Brasil

Pastor Marco Feliciano diz que há mais de 900 projetos de lei no Congresso “que ameaçam a família e a igreja” no Brasil

Comments (63)
  1. Leandro Torreal …você é o capeta? então é mentiroso…

  2. …melhor ser enjoado do que azedo , ácido ou alcalino…

  3. não sofro mesmo…sou como vc rrrssssssssssss

  4. romualdo disse:

    AS LEIS DOS HOMENS SEM DEUS NA VIDA ESTAR QUERENDO SER APROVADA MAIS QUERO VER NO JUIZO FINAL QUEM ESCAPARA DA IRA FUTURA E ESSES QUE SE BEIJAM EM PRAÇA PUBLICA SENDO DO MESMO SEXO COMO ELES VÃO SE APRESENTAR DIANTE DE UM DEUS QUE AGORA ESTAR COMO ADVOGADO MAIS UM DIA ELE VAI SER JUIZ CURTE A VIDA PASSAGEIRA NA TERRA MAIS NO CÉU NÃO VÃO CURTIR PRIMEIRA PORQUE DEUS ADOMINA ESSAS PRATICAS INFAMES SEGUNDO PORQUE O CEU NÃO ENTRA PECADO E OS FILHOS DO PECADO NÃO TERÁ LUGAR PARA ELES.
    ESTOU COM VOCÊ PASTOR MARCO FELICIANO VAMOS PARA A GUERRA.

  5. Alóis Arndt disse:

    Leandro quando estamos salvos e debaixo do Sangue de Jesus não há falso profeta que vai mudar isso, e Jesus diz ; quem for fiel a ele até o fim esse receberá a coroa da vida eterna. Esse mundo poder vai passar e a sua profecia tbem, mas a Palra de Jesus permanece para sempre.

  6. Esse macaco cultuador de cobras e jumentas falantes, definitivamente não tem nada de importante a fazer na câmara federal!

  7. Vamos mostrar a esses críticos de que Deus é maior.

  8. Sonildo Lima, pode chamar, véinho.

  9. Leandro Oliveira, quem está mudando o foco é você ao apresentar o "evangelho" de ódio de madame Eulália Pompadour de Carvalho. Em nome de Deus, deixe de ser uma olavete fanática; de invocar o padre Pio de Pietrelcina; se ajoelhar, beijar a mão e pedir a benção do papa tal como a Eulália faz e seja um cristão de verdade e siga o verdadeiro Evangelho, que é feito de amor!!!

  10. Cafa Antunes disse:

    Bruno Cella Os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro! com um corpo glorioso,isso para aqueles que creem; nunca esqueça que mil anos para o nosso Deus é como um dia e um dia como mil ano,essa carne e o sangue não pode ver Cristo como ele é mais sim terremos um corpo igual o de Cristo para ver ele face a face essa é nossa esperança ninguém a pode tirar.Queremos ver vcs também que tem zombado desacreditado está junto conosco dizendo ora vem senhor Jesus.

  11. Bruno Cella :

    CONTINUANDO;

    Objetivo estratégico IV:
    Fortalecimento dos instrumentos de prevenção à violência.

    a) Elaborar diretrizes para as políticas de prevenção à violência com o objetivo de assegurar o reconhecimento
    das diferenças geracionais, de gênero, étnico-racial e de orientação sexual

    Objetivo estratégico V:
    Redução da violência motivada por diferenças de gênero, raça ou etnia, idade,
    orientação sexual e situação de vulnerabilidade

    o) Implementar ações de promoção da cidadania e Direitos Humanos das lésbicas, gays, bissexuais, transexuais
    e travestis (LGBT) com foco na prevenção à violência, garantindo redes integradas de atenção.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios a criação de comitês de
    acompanhamento da implementação das políticas públicas voltadas à população LGBT

    Objetivo estratégico II:
    Padronização de procedimentos e equipamentos do sistema de segurança
    pública.

    d) Padronizar equipamentos, armas, munições e veículos apropriados à atividade policial a serem utilizados
    pelas forças policiais da União, bem como aqueles financiados com recursos federais nos estados, no
    Distrito Federal e nos municípios.

    Recomendações:
    • Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal evitar o emprego de armas longas e de munição
    transfixante.

    • Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a não banalização e a adequação técnica dos
    veículos blindados, em respeito aos princípios dos Direitos Humanos, rejeitando seu uso para intimidações
    ou violações de direitos, como no caso dos “caveirões”.
    e) Disponibilizar para a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e para a Força Nacional de Segurança
    Pública munição, tecnologias e armas de menor potencial ofensivo.
    Responsável: Ministério da Justiça

    Diretriz 16:
    Modernização da política de execução penal, priorizando a
    aplicação de penas e medidas alternativas à privação de liberdade
    e melhoria do sistema penitenciário.
    Objetivo estratégico I:
    Reestruturação do sistema penitenciário.

    a) Elaborar projeto de reforma da Lei de Execução Penal (Lei nº 7.210/1984), com o propósito de:

    • Adotar mecanismos tecnológicos para coibir a entrada de substâncias e materiais proibidos, eliminando
    a prática de revista íntima nos familiares de presos;
    • Assegurar e regulamentar as visitas íntimas para a população carcerária LGBT.
    • Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal que assegurem o direito de visitas íntimas e regulares
    dos apenados, bem como espaço apropriado nos estabelecimentos prisionais que levem em
    conta as diferentes orientações sexuais.

    e) Aplicar a Política Nacional de Saúde Mental e a Política para a Atenção Integral a Usuários de Álcool e
    outras Drogas no sistema penitenciário.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a efetiva implantação do Plano
    Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário, com a implantação de equipes de atenção básica nos
    estabelecimentos penais.

    g) Implantar e implementar as ações de atenção integral aos presos previstas no Plano Nacional de Saúde
    no Sistema Penitenciário.

    l) Debater, por meio de grupo de trabalho interministerial, ações e estratégias que visem assegurar o encaminhamento
    para o presídio feminino de mulheres transexuais e travestis que estejam em regime de
    reclusão.
    Recomendação: Recomenda-se a elaboração de políticas de respeito às mulheres transexuais e
    travestis nos presídios estaduais.

    Diretriz 18:

  12. Diretriz 18:
    Efetivação das diretrizes e dos princípios da política nacional
    de educação em Direitos Humanos para fortalecer cultura de
    direitos.
    Objetivo estratégico I:
    Implementação do Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH)

    c) Fomentar e apoiar a elaboração de planos estaduais e municipais de educação em Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a elaboração de seus Planos
    Estaduais de Educação em Direitos Humanos (PEEDH’s), tendo como diretriz o Plano Nacional de
    Educação em Direitos Humanos.

    d) Apoiar técnica e financeiramente iniciativas em educação em Direitos Humanos, que estejam em consonância
    com o PNEDH.

    e) Incentivar a criação e investir no fortalecimento dos Comitês de Educação em Direitos Humanos em
    todos os estados e no Distrito Federal, como órgãos consultivos e propositivos da política de educação em
    Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados e ao Distrito Federal a criação de órgãos responsáveis
    pela efetivação das políticas públicas de Educação em Direitos Humanos.

    Objetivo Estratégico II:
    Ampliação de mecanismos e produção de materiais pedagógicos e didáticos
    para Educação em Direitos Humanos.

    a) Incentivar a criação de programa nacional de formação em educação em Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se que o programa nacional de formação em Educação em Direitos
    Humanos seja elaborado conjuntamente entre as Secretarias Municipais, Estaduais e Distrital de
    Educação, as instituições formadoras, as instituições de ensino superior, os Comitês de Educação em
    Direitos Humanos e movimentos e ONGs que atuam na temática.

    b) Estimular a temática dos Direitos Humanos nos editais de avaliação e seleção de obras didáticas do
    sistema de ensino.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios que fomentem a produção
    de materiais na área de Educação em Direitos Humanos, preservando a adequação da obra e
    suas estratégias didático-pedagógicas à faixa etária e interesses de estudantes a que se destinam.

    c) Estabelecer critérios e indicadores de avaliação de publicações na temática de Direitos Humanos para o
    monitoramento da escolha de livros didáticos no sistema de ensino.

    d) Atribuir premiação anual de educação em Direitos Humanos, como forma de incentivar a prática de ações
    e projetos de educação e cultura em Direitos Humanos.

    e) Garantir a continuidade da “Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul” e da “Semana Direitos
    Humanos” como atividades culturais para difusão dos Direitos Humanos.
    f) Consolidar a revista “Direitos Humanos” como instrumento de educação e cultura em Direitos Humanos,
    garantindo o caráter representativo e plural em seu conselho editorial.

    g) Produzir recursos pedagógicos e didáticos especializados e adquirir materiais e equipamentos em formato
    acessível para a educação em Direitos Humanos, para todos os níveis de ensino.
    Recomendação: Recomenda-se aos sistemas de ensino que, ao produzir ou adotar materiais educativos,
    observem as condições estabelecidas por programas de caráter nacional, em especial o
    Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), o Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino
    Médio (PNLEM) e o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE).

    h) Publicar materiais pedagógicos e didáticos para a educação em Direitos Humanos em formato acessível
    para as pessoas com deficiência, bem como promover o uso da Língua Brasileira de Sinais (Libras) em
    eventos ou divulgação em mídia.

    i) Fomentar o acesso de estudantes, professores e demais profissionais da educação às tecnologias da
    informação e comunicação.

    Diretriz 19:
    Fortalecimento dos princípios da democracia e dos Direitos
    Humanos nos sistemas de educação básica, nas instituições
    de ensino superior e nas instituições formadoras.
    Objetivo Estratégico I:
    Inclusão da temática de Educação e Cultura em Direitos Humanos nas escolas
    de educação básica e em instituições formadoras.

    a) Estabelecer diretrizes curriculares para todos os níveis e modalidades de ensino da educação básica
    para a inclusão da temática de educação e cultura em Direitos Humanos, promovendo o reconhecimento
    e o respeito das diversidades de gênero, orientação sexual, identidade de gênero, geracional, étnico-racial,
    religiosa, com educação igualitária, não discriminatória e democrática.

    b) Promover a inserção da educação em Direitos Humanos nos processos de formação inicial e continuada
    de todos os profissionais da educação, que atuam nas redes de ensino e nas unidades responsáveis por
    execução de medidas socioeducativas.

    c) Incluir, nos programas educativos, o direito ao meio ambiente como Direito Humano.

    d) Incluir conteúdos, recursos, metodologias e formas de avaliação da educação em Direitos Humanos nos
    sistemas de ensino da educação básica.
    • Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios que os sistemas de ensino sejam orientados
    por dispositivos legais de promoção e valorização de uma cultura em e para os Direitos Humanos,
    dinamizando os projetos pedagógicos.
    • Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios que suas abordagens curriculares respeitem
    as especificidades exigidas pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura e
    da comunidade escolar.

    f) Publicar relatório periódico de acompanhamento da inclusão da temática dos Direitos Humanos na educação
    formal que contenha, pelo menos as seguintes informações:
    • Número de estados e municípios que possuem Planos de Educação em Direitos Humanos;
    • Existência de normas que incorporam a temática de Direitos Humanos nos currículos escolares;
    • Documentos que atestem a existência de Comitês de Educação em Direitos Humanos;
    • Documentos que atestem a existência de órgãos governamentais especializados em educação em
    Direitos Humanos.

    g) Desenvolver e estimular ações de enfrentamento ao bullying e ao cyberbulling21.

    h) Implementar e acompanhar a aplicação das leis que dispõem sobre a inclusão da história e cultura afrobrasileira
    e dos povos indígenas em todos os níveis e modalidades da educação básica.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios o estímulo aos fóruns
    de educação étnico-racial como espaço deliberativo de discussão para introdução de conteúdos da
    cultura afro-brasileira e dos povos indígenas e como espaço fiscalizador da aplicação das leis.

    Objetivo Estratégico II:
    Inclusão da temática da Educação em Direitos Humanos nos cursos das
    Instituições de Ensino Superior (IES).

    a) Propor a inclusão da temática da educação em Direitos Humanos nas diretrizes curriculares nacionais
    dos cursos de graduação.

    b) Incentivar a elaboração de metodologias pedagógicas de caráter transdisciplinar e interdisciplinar para a
    educação em Direitos Humanos nas Instituições de Ensino Superior.

    c) Elaborar relatórios sobre a inclusão da temática dos Direitos Humanos no ensino superior, contendo
    informações sobre a existência de ouvidorias e sobre o número de:
    • Cursos de pós-graduação com áreas de concentração em Direitos Humanos;
    • Grupos de pesquisa em Direitos Humanos;
    • Cursos com a transversalização dos Direitos Humanos nos projetos políticos pedagógicos;
    • Disciplinas em Direitos Humanos;
    • Teses e dissertações defendidas;
    • Associações e instituições dedicadas ao tema e com as quais os docentes e pesquisadores tenham
    vínculo;
    • Núcleos e comissões que atuam em Direitos Humanos;
    • Educadores com ações no tema Direitos Humanos;
    • Projetos de extensão em Direitos Humanos;

  13. Objetivo Estratégico III:
    Incentivo à transdisciplinaridade e transversalidade nas atividades acadêmicas
    em Direitos Humanos.

    a) Incentivar o desenvolvimento de cursos de graduação, de formação continuada e programas de pósgraduação
    em Direitos Humanos.
    Recomendação: Recomenda-se às universidades a criação de cursos de pós-graduação, extensão e
    especialização e de linhas de pesquisa voltadas para a proteção e promoção dos Direitos Humanos.

    b) Fomentar núcleos de pesquisa de educação em Direitos Humanos em instituições de ensino superior e
    escolas públicas e privadas, estruturando-as com equipamentos e materiais didáticos.

    c) Fomentar e apoiar, no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e na Coordenação
    de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a criação da área “Direitos Humanos”
    como campo de conhecimento transdisciplinar e recomendar às agências de fomento que abram linhas de
    financiamento para atividades de ensino, pesquisa e extensão em Direitos Humanos.

    d) Implementar programas e ações de fomento à extensão universitária em Direitos Humanos, para promoção
    e defesa dos Direitos Humanos e o desenvolvimento da cultura e educação em Direitos Humanos.

    Diretriz 20:
    Reconhecimento da educação não formal como espaço de defesa
    e promoção dos Direitos Humanos.
    Objetivo Estratégico I:
    Inclusão da temática da educação em Direitos Humanos na educação não
    formal.

    c) Apoiar e promover a capacitação de agentes multiplicadores para atuarem em projetos de educação em
    Direitos Humanos.

    d) Apoiar e desenvolver programas de formação em comunicação e Direitos Humanos para comunicadores
    comunitários.

    e) Desenvolver iniciativas que levem a incorporar a temática da educação em Direitos Humanos nos programas
    de inclusão digital e de educação à distância.

    g) Fortalecer experiências alternativas de educação para os adolescentes, bem como para monitores e
    profissionais do sistema de execução de medidas socioeducativas.

    Objetivo estratégico II:
    Resgate da memória por meio da reconstrução da história dos movimentos
    sociais.

    a) Promover campanhas e pesquisas sobre a história dos movimentos de grupos historicamente vulnerabilizados,
    tais como o segmento LGBT, movimentos de mulheres, quebradeiras de coco, castanheiras, ciganos,
    entre outros.

    b) Apoiar iniciativas para a criação de museus voltados ao resgate da cultura e da história dos movimentos
    sociais.

    Objetivo Estratégico I:
    Formação e capacitação continuada dos servidores públicos em Direitos
    Humanos, em todas as esferas de governo.

    a)Apoiar e desenvolver atividades de formação e capacitação continuadas interdisciplinares em Direitos
    Humanos para servidores públicos.
    • Recomenda-se aos estados, Distrito Federal e municípios a realização continuada de cursos de
    formação em Direitos Humanos
    • Recomenda-se às comissões de Direitos Humanos do Poder Legislativo oferecer formação continuada
    na temática dos Direitos Humanos
    • Recomenda-se aos Tribunais de Justiça promover a formação e capacitação continuada dos operadores
    do sistema de Justiça nos níveis federal, estadual e distrital

    b) Incentivar a inserção da temática dos Direitos Humanos nos programas das escolas de formação de
    servidores vinculados aos órgãos públicos federais.

    c) Publicar materiais didático-pedagógicos sobre Direitos Humanos e função pública, desdobrando temas e
    aspectos adequados ao diálogo com as várias áreas de atuação dos servidores públicos.

