Pastor Marco Feliciano diz que há mais de 900 projetos de lei no Congresso “que ameaçam a família e a igreja” no Brasil

63

O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) concedeu uma extensa entrevista falando sobre as questões que o colocaram sob os holofotes nacionais durante o primeiro semestre deste ano.

Eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, Feliciano tornou-se alvo primário dos ativistas gays e militantes de partidos de esquerda que compõem o grupo de apoio ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT), a quem ajudou eleger.

A entrevista foi concedida ao blogueiro e ativista Julio Severo, e Feliciano falou sobre os mais diversos temas.

Segundo o pastor e deputado federal, a oposição ferrenha a ele por parte dos partidos de esquerda se dá por sua atuação como parlamentar desde que assumiu o mandato, e não apenas por sua postura como presidente da CDHM.


“As esquerdas brasileiras odeiam a tudo e a todos que servirem de bloqueio aos seus nefastos projetos progressistas. Desde que fui eleito em 2010, honrando os votos do meu segmento cristão, me dobrei diante dos temas que me eram interessantes e para minha surpresa encontrei quase 200 projetos que transformavam gays em uma super-raça. Hoje num pente fino bem apurado, descobri tramitando pela Câmara dos Deputados mais de 900 projetos que ferem a família tradicional, as igrejas e a liberdade de expressão. Tornei-me uma espécie de ‘guarda-costas’ da família. Bem antes da CDHM eu já havia, por exemplo, pedido o impeachment de um ministro do STF por ter antecipado o voto sobre o aborto dos bebês anencéfalos. Fiz isso junto com o já falecido Dom Bergonzini, bispo de São Paulo. Fui também autor de um PDC de plebiscito sobre o casamento homossexual. Tive várias batalhas em comissões e no plenário quando o assunto era orientação sexual, e desde então me transformaram em inimigo público. Quando meu nome foi indicado para CDHM, a oposição surtou. Afinal, não era um deputado numa mísera comissão sem expressão. Era o deputado conservador, alguém basicamente de direita assumindo uma comissão criada exclusivamente pela e para a esquerda”, disse Feliciano.

No meio evangélico, o pastor da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento recebeu críticas de diversos líderes, que discordavam do teor de suas opiniões teológicas e posturas políticas. Julio Severo questionou Feliciano especificamente sobre as críticas emitidas contra ele pelo pastor Ariovaldo Ramos, atualmente pastor auxiliar da Igreja Batista de Água Branca (IBAB).

“Um belo dia recebi uma ligação de alguém ligado ao Ariovaldo, dizendo que ele queria me ouvir antes de se pronunciar. Confesso, nunca antes havia ouvido falar dele. Segui a ordem bíblica: ‘segui a paz com todos’. Fui ao encontro desse senhor que me recebeu com vários outros senhores que compunham a diretoria da Aliança Evangélica. Por mais de uma hora dei minhas explicações, denunciei como as coisas funcionavam em Brasília, falei das centenas de projetos que ameaçavam a liberdade de culto e a destruição da família tradicional, etc. Contudo, fui questionado como eu me comportaria diante das reivindicações dos índios, dos pobres, questões sociais, e então percebi que estes senhores, amigos do peito do governo esquerdista, nada se preocupavam com as minhas preocupações. Eram apenas ativistas, preocupados em não provocar uma ‘guerra’ santa, me aconselhando a não ser intolerante, me doutrinando sobre o perfeito governo de Lula e os bons relacionamentos com o Ministro da Casa Civil Gilberto de Carvalho. Um dos meus assessores que me acompanhava, me confidenciou: esse cidadão (Ariovaldo) não é dos nossos… Dias depois vi que essa palavra se cumprindo: Ariovaldo e os outros já haviam assinado um documento público contra mim, antes da reunião, e depois dela não deram uma nota sequer”, queixou-se o pastor Marco Feliciano.

Perseguição pessoal

Feliciano ressaltou que, durante o ápice de sua exposição na mídia devido à repercussão de suas falas contra a homossexualidade e os ativistas gays, ele e sua família sofreram perseguições e agressões verbais, e as filiais de sua igreja tornaram-se alvos fixos da militância homossexual.

“[Sofri] perseguição, ameaças de morte, ataques físicos e humilhações públicas. Minha esposa contraiu uma doença psicossomática da qual ainda não se recuperou. Minhas filhas menores (10 e 11 anos) precisaram de apoio psicológico, pois em um culto os ativistas gays subiram sobre o meu carro, expondo seus órgãos sexuais, aos gritos, xingamentos, cusparadas, enquanto minhas crianças estavam no carro, aos gritos e prantos. Eu emagreci 10 quilos, pois não conseguia me alimentar nem dormir. A mídia foi cruel, editando mensagens que preguei há mais de 15 anos atrás e todos dias estampavam em seus jornais e TV. A mídia social foi terrível. Criaram perfis fakes no Facebook. Por causa disso, a Xuxa me chamou de monstro. Eu ia processá-la, mas aí li a citação dela, e vi que ela citava algo que eu nunca havia dito. Procurei e encontrei um perfil fake com mais de 100 frases racistas supostamente ditas por mim. As igrejas se amedrontaram e não tiro a razão em alguns casos. Fiquei 4 meses sem poder pregar. Tenho um ministério de igrejas com pouco mais de 5 anos de trabalho. Os ativistas gays depredaram nossos templos e fizeram campanha na porta de algumas igrejas proibindo as pessoas de entrarem. Em algumas cidades pequenas a tormenta foi tão grande que os membros não tinham mais coragem de ir à igreja, porque ao chegarem lá encontravam os ativistas gays fumando, se drogando, bebendo e dançando seminus. Fechamos algumas congregações. E até hoje fazem terrorismo. Descobrem onde vou estar pregando e pela mídia social ameaçam ir com milhares de pessoas para frente das igrejas com trios-elétricos”, relatou o pastor.

Marco Feliciano diz ainda que a interferência em sua vida pessoal ainda não foi interrompida, a exemplo do protesto feito por militantes dentro de um avião em pleno voo, e que sua filha mais velha teve que mudar de país para continuar estudando.

“Hoje, raramente ando em locais públicos. Quando o faço, se alguém me chama pelo nome, ou se aproxima abruptamente, meu coração dispara, pois não sei o que vai acontecer e qual será a intenção da pessoa. Por isso não vou mais a restaurantes, shoppings, e quando vou me descaracterizo para tentar passar despercebido […] A minha filha primogênita, 18 anos, teve que trancar sua matricula escolar aqui no Brasil, pois o sobrenome Feliciano pesou. Tive que mandá-la para fora do Brasil. Hoje ela está nos EUA estudando”, lamentou.

Homossexualidade

Apesar da oposição ferrenha a ele, Feliciano não mudou seu discurso sobre a homossexualidade, e reforçou sua visão enquanto deputado e pastor: “[A homossexualidade] é um fenômeno comportamental que está longe de ser compreendido. É um assunto que precisa ser estudado, mas a militância gay mundial fez com que psicólogos abandonassem o assunto e dessem por encerrado. O que é lamentável e por que não dizer criminoso. Transformaram em ‘moda’, e quem irá pagar por isso serão as próximas gerações. O comportamento gay traz transtornos, angústias, tristezas e desespero. Sinto muito por eles”.

A atuação dos militantes homossexuais ameaça, segundo Feliciano, diretamente o direito à crença e culto. Segundo o deputado, o projeto “PLC 122 é o cadeado que lacrará para sempre a liberdade de expressão e castigará fortemente a igreja cristã verdadeira”.

A proposta do kit gay nas escolas públicas também foi comentada por Feliciano: “Sou contra e pago um alto preço por isso. A assim chamada ‘nova estrutura familiar’ é desonesta, macabra, pútrida, desgraçada e implacável! Pais cuidem de seus filhos”, alertou.

Para Feliciano, “é claro” que a revolta da militância gay contra sua permanência à Frente da CDHM tem a ver com a perda de recursos destinados ao movimento gay: “E também com a perda da visibilidade na própria Câmara dos Deputados. Embora este ano eles apareceram mais na mídia, o que deveria ser bom pra eles, foi um verdadeiro tiro no pé. As pessoas estão acordando e percebendo o que eles fazem de fato”.

Política

“Em 2010 estávamos entre a cruz e o punhal. De um lado, no segundo turno, estava o PSDB e José Serra, que assumiu publicamente que era a favor do aborto. Do outro, Dilma, que assinou um documento público dizendo que era contra o aborto e que em seu governo não o aprovaria. O que você faria? Eu escolhi o menos pior, o candidato que tinha um documento físico que poderia ser usado para cobrar a promessa feita. Apoiei Dilma. Arrependi-me. Para esta esquerda que aí governa, valores só existem quando é dinheiro”, disparou o pastor Marco Feliciano, sem revelar qual caminho tomará nas próximas eleições em termos de apoio aos candidatos a presidente.

Candidatura à presidência

O deputado e virtual candidato a senador em 2014 comentou a postura da ex-senadora Marina Silva, evangélica que luta para registrar a Rede Sustentabilidade como partido, e também falou sobre o porquê não se candidatará à presidência da República nas próximas eleições.

“Eu também me decepcionei com a nossa ‘irmã’ Marina. Marina é tão de esquerda que o próprio PT não foi radical o suficiente pra ela. Vejam os que estão ao lado dela na construção da Rede e entenderão o que falo. Se hoje um partido com tempo de TV me desse a legenda, eu me candidataria sem medo. Se não for dessa vez, quem sabe na próxima. Estou em oração. Tenho muito que aprender. Tenho 40 anos de idade e iniciando minha vida política, lembrando que nunca fui nem vereador. Tenho convicção de que não estou 100% preparado, mas para isso existem assessorias, ministérios, etc. É um sonho. Vamos sonhar. Sonhemos com o dia em que ao ouvir a Voz do Brasil, o jornalista dirá: Com a palavra sua excelência o presidente da Republica Federativa do Brasil, e o presidente iniciará seu discurso assim: Eu cumprimento os compatriotas brasileiros com a paz do Senhor!”, comentou.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


63 COMENTÁRIOS

  1. Que neurose com a PNDH 3! Pode haver uma série de termos nesse projeto que impliquem em temas que lhe incomodam, mas se preocupar ao menos em ler melhor o projeto é básico, fala-se de respeito à diversidade religiosa e a liberdade de crença, algo que tange exatamente ao interesse de vocês. Como isso vai destruir o cristianismo? Esse projeto já foi modificado por diversas vezes, inclusive no que diz respeito a regulamentação das mídias, duvido muito que passe sem que haja alterações. E alguns pontos do projeto eu concordo.

  2. Esse é o preço da oposição ou imposição contra alguma instituição. Por essas e outras razões que defendo a livre e liberdade das pessoas em todos os sentidos. Quando houver compreensão de todos em tudo, nada haverá dessas amarguras.

  3. Leandro Oliveira, você segue cegamente toda e qualquer asneira e estupidez que esse católico fundamentalista e paranóico escreve e fala e ainda tem a coragem de falar de honestidade? Apoiar esse louco não é atitude de um cristão e, sim, de uma olavete fanática.

  4. Eu não sei que é o pior: Quem tem preconceito contra gays ou quem tem preconceito contra quem tem santos como bons exemplos de seguidores de jesus.

    Tenho pavor de quem julga mal as pessoas só porque tem uma idade elevada, mais agora deu vontade de chamar a Marta Valim de VELHA BABACA.

    Esses assuntos têm de serem tratados é conversando e não agredindo os outros. já me agrediram demais aqui quando exponho a minha opinião. Gays acham que só vale o que eles pensam, evangélicos acham que só vale o que eles pensam e não é por ai. tanto os gays como os evangélicos estão altamente equivocados.

    Nem gay tem direito a calar os outros nem evangélico tem direito a calar os outros.
    Depois quando eu me revolto e xingo ate a peste se passar na frente ai me chamam de velho ultrapassado.

    Nosso Brasil é imenso e cada estado tem sua cultura. Sempre foi assim e sempre será.
    Ninguém pode adquirir um costume moderninho e querer que o Brasil todo ache isso lindo.

    Ser gay é uma opção que depois de estar dentro parece que não tem volta.
    Mais já que não tem volta mesmo assim são obrigados a respeitar os que não aprovam de longe essas coisas.

    Falam muito que o Brasileiro é preconceituoso. Mais sábio nenhum do mundo parou para observar que, sem preconceito uma sociedade pode se transformar na maior zona Já vista entre os humanos.

    Cabe as pessoas que são discriminadas provarem que têm também suas qualidades e suas capacidades.

    Quando os gays provarem que essa coisa é normal demais e eles são a raça especial como fala o Feliciano ai as pessoas vão aderindo.

    Mais se alguém me calar na marra vai é arrumar um inimigo cada vez maior.

    Há quarenta anos atrás se uma moça branquinha namorasse um negro seria expulsa de casa fora as surras que levava.

    SE um rapaz branco namorasse uma negrinha seria expulso de casa fora os amigos que perdia.

    Os negros não tentaram calar os brancos, mas provaram que são iguais e ate superior em alguns casos como no Supremo.

    Já a coisa gay é mais complicada pois se trata de um costume pervertido abominado pela igreja, porque quer queiram ou quer não queiram temos mais de 2 bilhões de cristãos no mundo.

  5. Isaias Miranda vc falando de falácia ad hominem? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    O crente mais desbocado da Gospel+ que só aparece para insultar os outros fazendo apelo às falácias para se defender. Só rindo mesmo. kakaka

  6. Orides Jose Rocha pode ser verdade o que diz com relação as pessoas quererem viver uma vida justa, porém, não vemos nada de humildade por parte das lideranças da igreja, e eles possuem planos de impor seus valores, estão misturando discurso religioso, com discurso político. Você tendo o mínimo de inteligência sabe que política é algo que tange a todos nós, cristãos ou não, héteros ou gays, tange nosso modelo político e social. A partir disso gostaria que você me esclarecesse, qual é o modelo político escolhido por Jesus Cristo? Ele era de direita ou de esquerda? Comunista, socialista ou capitalista? Ele era conservador ou libertário? Quero muito saber, porque quando metem a religião na política, consequentemente deve se escolher um modelo político, então queria saber onde o a figura máxima do Cristianismo sugere que seguíssemos uma direção específica.

  7. Orides Jose Rocha na reeleição de George W. Bush, os americanos correram às urnas com a intenção de o reelegerem por temerem que o outro candidato fosse liberar o casamento gay. E com isso ignoraram o fato que ele vinha de um partido que possuía diretrizes e inclinações já conhecidas, se prendendo a um único fator para que ele voltasse a Casa Branca. Com essa irresponsabilidade dos americanos de resumir as atribuições de um chefe da Estado a um único projeto, que era o de vetar o casamento gay, os americanos receberam em troca a manutenção das guerras, que gerou o maior sentimento de anti-americanismo generalizado do mundo, e a pior parte, o início da crise financeira mundial que acabou afetando a todos nós.

  8. Leandro Torreal o vloggeiro Pirulla destruiu essa afirmação do Olavo de Carvalho de que a PEPSI usava células de fetos abortados, devido a repercursão, o Olavo fez um vídeo dando resposta ao Pirulla, onde ele dizia que não havia no Brasil nenhuma mente com conhecimento suficientemente para poder questioná-lo, e que só havia repassado uma informação, e não que estava concordando com ela. A partir daí você vê como a arrogância desse homem beira a insanidade. Por conta disso o Pirulla até hoje sofre com insultos constantes em seu vídeo por parte da militância dos olavetes. heheh

  9. Bruno Cella , Graças aos chamados " conservadores", um dos piores trechos do plano, que era "impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos",e os que visavam o controle da mídia foram revogados, se estes textos não tivessem sido revogados, não imagino quão terrível seria, mas há outros textos que não foram revogados, como o da desconstrução da " heteronormatividade" ( inventaram até uma palavra nova), ou seja o governo brasileiro está procurando seguir à risca a cartilha da ONU.

  10. Feliciano toca na ferida, no fato…ou participamos efetivamente do processo político cobrando, exigindo transparência, assiduidade, competência de nossos eleitos, ou seremos suprimidos pelo “politicamente correto” que começa a dar contornos no país, com o objetivo de destruir a base dos ensinamentos religiosos, multiplicando o relativismo, o hedonismo e o secularismo, o aborto, os movimentos feministas, a família sendo bombardeada pela identidade de gênero e pela mídia gayzista.

    Precisamos ter a maioria da coordenação do poder legislativo para equilibrar determinadas ações políticas no país para o bem dos cristãos e de nossas famílias.

    Eles já dominam os poderes executivo e o judiciário, daí a necessidade de renovarmos o combalido congresso nacional e proporcionarmos através dele projetos de relevância para a maioria da sociedade brasileira, promovendo o bem comum, eliminado a radicalidade de determinadas políticas e sua subserviência a presidencia da república.

    • E isso ai amigo!
      Precisamos colocar pessoas com valores morais na politica, se não vai virar festa dos safados politicos!!

      é Hora dos cristãos se unirem na politica!

        • STARDUST

          o sistema político naquela ocasião estava monopolizado nas mãos da casta, hoje vivemos numa democracia onde todos são convocados a participarem sem fazer da política uma carreia ou instrumento de opressão.

        • Stadust, olha só: se nos Cristão não lutar-mos pelos nossos direitos quem vai lutar?

          Infelizmente se deixarmos nas mãos desses ladrões, vamos virar um país onde não poderemos processar nossa fé, pois ela fer os direitos deles!

          pense bem!

          • kelly

            pense bem… nós cristãos devemos depender de Deus… e não de homens… muito menos na politica… o mundo jaz no maligno. pode por 513 deputados evangélicos, que vc acha que vai adiantar?

            No caso do mensalão e sanguessugas, vários politicos flagrados eram da “bancada evangélica”… é só pesquisar, kelly… vc acha que evangélicos em brasilia vai adiantar?

            Sabe pq que não? porque o cristão deve sim, cumprir com suas obrigações para com o país (votar, servir no exercito, pagar impostos…) mas não se envolver na politica dos homens… isso é para os gentios!quando eu vejo pastor saindo candidato, eu já vejo que ele não está mais servindo 100% a Deus…

            lembre-se kelly, que umas das coisas que satanás ofereceu a Jesus foi os reinos desse mundo e suas riquezas… e Jesus recusou! Quem vc acha que tá oferecendo cargos politicos para os pastores? Deus??? melhor rever seus conceitos…

            kelly, ladrões não estão só na politica em brasilia… tá cheio de pastor ladrão dentro das congregações… vc acha que vale a pena mandá-los para brasilia? sua vida cristã depende disso?

            lugar de pastor é pastoreando a igreja. E isso não se faz em brasília, nem nas capitais dos estados…

            Sou contra homossexualismo, aborto etc… coisas que vc pelo jeito também não apoia… mas votar em pastor não é fazer a vontade de Deus…

            Sou cristão e feliciano não me representa!

          • kelly

            A bíblia diz que todos os que querem seguir a Cristo serão perseguidos… pra que mandar pastores pra politica? É biblica a perseguição a nós e nossa fé.

            pastor deve pastorear a igreja e isso ele não pode fazer em brasília! Não pode um pastor ser dividido entre a igreja de Deus e a politica dos homens… isso é para os gentios. Mostra na bíblia um cristão que era politico… isso que tão fazendo hj, mandando pastor pra brasilia é heresia…

            pense bem!

        • Mula sempre na historia biblica a politica erá baseada na palavra divina, tanto que muitas vezes os reis , governadores etc eram escolhidos por Deus e ungido por um Profeta !

      • Kelly, é isso aí. Na sessão para punir um evangélico safado, a bancada evangélica votou a favor do bandido e Marco Feliciano tratou de viajar para Boston para dar entrevistas. E viva os valores morais dos cristãos!

  11. Leandro Torreal Amigão você não faz ideia do que você toma, do que você come, quando acharam formol e ureia no leite se não tivessem provado que foi colocado você não acreditaria né? e mesmo assim estaria tomando leite com formol e ureia achando que tudo era mentira, você não faz ideia do que acontece nesse mundo amigão….

  12. Diancarlos Monteiro deixa de ser hipócrita! Na bancada evangélica do Congresso, que luta pela manutenção da "família tradicional", há dois homens de deus divorciados: Magno Malta e Jair Bolsonaro, sendo que este último é veterano no assunto, pois já se divorciou não uma, mas duas vezes. Vão cuidar da vida de vocês e deixem a dos outros em paz. Tem alguma previsão para esse arrebatamento que vocês esperam? Pena que não aconteça agora. Só assim ficaríamos livres de vocês…

    …..

  13. Bruno Cella :
    Pois bem .
    retriz 7:
    Garantia dos Direitos Humanos de forma universal, indivisível
    e interdependente, assegurando a cidadania plena.
    Objetivo estratégico I:
    Universalização do registro civil de nascimento e ampliação do acesso à
    documentação básica.

    a) Ampliar e reestruturar a rede de atendimento para a emissão do registro civil de nascimento visando a
    sua universalização.
    • Fortalecer a Declaração de Nascido Vivo (DNV), emitida pelo Sistema Único de Saúde (SUS), como
    mecanismo de acesso ao registro civil de nascimento, contemplando a diversidade na emissão pelos
    estabelecimentos de saúde e pelas parteiras.

    Objetivo estratégico IV:
    Ampliação do acesso universal a sistema de saúde de qualidade

    e) Aperfeiçoar o programa de saúde para adolescentes, especificamente quanto à saúde de gênero, à educação sexual e reprodutiva e à saúde mental.
    f) Criar campanhas e material técnico, instrucional e educativo sobre planejamento reprodutivo que respeite
    os direitos sexuais e direitos reprodutivos, contemplando a elaboração de materiais específicos para a população jovem e adolescente e para pessoas com deficiência.
    g) Estimular programas de atenção integral à saúde das mulheres, considerando suas especificidades
    étnico-raciais, geracionais, regionais, de orientação sexual, de pessoa com deficiência, priorizando as moradoras do campo, da floresta e em situação de rua.
    p) Garantir o acompanhamento multiprofissional a pessoas transexuais que fazem parte do processo transexualizador no Sistema Único de Saúde e de suas famílias.

    Objetivo estratégico V:
    Acesso à educação de qualidade e garantia de permanência na escola.

    e) Adequar o currículo escolar, inserindo conteúdos que valorizem as diversidades, as práticas artísticas, a
    necessidade de alimentação adequada e saudável e as atividades físicas e esportivas.

    Objetivo estratégico VI:
    Garantia do trabalho decente7
    , adequadamente remunerado, exercido em
    condições de equidade e segurança.

    n) Garantir os direitos trabalhistas e previdenciários de profissionais do sexo por meio da regulamentação
    de sua profissão.

    Objetivo estratégico VIII:
    Promoção do direito à cultura, lazer e esporte como elementos formadores
    de cidadania.

    d) Elaborar inventário das línguas faladas no Brasil.

    Objetivo estratégico III:
    Proteger e defender os direitos de crianças e adolescentes com maior vulnerabilidade.

    d) Implantar sistema nacional de registro de ocorrência de violência escolar, incluindo as práticas de violência gratuita e reiterada entre estudantes (bullying
    11), adotando formulário unificado de registro a ser utilizado
    por todas as escolas.

    j) Fomentar a adoção legal, por meio de campanhas educativas, em consonância com o ECA e com acordos
    internacionais.

    l) Exigir em todos os projetos financiados pelo Governo Federal a adoção de estratégias de não discrimina-
    ção de crianças e adolescentes em razão de classe, raça, etnia, crença, gênero, orientação sexual, identidade de gênero, deficiência, prática de ato infracional e origem.

    o) Estabelecer instrumentos para combater a discriminação religiosa sofrida por crianças e adolescentes.

    Diretriz 10:
    Garantia da igualdade na diversidade.
    Objetivo estratégico I:
    Afirmação da diversidade para a construção de uma sociedade igualitária.

    a) Realizar campanhas e ações educativas para desconstrução de estereótipos relacionados com diferenças
    étnico-raciais, etárias, de identidade e orientação sexual, de pessoas com deficiência, ou segmentos profissionais socialmente discriminados.

    Objetivo estratégico V:
    Garantia do respeito à livre orientação sexual e identidade de gênero.

    a) Desenvolver políticas afirmativas e de promoção de uma cultura de respeito à livre orientação sexual e
    identidade de gênero, favorecendo a visibilidade e o reconhecimento social.

    b) Apoiar projeto de lei que disponha sobre a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

    c) Promover ações voltadas à garantia do direito de adoção por casais homoafetivos.
    • Recomenda-se ao Poder Judiciário a realização de campanhas de sensibilização de juízes para
    evitar preconceitos em processos de adoção por casais homoafetivos.
    • Recomenda-se ao Poder Legislativo elaboração de projeto de lei que garanta o direito de adoção
    por casais homoafetivos.

    d) Reconhecer e incluir nos sistemas de informação do serviço público todas as configurações familiares
    constituídas por lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), com base na desconstrução da
    heteronormatividade.. (desconstrução da heteronormatividade,essa é brava ,heim?)

    f) Acrescentar campo para informações sobre a identidade de gênero dos pacientes nos prontuários do
    sistema de saúde.

    Objetivo estratégico VI:
    Respeito às diferentes crenças, liberdade de culto e garantia da laicidade
    do Estado.

    e) Realizar relatório sobre pesquisas populacionais relativas a práticas religiosas, que contenha, entre outras, informações sobre número de religiões praticadas, proporção de pessoas distribuídas entre as religiões, proporção de pessoas que já trocaram de religião, número de pessoas religiosas não praticantes e
    número de pessoas sem religião.

    Tem mais,porém tenho que sair agora,mas vou colocar o restante.

  14. AS LEIS DOS HOMENS SEM DEUS NA VIDA ESTAR QUERENDO SER APROVADA MAIS QUERO VER NO JUIZO FINAL QUEM ESCAPARA DA IRA FUTURA E ESSES QUE SE BEIJAM EM PRAÇA PUBLICA SENDO DO MESMO SEXO COMO ELES VÃO SE APRESENTAR DIANTE DE UM DEUS QUE AGORA ESTAR COMO ADVOGADO MAIS UM DIA ELE VAI SER JUIZ CURTE A VIDA PASSAGEIRA NA TERRA MAIS NO CÉU NÃO VÃO CURTIR PRIMEIRA PORQUE DEUS ADOMINA ESSAS PRATICAS INFAMES SEGUNDO PORQUE O CEU NÃO ENTRA PECADO E OS FILHOS DO PECADO NÃO TERÁ LUGAR PARA ELES.
    ESTOU COM VOCÊ PASTOR MARCO FELICIANO VAMOS PARA A GUERRA.

  15. Leandro quando estamos salvos e debaixo do Sangue de Jesus não há falso profeta que vai mudar isso, e Jesus diz ; quem for fiel a ele até o fim esse receberá a coroa da vida eterna. Esse mundo poder vai passar e a sua profecia tbem, mas a Palra de Jesus permanece para sempre.

  16. Leandro Oliveira, quem está mudando o foco é você ao apresentar o "evangelho" de ódio de madame Eulália Pompadour de Carvalho. Em nome de Deus, deixe de ser uma olavete fanática; de invocar o padre Pio de Pietrelcina; se ajoelhar, beijar a mão e pedir a benção do papa tal como a Eulália faz e seja um cristão de verdade e siga o verdadeiro Evangelho, que é feito de amor!!!

  17. Bruno Cella Os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro! com um corpo glorioso,isso para aqueles que creem; nunca esqueça que mil anos para o nosso Deus é como um dia e um dia como mil ano,essa carne e o sangue não pode ver Cristo como ele é mais sim terremos um corpo igual o de Cristo para ver ele face a face essa é nossa esperança ninguém a pode tirar.Queremos ver vcs também que tem zombado desacreditado está junto conosco dizendo ora vem senhor Jesus.

  18. Bruno Cella :

    CONTINUANDO;

    Objetivo estratégico IV:
    Fortalecimento dos instrumentos de prevenção à violência.

    a) Elaborar diretrizes para as políticas de prevenção à violência com o objetivo de assegurar o reconhecimento
    das diferenças geracionais, de gênero, étnico-racial e de orientação sexual

    Objetivo estratégico V:
    Redução da violência motivada por diferenças de gênero, raça ou etnia, idade,
    orientação sexual e situação de vulnerabilidade

    o) Implementar ações de promoção da cidadania e Direitos Humanos das lésbicas, gays, bissexuais, transexuais
    e travestis (LGBT) com foco na prevenção à violência, garantindo redes integradas de atenção.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios a criação de comitês de
    acompanhamento da implementação das políticas públicas voltadas à população LGBT

    Objetivo estratégico II:
    Padronização de procedimentos e equipamentos do sistema de segurança
    pública.

    d) Padronizar equipamentos, armas, munições e veículos apropriados à atividade policial a serem utilizados
    pelas forças policiais da União, bem como aqueles financiados com recursos federais nos estados, no
    Distrito Federal e nos municípios.

    Recomendações:
    • Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal evitar o emprego de armas longas e de munição
    transfixante.

    • Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a não banalização e a adequação técnica dos
    veículos blindados, em respeito aos princípios dos Direitos Humanos, rejeitando seu uso para intimidações
    ou violações de direitos, como no caso dos “caveirões”.
    e) Disponibilizar para a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e para a Força Nacional de Segurança
    Pública munição, tecnologias e armas de menor potencial ofensivo.
    Responsável: Ministério da Justiça

    Diretriz 16:
    Modernização da política de execução penal, priorizando a
    aplicação de penas e medidas alternativas à privação de liberdade
    e melhoria do sistema penitenciário.
    Objetivo estratégico I:
    Reestruturação do sistema penitenciário.

    a) Elaborar projeto de reforma da Lei de Execução Penal (Lei nº 7.210/1984), com o propósito de:

    • Adotar mecanismos tecnológicos para coibir a entrada de substâncias e materiais proibidos, eliminando
    a prática de revista íntima nos familiares de presos;
    • Assegurar e regulamentar as visitas íntimas para a população carcerária LGBT.
    • Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal que assegurem o direito de visitas íntimas e regulares
    dos apenados, bem como espaço apropriado nos estabelecimentos prisionais que levem em
    conta as diferentes orientações sexuais.

    e) Aplicar a Política Nacional de Saúde Mental e a Política para a Atenção Integral a Usuários de Álcool e
    outras Drogas no sistema penitenciário.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a efetiva implantação do Plano
    Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário, com a implantação de equipes de atenção básica nos
    estabelecimentos penais.

    g) Implantar e implementar as ações de atenção integral aos presos previstas no Plano Nacional de Saúde
    no Sistema Penitenciário.

    l) Debater, por meio de grupo de trabalho interministerial, ações e estratégias que visem assegurar o encaminhamento
    para o presídio feminino de mulheres transexuais e travestis que estejam em regime de
    reclusão.
    Recomendação: Recomenda-se a elaboração de políticas de respeito às mulheres transexuais e
    travestis nos presídios estaduais.

    Diretriz 18:

  19. Diretriz 18:
    Efetivação das diretrizes e dos princípios da política nacional
    de educação em Direitos Humanos para fortalecer cultura de
    direitos.
    Objetivo estratégico I:
    Implementação do Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH)

    c) Fomentar e apoiar a elaboração de planos estaduais e municipais de educação em Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a elaboração de seus Planos
    Estaduais de Educação em Direitos Humanos (PEEDH’s), tendo como diretriz o Plano Nacional de
    Educação em Direitos Humanos.

    d) Apoiar técnica e financeiramente iniciativas em educação em Direitos Humanos, que estejam em consonância
    com o PNEDH.

    e) Incentivar a criação e investir no fortalecimento dos Comitês de Educação em Direitos Humanos em
    todos os estados e no Distrito Federal, como órgãos consultivos e propositivos da política de educação em
    Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a criação de órgãos responsáveis
    pela efetivação das políticas públicas de Educação em Direitos Humanos.

    Objetivo Estratégico II:
    Ampliação de mecanismos e produção de materiais pedagógicos e didáticos
    para Educação em Direitos Humanos.

    a) Incentivar a criação de programa nacional de formação em educação em Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se que o programa nacional de formação em Educação em Direitos
    Humanos seja elaborado conjuntamente entre as Secretarias Municipais, Estaduais e Distrital de
    Educação, as instituições formadoras, as instituições de ensino superior, os Comitês de Educação em
    Direitos Humanos e movimentos e ONGs que atuam na temática.

    b) Estimular a temática dos Direitos Humanos nos editais de avaliação e seleção de obras didáticas do
    sistema de ensino.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios que fomentem a produção
    de materiais na área de Educação em Direitos Humanos, preservando a adequação da obra e
    suas estratégias didático-pedagógicas à faixa etária e interesses de estudantes a que se destinam.

    c) Estabelecer critérios e indicadores de avaliação de publicações na temática de Direitos Humanos para o
    monitoramento da escolha de livros didáticos no sistema de ensino.

    d) Atribuir premiação anual de educação em Direitos Humanos, como forma de incentivar a prática de ações
    e projetos de educação e cultura em Direitos Humanos.

    e) Garantir a continuidade da “Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul” e da “Semana Direitos
    Humanos” como atividades culturais para difusão dos Direitos Humanos.
    f) Consolidar a revista “Direitos Humanos” como instrumento de educação e cultura em Direitos Humanos,
    garantindo o caráter representativo e plural em seu conselho editorial.

    g) Produzir recursos pedagógicos e didáticos especializados e adquirir materiais e equipamentos em formato
    acessível para a educação em Direitos Humanos, para todos os níveis de ensino.
    Recomendação: Recomenda-se aos sistemas de ensino que, ao produzir ou adotar materiais educativos,
    observem as condições estabelecidas por programas de caráter nacional, em especial o
    Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), o Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino
    Médio (PNLEM) e o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE).

    h) Publicar materiais pedagógicos e didáticos para a educação em Direitos Humanos em formato acessível
    para as pessoas com deficiência, bem como promover o uso da Língua Brasileira de Sinais (Libras) em
    eventos ou divulgação em mídia.

    i) Fomentar o acesso de estudantes, professores e demais profissionais da educação às tecnologias da
    informação e comunicação.

    Diretriz 19:
    Fortalecimento dos princípios da democracia e dos Direitos
    Humanos nos sistemas de educação básica, nas instituições
    de ensino superior e nas instituições formadoras.
    Objetivo Estratégico I:
    Inclusão da temática de Educação e Cultura em Direitos Humanos nas escolas
    de educação básica e em instituições formadoras.

    a) Estabelecer diretrizes curriculares para todos os níveis e modalidades de ensino da educação básica
    para a inclusão da temática de educação e cultura em Direitos Humanos, promovendo o reconhecimento
    e o respeito das diversidades de gênero, orientação sexual, identidade de gênero, geracional, étnico-racial,
    religiosa, com educação igualitária, não discriminatória e democrática.

    b) Promover a inserção da educação em Direitos Humanos nos processos de formação inicial e continuada
    de todos os profissionais da educação, que atuam nas redes de ensino e nas unidades responsáveis por
    execução de medidas socioeducativas.

    c) Incluir, nos programas educativos, o direito ao meio ambiente como Direito Humano.

    d) Incluir conteúdos, recursos, metodologias e formas de avaliação da educação em Direitos Humanos nos
    sistemas de ensino da educação básica.
    • Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios que os sistemas de ensino sejam orientados
    por dispositivos legais de promoção e valorização de uma cultura em e para os Direitos Humanos,
    dinamizando os projetos pedagógicos.
    • Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios que suas abordagens curriculares respeitem
    as especificidades exigidas pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura e
    da comunidade escolar.

    f) Publicar relatório periódico de acompanhamento da inclusão da temática dos Direitos Humanos na educação
    formal que contenha, pelo menos as seguintes informações:
    • Número de estados e municípios que possuem Planos de Educação em Direitos Humanos;
    • Existência de normas que incorporam a temática de Direitos Humanos nos currículos escolares;
    • Documentos que atestem a existência de Comitês de Educação em Direitos Humanos;
    • Documentos que atestem a existência de órgãos governamentais especializados em educação em
    Direitos Humanos.

    g) Desenvolver e estimular ações de enfrentamento ao bullying e ao cyberbulling21.

    h) Implementar e acompanhar a aplicação das leis que dispõem sobre a inclusão da história e cultura afrobrasileira
    e dos povos indígenas em todos os níveis e modalidades da educação básica.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios o estímulo aos fóruns
    de educação étnico-racial como espaço deliberativo de discussão para introdução de conteúdos da
    cultura afro-brasileira e dos povos indígenas e como espaço fiscalizador da aplicação das leis.

    Objetivo Estratégico II:
    Inclusão da temática da Educação em Direitos Humanos nos cursos das
    Instituições de Ensino Superior (IES).

    a) Propor a inclusão da temática da educação em Direitos Humanos nas diretrizes curriculares nacionais
    dos cursos de graduação.

    b) Incentivar a elaboração de metodologias pedagógicas de caráter transdisciplinar e interdisciplinar para a
    educação em Direitos Humanos nas Instituições de Ensino Superior.

    c) Elaborar relatórios sobre a inclusão da temática dos Direitos Humanos no ensino superior, contendo
    informações sobre a existência de ouvidorias e sobre o número de:
    • Cursos de pós-graduação com áreas de concentração em Direitos Humanos;
    • Grupos de pesquisa em Direitos Humanos;
    • Cursos com a transversalização dos Direitos Humanos nos projetos políticos pedagógicos;
    • Disciplinas em Direitos Humanos;
    • Teses e dissertações defendidas;
    • Associações e instituições dedicadas ao tema e com as quais os docentes e pesquisadores tenham
    vínculo;
    • Núcleos e comissões que atuam em Direitos Humanos;
    • Educadores com ações no tema Direitos Humanos;
    • Projetos de extensão em Direitos Humanos;

  20. Objetivo Estratégico III:
    Incentivo à transdisciplinaridade e transversalidade nas atividades acadêmicas
    em Direitos Humanos.

    a) Incentivar o desenvolvimento de cursos de graduação, de formação continuada e programas de pósgraduação
    em Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se às universidades a criação de cursos de pós-graduação, extensão e
    especialização e de linhas de pesquisa voltadas para a proteção e promoção dos Direitos Humanos.

    b) Fomentar núcleos de pesquisa de educação em Direitos Humanos em instituições de ensino superior e
    escolas públicas e privadas, estruturando-as com equipamentos e materiais didáticos.

    c) Fomentar e apoiar, no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e na Coordenação
    de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a criação da área “Direitos Humanos”
    como campo de conhecimento transdisciplinar e recomendar às agências de fomento que abram linhas de
    financiamento para atividades de ensino, pesquisa e extensão em Direitos Humanos.

    d) Implementar programas e ações de fomento à extensão universitária em Direitos Humanos, para promoção
    e defesa dos Direitos Humanos e o desenvolvimento da cultura e educação em Direitos Humanos.

    Diretriz 20:
    Reconhecimento da educação não formal como espaço de defesa
    e promoção dos Direitos Humanos.
    Objetivo Estratégico I:
    Inclusão da temática da educação em Direitos Humanos na educação não
    formal.

    c) Apoiar e promover a capacitação de agentes multiplicadores para atuarem em projetos de educação em
    Direitos Humanos.

    d) Apoiar e desenvolver programas de formação em comunicação e Direitos Humanos para comunicadores
    comunitários.

    e) Desenvolver iniciativas que levem a incorporar a temática da educação em Direitos Humanos nos programas
    de inclusão digital e de educação à distância.

    g) Fortalecer experiências alternativas de educação para os adolescentes, bem como para monitores e
    profissionais do sistema de execução de medidas socioeducativas.

    Objetivo estratégico II:
    Resgate da memória por meio da reconstrução da história dos movimentos
    sociais.

    a) Promover campanhas e pesquisas sobre a história dos movimentos de grupos historicamente vulnerabilizados,
    tais como o segmento LGBT, movimentos de mulheres, quebradeiras de coco, castanheiras, ciganos,
    entre outros.

    b) Apoiar iniciativas para a criação de museus voltados ao resgate da cultura e da história dos movimentos
    sociais.

    Objetivo Estratégico I:
    Formação e capacitação continuada dos servidores públicos em Direitos
    Humanos, em todas as esferas de governo.

    a)Apoiar e desenvolver atividades de formação e capacitação continuadas interdisciplinares em Direitos
    Humanos para servidores públicos.
    • Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios a realização continuada de cursos de
    formação em Direitos Humanos
    • Recomenda-se às comissões de Direitos Humanos do Poder Legislativo oferecer formação continuada
    na temática dos Direitos Humanos
    • Recomenda-se aos Tribunais de Justiça promover a formação e capacitação continuada dos operadores
    do sistema de Justiça nos níveis federal, estadual e distrital

    b) Incentivar a inserção da temática dos Direitos Humanos nos programas das escolas de formação de
    servidores vinculados aos órgãos públicos federais.

    c) Publicar materiais didático-pedagógicos sobre Direitos Humanos e função pública, desdobrando temas e
    aspectos adequados ao diálogo com as várias áreas de atuação dos servidores públicos.

    Objetivo Estratégico II:
    Formação adequada e qualificada dos profissionais do sistema de segurança
    pública.

    a) Oferecer, continuamente e permanentemente, cursos em Direitos Humanos para os profissionais do
    sistema de segurança pública e justiça criminal.

    b) Oferecer permanentemente cursos de especialização aos gestores, policiais e demais profissionais do
    sistema de segurança pública.

    c) Publicar materiais didático-pedagógicos sobre segurança pública e Direitos Humanos.

    d) Incentivar a inserção da temática dos Direitos Humanos nos programas das escolas de formação inicial
    e continuada dos membros das Forças Armadas.

    e) Criar escola nacional de polícia para educação continuada dos profissionais do sistema de segurança
    pública, com enfoque prático.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, ao Distrito federal e aos municípios a instituição de
    programas de formação qualificada e permanente dos profissionais do sistema de segurança pública
    em Direitos Humanos.

