
    Não pretendo aqui mudar sua crença ou religião (mesmo porque creio que ninguém muda ninguém) mas apenas quero salientar aquilo que seja a causa das dieferenças entre os protestantes e os católicos.
    Os “protestantes”, a partir de Lutero, decidiram seguir as 5 “solas”:
    1-Sola fide (somente a fé);
    2-Sola scriptura (somente a Escritura);
    3-Solus Christus (somente Cristo);
    4-Sola gratia (somente a graça);
    5-Soli Deo gloria (glória somente a Deus).
    Se você também segue o “caminho da franqueza” como corajosamente dito pelo Papa na última 2ª feira, quando se referia ao genocídio dos armênios, irá reconhecer que só surgiu um Lutero devido aos desvios surgidos na Igreja Católica, principalmente durante a Idade Média.
    Violência e excessos foram praticados por ambas as partes (protestantes e católicos).
    A grande crítica aos católicos é eles, junto com a Bíblia Sagrada, adotaram as tradições e escritos ditos “apócrifos” mesmo por muitos pais da Igreja.
    Entendo que, se mesmo crendo apenas nas Sagradas Escrituras – Sola scriptura podemos cair em erros e desvios, o que não dizer do perigo de adotarmos também as tradições?

  13. Lopes disse:

    P edro
    A postolo
    P rimeiro dos
    A postolos

    Mateus 16′ v 18

  14. Edvaldo disse:

    Jesus é o caminho, a verdade e a vida. Maranata!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

As principais notícias gospel do Brasil e do mundo no portal pioneiro; Saiba tudo aqui sobre música gospel, evangélicos na política, ações missionárias e evangelísticas, projetos sociais, programas de TV, divulgação de eventos e muito mais.

No ar desde 2006, o canal de notícias gospel do portal Gospel+ é pioneiro no Brasil, sempre prezando pela qualidade da informação, com responsabilidade e respeito pelo leitor.

PROPAGANDA
PROPAGANDA
PROPAGANDA