    Objetivo Estratégico II:
    Formação adequada e qualificada dos profissionais do sistema de segurança
    pública.

    a) Oferecer, continuamente e permanentemente, cursos em Direitos Humanos para os profissionais do
    sistema de segurança pública e justiça criminal.

    b) Oferecer permanentemente cursos de especialização aos gestores, policiais e demais profissionais do
    sistema de segurança pública.

    c) Publicar materiais didático-pedagógicos sobre segurança pública e Direitos Humanos.

    d) Incentivar a inserção da temática dos Direitos Humanos nos programas das escolas de formação inicial
    e continuada dos membros das Forças Armadas.

    e) Criar escola nacional de polícia para educação continuada dos profissionais do sistema de segurança
    pública, com enfoque prático.
    Recomendação: Recomenda-se aos estados, ao Distrito federal e aos municípios a instituição de
    programas de formação qualificada e permanente dos profissionais do sistema de segurança pública
    em Direitos Humanos.

    Diretriz 24:
    Preservação da memória histórica e a construção pública da
    verdade.
    Objetivo Estratégico I:
    Incentivar iniciativas de preservação da memória histórica e de construção
    pública da verdade sobre períodos autoritários.

    a) Disponibilizar linhas de financiamento para a criação de centros de memória sobre a repressão política,
    em todos os estados, com projetos de valorização da história cultural e de socialização do conhecimento
    por diversos meios de difusão.

    b) Criar comissão específica, em conjunto com departamentos de História e centros de pesquisa, para reconstituir
    a história da repressão ilegal relacionada ao Estado Novo (1937-1945). Essa comissão deverá publicar relatório
    contendo os documentos que fundamentaram essa repressão, a descrição do funcionamento da justiça de exceção,
    os responsáveis diretos no governo ditatorial, registros das violações bem como dos autores e das vítimas.

    d) Criar e manter museus, memoriais e centros de documentação sobre a resistência à ditadura.

    e) Apoiar técnica e financeiramente a criação de observatórios do Direito à Memória e à Verdade nas universidades
    e em organizações da sociedade civil.

    UFA,está ai,sua resposta !

  14. Leandro Torreal ,Vejo que você está ignorante no assunto, procure se informar um pouco aí poderemos entrar na questão, tem um vídeo que fala sobre o PNDH3, está um pouco defasado porque houveram algumas mudanças, mas dará para vc entender um pouco do que está acontecendo,mas apesar das mudanças ainda tem muita coisa que precisa mudar, veja no http://moralbrasileira.blogspot.com.br/2013/04/pndh3-plano-nacional-de-direitos-humanos.html

  15. Bruno Cella ,Só para começar: Me explica isto que está na página 92 da versão atual do plano :

    " Recomendação: Recomenda-se ao Poder Legislativo a adequação do Código Penal para a descriminalização do aborto"

    h) Realizar campanhas e ações educativas para desconstruir os estereótipos relativos às profissionais do sexo.

    Agora no eixo IV diretriz 17 :
    "g) Implementar mecanismos de monitoramento dos serviços de atendimento ao aborto legalmente autorizado, garantindo seu cumprimento e facilidade de acesso"

    Tem muita coisa , mas não dá tempo de postar tudo, me explica só estes por enquanto que já dá para começar, ok?

  16. João Carlos Correia , Quanto a você,está totalmente fora do tema em questão, assim não dá.

  17. JESUS ESTARA VOLTANDO BREVE,,TAO SOMENTE SEDE SOBRIOS E VIGIAI EM ORAÇAO ,PORQUE O DIABO NOSSO ADVERSARIO,ANDA EM DERREDOR RUGINDO COMO LEAO BUSCANDO A QUEM POSSA TRAGAR,,VAMOS RESISTI-LO FIRMES NA FE,,,E TEMPO DE PERSEGUIÇAO SOBRE A IGREJA,,,MAIS O MAL,NAO PREVALECERA,,,MARANATA,,,OREMOS PELO PASTOR MARCOS FELICIANO,,,COMO GUARDASSE A PALAVRA DA PACIENCIA TAMBEM TE GUARDAREI DA HORA DA TENTAÇAO
    AMEM,,,,,,,,

  18. Leandro Oliveira, o que não dá é você ser uma olavete fanática e um cristão de fachada. Para VOCÊ de fugir do assunto.

