Pastor Marco Feliciano presta depoimento ao STF e conta detalhes sobre a acusação de estelionato

27

O depoimento do pastor Marco Feliciano ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o processo em que é investigado por suspeita de estelionato acrescentou pontos novos ao que vinha sendo dito sobre o caso até então.

O advogado do pastor declarou à imprensa que o processo por estelionato já havia sido finalizado, e que a questão tratava-se de um desacordo comercial.

Marco Feliciano não compareceu a um evento em São Gabriel, Rio Grande do Sul, que havia sido agendado por sua assessoria para o dia 15 de março de 2008, e culpou o descumprimento de prazos para sua ausência.

“Os eventos são agendados, eu tenho uma assessoria, naquela época era o senhor André Luiz de Oliveira [que também é réu no processo], que hoje também é pastor. Ele fazia a assessoria e os contatos. E, quando eu estava na cidade de Nova Friburgo [no dia 14 de março], foi que ele me disse que esse evento havia sido agendado, mas, por um descumprimento comercial, eu acabei não atendendo o evento. O evento, por causa dos muitos compromissos que eu tenho com televisão, com obra missionária, todos os eventos eram bem regradinhos, e as pessoas tinham dez dias anteriores ao evento para poder efetuar um depósito”, alegou Feliciano.


Segundo o pastor, o depósito de R$ 8 mil foi realizado às vésperas da data agendada, o que causou desencontros, pois um evento substituto já havia sido agendado para a mesma data: “Dois dias antes de acontecer o evento em São Gabriel [RS], nos ligaram e disseram que haviam feito o depósito, só que já havia acontecido um descumprimento de agenda, um descumprimento comercial”, afirmou.

O procurador da República Francisco Guilherme Vololstedt questionou o pastor sobre um email de confirmação de presença, enviado no dia 14 de março de 2008 pelo então assessor André Luiz [atualmente ele é pastor] à contratante, e Feliciano respondeu afirmando que não sabia do envio deste e-mail: “Estou sabendo disso agora”, disse. O procurador voltou a questionar: “É importante a gente fixar isso: o senhor não tinha mesmo conhecimento?”. E o pastor Marco Feliciano respondeu: “Nenhum”.

Feliciano ainda disse que posteriormente conversou com a responsável pela produtora, Liane Pires Marques, para marcar uma nova data e ir ao evento, mas não houve acordo em relação às datas: “Intentamos devolver o dinheiro, mas como os meus eventos não eram shows, porque eu não era cantor ainda na época, gravei CDs depois, eram palestras e as palestras são em igrejas, existe uma comunhão entre nós, por isso não havia nada escrito em papel, acreditávamos bem na parte fiel da palavra”.

O juiz auxiliar Fabrício Bittencourt da Cruz, questionou o motivo da ausência do pastor Marco Feliciano na audiência de reconciliação, e Feliciano alegou não ter tomado conhecido do encontro, e por isso, decidiu trocar de advogados.

“Quando eu fiquei sabendo do fato, que havia tido uma oportunidade de suprir, de acabar com o problema e os meus advogados não fizeram nada, imediatamente eu troquei os advogados, peguei um avião, fui até a cidade de São Gabriel, procurei os advogados da pessoa. Para minha felicidade descobri que eram evangélicos também, eram irmãos, e falei: ‘Eu quero aqui pagar o que eu devo, quero devolver, e quero devolver com juros e correção para que não fique nenhum tipo de celeuma’”, defendeu-se o pastor.

Segundo o Ministério Público, a produtora de eventos afirmou que a assessoria de Marco Feliciano alegou que o pastor havia sofrido um acidente de carro no Rio de Janeiro, e que por isso, não poderia comparecer ao evento.

Confusa com a versão apresentada pelo assessor André Luiz de Oliveira, Liane afirma ter pesquisado e não ter encontrado nenhum registro de acidente envolvendo o pastor, e confirma que Feliciano cumpriu agenda num evento no Rio de Janeiro no dia 15 de março. No entanto, a produtora diz que os contratantes desse evento teriam oferecido o dobro do cachê que havia sido combinado para o evento em São Gabriel.

