Amante de terrorista de Orlando diz que atentado foi uma vingança contra gays porto-riquenhos

0

O atentado terrorista de Orlando seria uma vingança do atirador relacionada à sua sexualidade e direcionada ao povo porto-riquenho que vive na cidade do estado da Flórida. As revelações foram feitas por um homem que se identificou como amante de Omar Mateen.

Em uma entrevista à rede de TV Univisión, o homem – que teve sua identidade mantida em sigilo – afirmou que o ataque de Mateen à boate Pulse era uma retaliação aos porto-riquenhos, pois o extremista muçulmano teria mantido relações sexuais com dois gays nascidos no país e posteriormente havia descoberto que um deles era portador do vírus da AIDS.

O homem revelou ainda que conheceu Mateen em um aplicativo de paquera gay e que, ao longo de dois meses esteve em um relacionamento com ele. Nesse período, eles se viram entre 15 e 20 vezes. Ele acrescentou que a atual esposa de Mateen sabia que ele era homossexual, mas aceitava manter um casamento de fachada com ele.

A emissora Univisión, dedicada ao público latino nos Estados Unidos, procurou o FBI e recebeu uma confirmação de que o homem que se identificou como amante de Mateen havia sido ouvido como testemunha durante as investigações do caso.


Parcialidade

A apresentação de indícios que cada vez mais apontam na direção de que o atentado foi um caso misto de extremismo muçulmano e homofobia internalizada levou o pastor Silas Malafaia a comentar novamente a tragédia.

Em uma série de publicações no Twitter, o pastor voltou a criticar a cobertura da imprensa brasileira no caso: “Homem que era o ex amante do assassino da boate gay de Orlando, diz que ele fez isso para se vingar de gays porto-riquenhos. A VERDADE, E AGORA? CADÊ os jornalistas inescrupulosos que fizeram associação com a barbárie de Orlando e evangélicos aqui no Brasil? Cambada de preconceituosos. Quando digo que grande parte da imprensa protege o ativismo gay […] Nao vão colocar nas 1ª páginas dos jornais que a barbárie de Orlando foi feita por gay? Não vi a notícia na 1ª página do Globo, Folha, Veja, O Dia, Extra, que o assassino da boate de Orlando também era gay. Onde estão alguns colunistas da Folha e de O Globo que tentaram associar a barbárie de Orlando com pastores aqui no Brasil. COVARDES! BANDIDOS! Está todo mundo quietinho quando a verdade da barbárie de Orlando veio a tona. Não deu para esconder, a verdade veio à tona. UMA VERGONHA!”, protestou.

SEM COMENTÁRIOS

  1. Esse atentado jamais teria acontecido se não fosse o fanatismo religioso do atirador e sua homofobia internalizada. É sempre assim: o fanatismo da religião e a homofobia sempre desgraçam a vida das pessoas. Precisamos lutar por mais paz, por mais amor e por mais direito das pessoas serem felizes com quem elas decidiram amar. Simples assim.

DEIXE UMA RESPOSTA