Pastor acusado de assassinar a esposa tenta fugir para a Europa para se casar com namorado

13

Na última semana a justiça norte-americana fixou uma fiança de cem mil dólares para o pastor Richard Lee Shahan, que está preso sob acusação de ter assassinado sua esposa a facadas. A fiança foi determinada após os promotores do caso afirmarem que pastor tentou fugir do país para se casar com seu namorado.

O juiz determinou ainda que, se a fiança for paga, o pastor deve permanecer em prisão domiciliar e usar uma tornozeleira de monitoramento eletrônico.

O pastor foi preso no aeroporto de Nashville ao tentar embarcar em um avião para a Alemanha, e foi colocado sob custódia no condado de Jefferson.

De acordo com Leigh Gwathney, um dos promotores do caso, informações obtidas através de mais de 3.000 e-mails de Shahan indicam que ele estava planejando deixar o país para nunca mais voltar. Segundo Gwathney, ele estava indo para o Cazaquistão via Alemanha e, finalmente, planejava se mudar para o Reino Unido.


– Ele planejava se tornar um cidadão lá e começar uma nova vida com seu namorado, com quem tinha a intenção de se casar – explicou Gwathney.

Os advogados Wendell Sheffield e John Lentine, que defendem Richard Shahan no caso, contestam as afirmações dos procuradores de que Shahan tentava sair do país e questionaram se o Estado tem alguma “prova direta” do envolvimento de Shahan na morte de sua esposa.

– Eles estão fazendo tudo que podem para tentar fabricar um caso de assassinato – afirmou Lentine.

Os advogados afirmam ainda que Shahan planejava sair em uma viagem missionária, e pedem que a fiança não tenha um valor superior a trinta mil dólares. Porém, os promotores estão inflexíveis em relação à fiança, alegando o risco de fuga.

Por Dan Martins, para o Gospel+


13 COMENTÁRIOS

    • Desde que submetidos a tratamentos de “cura gay” se cria um monstro.
      cuidados fudamentalistas, seus pseudocurados, de homossexualidade, podem se voltar contra vocês, se eu fosse um pai, jamais deixaria minha, filha se casar com um “ex gay” curado por tais igrejas, coisa esdruxula essa tal cura .

  1. Nem todos que tem título de Pastor são PASTORES! Precisamos ver a procedência, qual a igreja? Se é evangélica ou pseudo evangélica? Em fim… Há de se ver tudo isso! A maioria dos escanda-los são de falsos pastores e falsas igrejas, muitas nem Evangélicas são. Por exemplo, qualquer igreja ou pastor que casa pessoas do mesmo sexo, NÃO É EVANGÉLICA! É qualquer coisa, menos evangélica.

  2. A igreja, evangélica é cheia de enrustidos casados, tem uns irmãos que são mais finos, que própria esposa, e todos tentam não perceber, estes homens se voltam pra ministérios de louvor de dança, teatro e pastoreio.
    E normalmente todos da igreja os adoram, pois são, homens, elegantes, interessados, cheios de dons, mas o problema reside em um a vida “dupla” , e cheia de angústia, que gera uma mente doentia.
    Já conheci vários nesta situação, casados, pais de família, mas quando estão longe do rebanho e esposa… A tal cura gay, é uma mentira, é fácil dizer tô curado e até transar com mulher, a diferença é reside no fato de viver um desejo sexual forçado e nada natural, e como alguém ter de comer pão e água o resto da vida, e sair na rua e ver filé (outros homens). Situação triste, tudo para ser aceito pela família e religião.
    Isto não dificilmente ocorre em famílias católicas a tolerância e o ponto forte dos católicos e algo que os evangélicos não conhecem.

  3. “Orellana – Nasci numa família evangélica. À medida que ia crescendo, maior era meu encontro com a fé. Entrei na Assembléia de Deus e no seminário para seguir o que senti ser um chamado de Cristo. Ao mesmo tempo, fui tomando consciência de minha homossexualidade. Desde criança tinha sentimentos por homens, mas os reprimia. Isso mudou quando estava na Assembléia e um dirigente de minha congregação, um homem mais velho, me assediou. Pensei: (d) “Porque eu me culpo a ponto de me anular, enquanto dentro da igreja há esse tipo de hipocrisia?” Decidi aceitar minha orientação homossexual.”

    “Orellana – Enquanto estava na Assembléia de Deus, vi testemunhos nos quais as pessoas diziam que Jesus as havia curado. Nos cultos, há muitos aplausos, “glória a Deus” e “aleluia”. Essas pessoas aderem sinceramente à fé. E, como a igreja lhes pede que renunciem ao pecado, elas acham que Deus quer isso mesmo. Assim, vão contra a própria natureza e buscam relacionamento com alguém do sexo oposto. Conheci fiéis que se casaram e descasaram bem cedo porque viram que a situação não é fácil de administrar.”
    (VICTOR ORELLANA “Sou pastor e sou gay”)

DEIXE UMA RESPOSTA