Porém, Feliciano afirma que a produtora tentou contornar a situação pedindo que o pastor enviasse um atestado médico como forma de justificar a ausência junto aos apoiadores do evento: “Ela até pediu para que o pastor André enviasse um atestado médico para que pudesse justificar, dizendo que eu estava doente, alguma coisa assim. Mas eu não estava doente. E o meu secretário nem fez isso, porque isso seria uma violação, um crime, seria uma falsidade”, afirmou o pastor e deputado Marco Feliciano.

Em 2012, a juíza que cuida do processo cível que corre na Justiça de São Gabriel, determinou que Marco Feliciano ressarcisse Liane em R$ 13 mil, como devolução do cachê. O pastor pagou o valor estabelecido, porém Liane cobra um valor maior, alegando que o prejuízo foi de quase R$ 100 mil à época, devido a gastos com segurança, publicidade, passagens aéreas e estrutura para o evento, e alega que atualmente a dívida esteja na casa de R$ 2 milhões.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


27 COMENTÁRIOS

  1. MEU DEUS! que rolo desse feliciano…

    tudo por que ele não compareceu ao evento mas recebeu por isso…

    engraçado… pastor recebendo para pregar… sinal dos tempos….

      • JASON

        eu não cobraria para pregar, pois sei que é errado. Jesus foi claro ao dizer:

        ” de graça recebestes, de graça dai” (mateus 10:8)

        esses pastores celebridades cobram para pregar, mas depois serão cobrados!

        • desculpa mais perguntar nao ofende…Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário.
          1 Timóteo 5:18 quer dizer o que? embora eu não concorde com o valor cobrado!!

        • CARO IRMÃO QUANDO JESUS DISSE DE GRAÇA RECEBESTE DE GRAÇA DAI ELE ESTAVA FALANDO ACERCA DOS DONS ESPIRITUAIS E NÃO DO OBREIROS TER SALARIO EM OUTRAS PALAVRAS JESUS QUIS DIZER CURE E NÃO RECEBA NADA MAIS EM SEGUIDA DISSE NA CASA EM QUE ENTRADES ALI HOSPEDAI POIS O OBREIRO E DIGNO DO SEU SALARIO OU NÃO LESTE QUE AS MULHERES QUE A
          NDAVAM COM JESUS AJUDAVAM COM SUAS FAZENDAS ETC

          • EDMILSON

            vc está confundindo o que eu disse. talvez não tenha lido todos os meus comentários aqui, mas é licito receber ajuda de custo sim, quem se desloca, é obvio.

            mas vc não acha que 8 mil, 10 mil, 15 mil não tá fora de propósito???

      • Leia o versículo todo….
        Mateus 10:8 “Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai os leprosos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.”

        • LEANDRO

          Quem dá a mensagem ao pregador? é inspiração de Deus na pessoa do Espírito Santo… quem opera milagres, cura leprosos, ressucita mortos ? é o Espirito Santo que age no homem de Deus.

          Apenas porque o versículo não diz explicitamente que não se deve cobrar para pregar, não significa que o principio divino não seja o mesmo.

          quer dizer então que só pq mateus 10:8 fala que não pode cobrar para curar enfermos, ressucitar mortos, limpar leprosos, expulsar demonios, em todos os outros casos de que a pessoa é usada por Deus em algum propósito tá liberado cobrar???

          Obviamente, é licito que o pregador convidado receba ajuda de custo, pelo deslocamento, gastos pessoais… mas 8. 10, 13 mil para pregar parece fora de propósito…

          ” o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica” (II Coríntios 3:6)

    • A Palavra diz que todo obreiro é digno de seu salário e é digno que aquele que prega o Evangelho viva dele. Acontece que há uma grande diferença entre culto propriamente dito e as pregações desses grandes eventos, onde há um interesse por parte dos organizadores, muitos dos quais as inscrições são pagas, em trazer preletores de renome nacional e internacional para conquistarem objetivos próprios de seus ministérios, quer seja de número de participantes, quer seja de angariação de fundos para o ministério, etc, pq muitos desses eventos geram somas enormes. Por sua vez, os preletores são dignos do trabalho que exercem, e não somente do ressarcimento das despesa. Se alguns atingiram posição de notoriedade dentro da obra de Deus foi, claro, pela permissão de Deus, como diz a Palavra “quem és tu que julga o servo alheio, pois se cai ou se está de pé é pelo seu próprio Senhor”. Por fim, mesmo a cobrança dos preletores é abençoadora do seu próprio ministério, com quem tem responsabilidade e objetivos específicos tal qual o dos realizadores do evento. Infelizmente muitos evangélicos mesmo, tem uma visão bastante simplista sobre isso, fazendo confusão sobre culto e esses outros eventos, que embora seja de pregação envolvem outros fatores aquém do ministério original nas sedes desses preletores, os quais, dependendo da agenda, passam um tempo considerável distante de outros afazeres de suas própria congregações, além de seus familiares. Ora, o que muitos deles fazem pelo evangelho, ainda que indenizados, a maioria de nós não se sujeitaria. O preço qua cada um pagou no passado para ser usado por Deus da forma que são agora, a maioria de nós também não está disposta a pagar. É uma realidade crescente, infelizmente, que a maioria dos cristão hj, só venham a ter uma experiência com o Poder de Deus, através da unção que está na vida de poucos, e graças a Deus eles se dispõe a irem (pagos ou não) aos lugares que necessitam desse renovo.

      • Excelente sua explicação, Leandro! Mas infelizmente existem pessoas que não leem e não querem ouvir, como alguns ai !!!! Deus te abençoe, foi esclarecedor para aquelas pessoas que realmente querem entender e não somente acusar.
        O obreiro é digno do seu salário sim e Deus usa como Ele quer, não adianta esses ativistas fazerem baderna e acharem que conseguirão tirar Marco Feliciano de onde está, porque o que prevalece é a vontade de Deus. Se é Deus que o colocou lá, não resta menor dúvidas que podem espernearem o quanto quiserem, tudo acontecerá no tempo de Deus, igual o que aconteceu com José, como disse Nadia! A verdade é que com isso tudo, Marco Feliciano se torna cada vez mais conhecido e não deixa de ser “estrela”. Eu mesma não o conhecia e hoje, já li tudo sobre ele, terá meu voto com toda certeza!!!!

  2. *Quando leio notícias sobre o Pr. Feliciano, Pr. Malafaia e alguns comentários, me lembro de José (AT). Ele foi vendido pelos próprios irmãos, acusado de um crime que não cometeu, e depois, como também é muito comum em nosso país, teve que se virar para provar sua inocência. Glórias a Deus essa história teve um final extraordinário; José governou o Egito estando abaixo somente de faraó. E seus acusadores, “irmãos”, ainda se prostraram pedindo ajuda. O Senhor é contigo irmão!

  3. Concordo com o pastor e nao sou evangélico apesar de gostar de ir a culto, mas este lance de homem com homem ter que ser discreto, acho que ate homem com mulher temos que ter o senso do pudor. Sobre o trabalho da mulher, depois que conseguiu sua liberdade financeira que acho tb normal, mas veja que antes só trabalhava o homem e a função da mulher era cuidar da casa dos filhos, hoje uma menina de 15 anos vc pergunta a ela o que quer do futuro quando crescer ela diz que quer ter o emprego, carro e ap, antigamente era meu marido, minha casa e meus filhos, por isso as famílias estão se acabando a cada dia, filhos se drogando, filha se prostituindo pq a presença dos pais estão ausente.

  4. Vão se converter aos caminhos do Senhor e obedecer suas leis, de nada adianta ficar trocando palavras vãs, pois tudo que for dito, será cobrado naquele grande dia. Ei se vc quer ser diferente, então já escolheu seu caminho, portanto, só a misericórdia de Deus vai dar livramento para os filhos rebeldes, infiés e que estão no escuro. Nós somos tão amados, que hoje você não leva em consideração o Reino de Deus, te digo quando você se encontrar face a face com Deus, descobrirás quanto é maravilhoso você ter um aliado fiel em todas as hora, basta apenas que voce o reconheça como tal, sinto a Paz do Senhor em sua vida…

  5. A dívida era de R$, 8.000,00, ele pagou com correção e pro determinação da justiça R$, 13.000,00. A dona lá alega que a divida já era de 100.000,00 e agora é de R$, 2.000.000,00.
    Francamente ela tem que processar e mandar prender a quem ela deve por agiotagem e não ao Pastor.
    Onde já se viu de R$, 8.mil uma dívida chegar a 2 milhões?
    Sendo assim, eu sou multimilionário há muito tempo e só estou sabendo agora!

DEIXE UMA RESPOSTA