Power Rangers: filme estreia e traz transformação de heroína protagonista em homossexual

0

Power Rangers, o filme que reconta a origem dos heróis que ficaram famosos por conta da série que foi apresentada na TV entre 1993 e 1999, estreou nos cinemas ontem, 23 de março, abordando também a homossexualidade, através de uma das protagonistas, seguindo o mesmo caminho de A Bela e a Fera.

No filme que está em cartaz, a Ranger Amarela, interpretada pela cantora Becky G, de origem latina, é uma das que mais se destaca e se revela homossexual no desenrolar durante o processo de transformação em heroína, no contexto da história de ficção.

A própria atriz comentou a decisão dos roteiristas de transformar a personagem em homossexual: “Power Ranger sempre representou a diversidade. E Trini não se conhece, e é nesse momento que ela diz em voz alta: ‘Eu nunca disse nada disso em voz alta’ e Zordon diz: ‘Você deve deixar todas suas máscaras para usar essa armadura.’ É verdade. As pessoas devem se aceitar como são”.

A ideia de que é preciso transformar um personagem de uma história infanto-juvenil em homossexual vem se transformando em prática recorrente. Há uma semana, estreou a superprodução A Bela e a Fera, da Disney, em que o assistente pessoal do protagonista se revela gay.


De acordo com informações do NerdSite, no entanto, Power Rangers não se ateve apenas à bandeira LGBT no filme, e promoveu a inclusão de um protagonista com autismo. Billy, o Ranger Azul – interpretado por RJ Cyler – é um personagem com característica especial.

“Eu sabia que era meu trabalho mostrar, você sabe, que as pessoas que estão no espectro são apenas pessoas comuns, literalmente. Como eu e Becky conversamos, eles têm sentimento da mesma maneira, eles têm as mesmas emoções, eles querem ser amados, querem que as pessoas os amem, querem relacionamentos. Você entende”, conceituou.

O filme traz atores consagrados pela crítica de Hollywood, como Bryan Cranston (Breaking Bad) e Elizabeth Banks (Jogos Vorazes), direção de Dean Israelite (Projeto Almanaque), e roteiro de Zack Stentz e Ashley Miller, que escreveram filmes como Thor e X-Men: Primeira Classe.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA