Cristã sudanesa que havia sido condenada à morte por ter se convertido ao Evangelho tem sentença anulada

4

A sudanesa que havia sido condenada à morte por ter se convertido ao cristianismo e casado com um cristão conseguiu anular a sentença e está livre. Meriam Yahia Ibrahim Ishag, 27 anos, estava grávida na época da condenação, e deu à luz a uma menina na prisão.

A libertação aconteceu ontem, segunda-feira, 23 de junho, após um tribunal de Cartum anular a sentença de morte por apostasia. O caso foi noticiado pela imprensa estatal do Sudão e confirmado pelo advogado de defesa de Meriam.

O processo contra Meriam por apostasia (abandono da fé) do islamismo foi anulado pela Corte de Apelações e o advogado também informou que ela já estava em casa, com a família.

Filha de pai muçulmano, mas criada na fé cristã, Meriam só se tornou alvo de acusações de apostasia quando estava prestes a dar à luz ao segundo filho do casamento com Daniel Wani, que também é cristão e foi preso. O casal já tem um filho de 1 ano e 8 meses.


Além da pena de morte, Meriam havia sido condenada a 100 chibatadas por adultério, já que a sharia (lei islâmica) entende que uma mulher muçulmana só pode se casar com um muçulmano.

No julgamento, Meriam argumentou que não havia apostatado da fé islâmica porque nunca havia se confessado muçulmana, e tendo sido criada com ensinamentos cristãos, era natural que se tornasse uma cristã.

Antes da anulação do julgamento de Meriam, o caso repercutiu em diversos países do mundo como um exemplo de atentado à liberdade religiosa. De acordo com a agência de notícias Associated Press, nações como o Reino Unido exerceram pressão sobre o Sudão para que o país cumprisse as obrigações assumidas no âmbito internacional no sentido da liberdade de religião, o que pode ter influenciado na decisão da Corte de Apelações de anular a sentença de morte por enforcamento.

4 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente ela foi presa novamente. “A sudanesa Meriam Ibrahim, solta nesta segunda-feira (23) após ser condenada à morte por abandonar o islã no Sudão, foi presa novamente nesta terça-feira (24), informaram seus advogados à emissora CNN.

    Além de Meriam, de 27 anos, seu marido, Daniel Wani, também foi preso. Eles foram detidos em um aeroporto da capital do Sudão quando tentavam deixar o país.

    Não foram divulgados mais detalhes sobre a prisão.

    A condenação à forca de Meriam Yahia Ibrahim Ishag no dia 15 de maio provocou fortes críticas de vários governos ocidentais e grupos de direitos humanos. Quando foi condenada, a mulher estava grávida e deu à luz uma menina 12 dias depois do veredito.

    Após o parto, foi levada da cela que dividia com seu primeiro filho e outras mulheres para o hospital da prisão”

  2. Fim dos tempos.
    Mas a palavra de Deus diz; que a oração de um justo vale muito em seus efeitos.
    Vamos orar para que Deus faço o melhor por eles. Pois nós sabemos que tanto a vida quanto a morte esta nas mão de Deus.

  3. Misericordia! A noiva d Cristo precisamos vigiar, visto k os sinais xtao se findando… Precisamx orar muito por exes nosos irmao pra que o Espirito de DEUS lhes de forca e animo e perseveranca… Eles contam muito com as nossas oracoes…

DEIXE UMA RESPOSTA