  19. Roberto disse:

    a verdade esta oculta, muits leis estão engavetadas para destruir as familias, bons costumes etcas como a nossa conduta moral, estou com vc Pr marcos doa a quem doer, fale a verdade, lute pelas conquistas do povo de Deus, ignore falatórios e parte p/cima dos objetivos. (Js 1:8).

  20. Paz do Sr.irmao Feliciano, sei que em breve estará na cidade que moro e quero estár na plateia para ouvir a mensagem que Deus lhe dará, é certo que o mundo não nos compreende porque o mundo jás no maligo, fica em paz meu irmao, ainda que a figueira não floresça nem haja fruto na vide o produto da oliveira minta e na terra não haja mantimento as ovelhas da malhada sejam todas arrebatadas e nos curais não haja gado, todavia nós nos alegraremos no Senhor o Deus da nossa salvaçao. sabemos que o que há de vir virá e não tardará, mas o justo viverá pela fé . o mesmo sentimento que dilacera nossas almas ao perceber que governos e governados sem temor de Deus agem as escondidas para afrontar a igreja do Deus vivo, não perdem por esperar, o tempo do acerto de contas está chegando e quero afirmar que até mesmo ( crentes ) irao ter que se curvar diante daquele que está assentado no trono . Irmão Feliciano vc não está sozinho, sou pai de familia e defendo cegamente a palavra de Deus e a sua postura diante dos fatos narrados e quero afirmar que estas le
    gioes do inferno já estao derrotadas em nome do SR.JESUS.

  21. Estou com 74 anos já vi de todo. e pensava não me surpreender mais com nada mais me enganei e estou muito triste por insistir um canalha tão grande como este >. BENEDITO GIACOMO LIMA (para um lixo como esse não existe comentário).

  22. mauro2011 disse:

    Quanto ao Donadom deveria ter sido cassado, não foi pelos motivos óbvios que caracterizam os tres poderes da nação, portanto é necessário renová-los. Esperamos que essa seção ainda seja anulada em face de sua indevida perticipação.

  23. mauro2011 disse:

    Quanto ao Donadom deveria ter sido cassado, não foi pelos motivos óbvios que caracterizam os tres poderes da nação, portanto é necessário renová-los. Esperamos que essa seção seja anulada em face de sua indevida participação.

  24. gil wandro disse:

    Marco Feliciano,vc ñ está só.Ñ DESISTA.Ñ PARE DE LUTAR.PRECISAMOS DE VC AÍ, E ESTAMOS JUNTOS NESSA PELEJA.

  25. GEOVAN disse:

    CONTINUA NESSA GUERRA SE QUIZER TEM MINHA 20 MINHA ESCOPETA E MINHA PONTO 50
    E MEU PARCERO UMA METRALHADORA SE QUIZER EMPRESTADO P FUZILAR ESSES QUE
    QUEREM C DOIDO. EU SEI Q TA ESCRITO P NÃO MATAR, MAS NO TEU CASO TEM E QUE FUZILAR MESMO CUMEÇANDO POR ESSES POLITICOS Q NÃO TAO NEM AI P GERAÇÕES FULTURAS….

  26. nda disse:

    Eresia o Cassete muito bem se sabe que muitos dos politicos eram tementes a Deus, e quando não eram punidos a não ser a partir de roma, quando veio os imperadores imundos impor suas leis

  27. Alexandre Pimentel Cabral de Medeiros disse:

    Sabe do precisamos? De mais IGREJAS e “menas” escolas. Os países mais desenvolvidos do mundo tem muitas igrejas e nas escolas tem ensino religiosos obrigatório.

  28. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Apocalipse 17:13

  29. Davi Elias disse:

    FECHEM TUDO ESSES TEMPLOS DE PEDRA – VERDADEIROS BANCOS E LAVAGEM DE DINHEIRO.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *