Cristã que fugiu do extremismo muçulmano é uma das vítimas da tragédia de San Bernardino

3

O incidente na cidade de San Bernardino, Califórnia (EUA), que deixou 14 mortos e pelo menos 17 feridos na última quarta-feira, 02 de dezembro, causou preocupação e temor de que se trate de um novo atentado terrorista planejado e executado por extremistas muçulmanos.

As autoridades norte-americanas ainda não possuem informações sobre a motivação do ataque, perpetrado pelo casal Syed Rizwan Farook, 28 anos, e Tashfeen Malik, de 27. Os dois foram mortos pela Polícia durante um confronto após terem sido identificados e localizados.

A suspeita de que a motivação para o ataque seja terrorista partiu de informações preliminares divulgadas sobre Farook e sua esposa, ambos muçulmanos. Farook, trabalhava há cinco anos como inspetor de saúde, era cidadão norte-americano e não tinha antecedentes criminais. Meses atrás, ele viajou à Arábia Saudita e voltou com a esposa, segundo a agência Associated Press. Especula-se que ele tenha aderido ao extremismo muçulmano nessa viagem.

Dentre as vítimas fatais do casal de atiradores estava Benneta Betbadal, 46 anos, que saiu do Irã décadas atrás, em fuga da perseguição religiosa a cristãos. Vivendo nos Estados Unidos, ela havia se tornado cidadã do país e teve três filhos, atualmente com 10, 12 e 15 anos de idade. Amigos de Betbadal a descreveram como alguém que amava seu “trabalho, sua comunidade e seu país”, e sempre expressava seu amor pelo marido e sua “grande família”.


De acordo com o site Express, outra vítima do tiroteio foi o judeu messiânico Nicholas Thalasinos, 52 anos, que supostamente teria tido uma discussão com Farook sobre o islamismo semanas atrás. A esposa de Thalasinos, Jennifer, afirmou que ele era alguém muito religioso e usava um broche com a Estrela de Davi: “Meu marido era apenas um crente muito devoto. ‘Nasceu de novo’ há alguns anos atrás, e porque tinha uma fé muito forte, então eu sei que ele está em um lugar muito melhor”, afirmou.

Segundo informações da rede de TV CNN, uma das sobreviventes ao ataque se trancou em seu escritório e enviou mensagens de texto ao pai informando sobre o que estava acontecendo e pedindo oração: “Tiroteio no meu trabalho. Pessoas baleadas. Orem por nós. Estou trancada em um escritório”, disse a mulher, que sobreviveu sem ferimentos.

Um grupo de voluntários que integram a Equipe de Resposta Rápida do ministério Billy Graham foi ao local da tragédia para prestar assistência emocional e espiritual às vítimas sobreviventes e aos familiares dos mortos.

“Nossos corações estão quebrados por aqueles que perderam suas vidas e, particularmente, pelas suas famílias. Estamos enviando uma equipe para incentivar a comunidade, oferecendo amor, esperança e apoio. Uma tragédia como esta afeta a todos”, disse Jack Munday, diretor internacional da Equipe de Resposta Rápida, assim que o noticiário confirmou que a Polícia já tinha tudo sob controle. Os voluntários chegaram poucas horas depois, e iniciaram o trabalho assistencial.


3 COMENTÁRIOS

    • LEVI

      Esses caras não conseguem viver em país não-muçulmano.
      Esses fanáticos com cérebro de camelo acreditam que Deus manda matar os “infiéis” e que isso é dever de todo muçulmano, “os verdadeiros crentes” como eles se denominam.
      E uma mentira tão óbvia que só um cego não vê: que no paraíso há um palácio com 20000 escravos e 72 moças virgens, de olhos negros, busto volumoso e eternamente virgens.
      Além do “servo de Allah” ganhar potência sexual infinita, coisa que o “profeta” alegou possuir.
      Riquezas, comida, bebida, sexo, essa é recompensa de Allah.
      Salvação da alma?
      Prática da caridade?
      O que é isso?
      Além disso tem um detalhe dos mais escabrosos, Levi.
      O paraíso desses otários inclui meninOs de eterno frescor, ávidos de serem devorados em deleites sexuais!
      Sim, você não leu errado, são meninOs mesmo!
      O livrinho deles sanciona o horrendo pecado da pederastia!

      Já li o alCOCÔrão em português e olha o que tem lá, tudo aprovado por Allah.

      “O HOMEM É SUPERIOR À MULHER, POIS ASSIM ALLAH OS CRIOU”

      “NA DIVISÃO DE UMA HERANÇA, O FILHO HOMEM RECEBE O DOBRO DO QUE CABE À MULHER”

      “É INÚTIL ENSINAR ALGO À MULHER, ELA NÃO CONSEGUE APRENDER”

      “O TESTEMUNHO DE UMA MULHER VALE METADE DAQUELE DO HOMEM, POIS NÃO SÃO CONFIÁVEIS, MENTIROSAS POR NATUREZA”

      E mais: esses caras são idólatras, mas são burros demais pra perceber.
      Sabia que Allah já era adorado antes de Maomérda e do Islã?
      Allah era um dos deuses de Meca, naquele tempo toda a península arábica era politeísta.
      Allah era o deus da lua.
      E naquele tempo já era venerada a “pedra negra” da Caaba (“cubo”, em árabe), que diziam eles que tinha vindo do céu.
      Nisso eles têm razão, ela veio mesmo do céu, é um meteorito.
      Hoje um dos símbolos do islã é a lua crescente e a pedra continua a ser venerada.
      Coincidência?
      E o que todo mundo acha que eles gritam quando matam alguém, a frase “ALLAH´U´ACKBAR”, que seria “Deus é grande” em árabe, é na verdade Allah E Ackbar, dois aqueles deuses.
      E os líderes desses caras os mandam para a morte, para fuzilar ou se explodir em lugares com “infiéis”.
      Por que o próprio líder não vai?
      Por que manda outros?
      Porque nem ele acredita nessa mentira de “paraíso”.
      Não é uma grande honra morrer pelo “profeta” e pelo falso deus?
      Tá aí explicada a lorota do paraíso com virgens.
      E esses caras vem de países pobres ou miseráveis, então quem não troca uma vida de fome e privação por uma eternidade vivendo como um rei?
      Quem teria falado com Maomérda no deserto?
      Com certeza não foi anjo nenhum, muito menos Deus, que com certeza não se alegra com morte e destruição, nem vai recompensar homicidas.
      Só se for o anjo caído, o Pai da Mentira…

  1. Mandar todos os muçulmanos de volta aos seus países.

    É o jeito.

    A gente manda os muçulmanos, e eles nos mandam os cristãos.

    Não sabem viver como gente, então separa.

DEIXE UMA RESPOSTA