    Diretriz 24:
    Preservação da memória histórica e a construção pública da
    verdade.
    Objetivo Estratégico I:
    Incentivar iniciativas de preservação da memória histórica e de construção
    pública da verdade sobre períodos autoritários.

    a) Disponibilizar linhas de financiamento para a criação de centros de memória sobre a repressão política,
    em todos os estados, com projetos de valorização da história cultural e de socialização do conhecimento
    por diversos meios de difusão.

    b) Criar comissão específica, em conjunto com departamentos de História e centros de pesquisa, para reconstituir
    a história da repressão ilegal relacionada ao Estado Novo (1937-1945). Essa comissão deverá publicar relatório
    contendo os documentos que fundamentaram essa repressão, a descrição do funcionamento da justiça de exceção,
    os responsáveis diretos no governo ditatorial, registros das violações bem como dos autores e das vítimas.

    d) Criar e manter museus, memoriais e centros de documentação sobre a resistência à ditadura.

    e) Apoiar técnica e financeiramente a criação de observatórios do Direito à Memória e à Verdade nas universidades
    e em organizações da sociedade civil.

    UFA,está ai,sua resposta !

  21. Leandro Torreal ,Vejo que você está ignorante no assunto, procure se informar um pouco aí poderemos entrar na questão, tem um vídeo que fala sobre o PNDH3, está um pouco defasado porque houveram algumas mudanças, mas dará para vc entender um pouco do que está acontecendo,mas apesar das mudanças ainda tem muita coisa que precisa mudar, veja no http://moralbrasileira.blogspot.com.br/2013/04/pndh3-plano-nacional-de-direitos-humanos.html

  22. Bruno Cella ,Só para começar: Me explica isto que está na página 92 da versão atual do plano :

    " Recomendação: Recomenda-se ao Poder Legislativo a adequação do Código Penal para a descriminalização do aborto"

    h) Realizar campanhas e ações educativas para desconstruir os estereótipos relativos às profissionais do sexo.

    Agora no eixo IV diretriz 17 :
    "g) Implementar mecanismos de monitoramento dos serviços de atendimento ao aborto legalmente autorizado, garantindo seu cumprimento e facilidade de acesso"

    Tem muita coisa , mas não dá tempo de postar tudo, me explica só estes por enquanto que já dá para começar, ok?

  23. JESUS ESTARA VOLTANDO BREVE,,TAO SOMENTE SEDE SOBRIOS E VIGIAI EM ORAÇAO ,PORQUE O DIABO NOSSO ADVERSARIO,ANDA EM DERREDOR RUGINDO COMO LEAO BUSCANDO A QUEM POSSA TRAGAR,,VAMOS RESISTI-LO FIRMES NA FE,,,E TEMPO DE PERSEGUIÇAO SOBRE A IGREJA,,,MAIS O MAL,NAO PREVALECERA,,,MARANATA,,,OREMOS PELO PASTOR MARCOS FELICIANO,,,COMO GUARDASSE A PALAVRA DA PACIENCIA TAMBEM TE GUARDAREI DA HORA DA TENTAÇAO
    AMEM,,,,,,,,

  24. a verdade esta oculta, muits leis estão engavetadas para destruir as familias, bons costumes etcas como a nossa conduta moral, estou com vc Pr marcos doa a quem doer, fale a verdade, lute pelas conquistas do povo de Deus, ignore falatórios e parte p/cima dos objetivos. (Js 1:8).

  25. Paz do Sr.irmao Feliciano, sei que em breve estará na cidade que moro e quero estár na plateia para ouvir a mensagem que Deus lhe dará, é certo que o mundo não nos compreende porque o mundo jás no maligo, fica em paz meu irmao, ainda que a figueira não floresça nem haja fruto na vide o produto da oliveira minta e na terra não haja mantimento as ovelhas da malhada sejam todas arrebatadas e nos curais não haja gado, todavia nós nos alegraremos no Senhor o Deus da nossa salvaçao. sabemos que o que há de vir virá e não tardará, mas o justo viverá pela fé . o mesmo sentimento que dilacera nossas almas ao perceber que governos e governados sem temor de Deus agem as escondidas para afrontar a igreja do Deus vivo, não perdem por esperar, o tempo do acerto de contas está chegando e quero afirmar que até mesmo ( crentes ) irao ter que se curvar diante daquele que está assentado no trono . Irmão Feliciano vc não está sozinho, sou pai de familia e defendo cegamente a palavra de Deus e a sua postura diante dos fatos narrados e quero afirmar que estas le
    gioes do inferno já estao derrotadas em nome do SR.JESUS.

  26. Quanto ao Donadom deveria ter sido cassado, não foi pelos motivos óbvios que caracterizam os tres poderes da nação, portanto é necessário renová-los. Esperamos que essa seção ainda seja anulada em face de sua indevida perticipação.

  27. Quanto ao Donadom deveria ter sido cassado, não foi pelos motivos óbvios que caracterizam os tres poderes da nação, portanto é necessário renová-los. Esperamos que essa seção seja anulada em face de sua indevida participação.

  28. CONTINUA NESSA GUERRA SE QUIZER TEM MINHA 20 MINHA ESCOPETA E MINHA PONTO 50
    E MEU PARCERO UMA METRALHADORA SE QUIZER EMPRESTADO P FUZILAR ESSES QUE
    QUEREM C DOIDO. EU SEI Q TA ESCRITO P NÃO MATAR, MAS NO TEU CASO TEM E QUE FUZILAR MESMO CUMEÇANDO POR ESSES POLITICOS Q NÃO TAO NEM AI P GERAÇÕES FULTURAS….

  29. Eresia o Cassete muito bem se sabe que muitos dos politicos eram tementes a Deus, e quando não eram punidos a não ser a partir de roma, quando veio os imperadores imundos impor suas leis

  30. Sabe do precisamos? De mais IGREJAS e “menas” escolas. Os países mais desenvolvidos do mundo tem muitas igrejas e nas escolas tem ensino religiosos obrigatório.

DEIXE UMA RESPOSTA